Guatemala reforça seu combate ao narcotráfico

Guatemala reforça seu combate ao narcotráfico

Por Geraldine Cook/Diálogo
setembro 08, 2020

Diálogo entrevistou o Tenente Brigadeiro do Ar Juan Carlos Alemán Soto, ministro da Defesa Nacional da Guatemala.

Diálogo: Como a pandemia está afetando as atividades do tráfico ilícito? Existem novas rotas ilícitas em seu país?

Tenente Brigadeiro do Ar Juan Carlos Alemán Soto, ministro da Defesa Nacional da Guatemala: Na atual pandemia, as atividades do narcotráfico diminuíram na Guatemala, no entanto, houve pequenos períodos de intensidade operacional, como na última semana de julho, quando uma aeronave pousou em território nacional, e no dia 21 de agosto, quando foi capturada uma aeronave no território da Guatemala.

Tenente Brigadeiro do Ar Juan Carlos Alemán Soto, ministro da Defesa Nacional da Guatemala. (Foto: Ministério da Defesa Nacional da Guatemala)

Não se pode dizer que [os narcotraficantes] estejam tirando proveito dos efeitos dessa nova enfermidade; o Exército da Guatemala mantém as operações com intensidade, apesar do número de contágios relatados. Tampouco se pode dizer que eles estejam explorando novas rotas, pois a plataforma de radares da Força Aérea da Guatemala dificulta o voo nos céus do país; acredito que eles estejam implementando novos métodos. Parece que estão entrando em acordo com membros das comunidades para que cuidem de suas pistas clandestinas, descarreguem a droga e prejudiquem ao máximo o trabalho das autoridades; isto coloca em sério risco a governabilidade, pois os habitantes locais se transformam em vítimas da crise sanitária e das ações do crime organizado transnacional.

Diálogo: Como as Forças Militares da Guatemala combatem as organizações criminosas transnacionais?

Ten Brig Ar Alemán: O Exército da Guatemala se mantém presente ao longo das fronteiras que o país compartilha com México, Honduras, El Salvador e na zona adjacente de Belize. O controle é terrestre e naval e é operado em conjunto com a Polícia Nacional Civil e com a Superintendência de Administração Tributária (Fazenda), para combater ações como o contrabando, o narcotráfico, o tráfico de pessoas, entre outras.

No âmbito aéreo, são os radares da Força Aérea da Guatemala que, em coordenação com outras plataformas similares da região, emitem avisos sobre a proximidade de uma rota no espaço aéreo nacional e a monitoram quando entra em nosso espaço. As operações têm sido bem-sucedidas e apenas neste ano foi possível apreender, assegurar e entregar às respectivas autoridades mais de 7.460 pacotes de cocaína.

Diálogo: Como a Guatemala coopera com a região e os Estados Unidos na luta contra as ameaças à segurança regional?

Ten Brig Ar Alemán: A Guatemala realiza operações conjuntas de patrulhamento das fronteiras com os países vizinhos, com o objetivo de reduzir as operações dos grupos que praticam ações ilícitas na região. A comunicação entre os países é constante e, para tal, são realizadas com frequência reuniões de oficiais de operações e comandantes das fronteiras com México, Honduras e El Salvador, no intuito de compartilhar informações e planejar as operações de forma conjunta.

Entre as ameaças, incluímos os desastres, e para isso colocamos à disposição da região os recursos disponíveis, que no caso consistem no Batalhão Humanitário e de Resgate da Guatemala, o qual conta com pessoal devidamente treinado e equipado para realizar trabalhos de resgate, evacuação, buscas em estruturas destruídas, extinção de incêndios, resgate vertical, entre outras missões.

Diálogo: Como as Forças Militares da Guatemala trabalham para apoiar a população durante a crise da pandemia?

Ten Brig Ar Alemán: Desde a ativação do Plano de Prevenção, Contenção e Resposta à COVID-19 por parte do governo, o Exército da Guatemala pôs à disposição do Ministério da Saúde Pública e Assistência Social suas habilidades e equipamentos para os seguintes programas:

  1. Empacotamento, transporte e distribuição de 200.000 caixas de alimentos básicos chamados “Sairemos adiante”, que chegarão a um igual número de famílias e beneficiarão mais de um milhão e meio de guatemaltecos em todo o país.
  2. Através do Corpo de Engenheiros do Exército, foram construídos quatro hospitais de campanha em 70 dias em diferentes pontos do país.
  3. Foram redobradas as operações de controle das fronteiras por ar, terra e mar, com o objetivo de evitar a entrada não autorizada e não submetida aos controles sanitários de pessoas e mercadorias, que possam pôr em risco a saúde dos guatemaltecos.
  4. Apoio às autoridades encarregadas da ordem pública através de operações de proteção da força, para garantir o cumprimento das disposições presidenciais em relação aos horários de restrição e à mobilidade, no seu devido momento, durante a fase de contenção da pandemia.
  5. Foram entregues duas instalações militares para atuarem como coadjuvantes na assistência a essa emergência sanitária: foi entregue a enfermaria tipo “A” de nosso comando aéreo no norte do país, para ser transformada em hospital temporário, e também o acampamento de trânsito projetado para os protocolos médicos de nosso pessoal que regressa de missões de paz, para que seja utilizado no atendimento de aproximadamente 200 pacientes.
Share