Quarta Frota da Marinha dos EUA testa veículo aéreo não tripulado PUMA

By Dialogo
May 02, 2013

KEY WEST, EUA – O contra-almirante Sinclair Harris, comandante da Quarta Frota da Marinha americana, prepara-se para embarcar no catamarã HSV 2 Swift em 26 de abril, no sul do estado da Flórida, para avaliar novas tecnologias que possam fortalecer a luta dos EUA contra o narcotráfico. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – Operador do veículo aéreo não tripulado PUMA se prepara para lançá-lo do deque do catamarã HSV 2 Swift, no sul da Flórida. Essas aeronaves de controle remoto podem fornecer detalhes fundamentais sobre cargas e tripulantes a bordo de navios suspeitos. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – Balões dirigíveis, como o TIF-25K Aerostat, podem ser úteis no apoio a missões antidrogas marítimas conduzidas como parte da Operação Martillo, um esforço multinacional de países do Hemisfério Ocidental e da Europa para barrar o fluxo de drogas ilícitas nas águas do Caribe e do Pacífico oriental. O dirigível TIF-25K é equipado com radar e câmera de longo alcance. (Johan Ordonez/AFP) KEY WEST, EUA – O contra-almirante Sinclair Harris, comandante da Quarta Frota da Marinha americana, lança o veículo aéreo não tripulado PUMA. Pequenos e silenciosos, esses aviões de controle remoto podem enviar imagens de cargas e tripulantes a bordo de embarcações suspeitas. (Sandra Marina/Diálogo). KEY WEST, EUA – O dirigível TIF-25K foi testado em terra no Iraque e no Afeganistão. Agora, a Marinha americana está avaliando se eles podem também ser eficazes a bordo de embarcações em movimento que participam de missões antidrogas. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – Veículo aéreo não tripulado PUMA sobrevoa o catamarã HSV 2 Swift durante uma demonstração da Marinha dos EUA. Ao fundo, está a estrutura que apoia o dirigível TIF-25K quando está pousado na plataforma de voo do Swift. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – O contra-almirante Sinclair Harris, comandante da Quarta Frota da Marinha americana, assiste às imagens ao vivo transmitidas do avião não tripulado PUMA para o computador portátil do sistema. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – Nos próximos dias, o catamarã HSV 2 Swift partirá para sua missão final. Embarcações como o HSV 2 Swift serão substituídas por novos barcos de alta velocidade do programa Joint High-Speed Vessels (JHSV) da Marinha dos EUA. (Sandra Marina/Diálogo) KEY WEST, EUA – Durante a próxima missão do catamarã HSV 2 Swift, como parte da Operação Martillo, a Marinha americana continuará a avaliar se o dirigível TIF 25K Aerostat e o veículo aéreo não tripulado PUMA podem ser usados juntos em operações antidrogas no mar. Desta vez, o “território de caça” proposto para o catamarã no combate ao tráfico ilícito deve incluir Belize, Guatemala e o norte de Honduras. (Sandra Marina/Diálogo)
Share