Guarda Costeira dos EUA e Marinha do Brasil assumem compromissos regionais para fortalecer parceria

Guarda Costeira dos EUA e Marinha do Brasil assumem compromissos regionais para fortalecer parceria

Por Missão dos EUA no Brasil
janeiro 05, 2021

No dia 6 de novembro, o Setor de Jacksonville da Guarda Costeira dos EUA (USCG, em inglês) realizou uma cerimônia de recepção em Mayport, Flórida, para a chegada do navio-escola brasileiro NE Brasil (U27), com a presença das tripulações dos USCGCs Maria Bray (WLM 562), Hammer (WLIC 75302), Tarpon (WPB 87310) e Heron (WPB 87344). O Capitão de Mar e Guerra da USCG Mark Vlaun, comandante do Setor de Jacksonville, conversou com o Capitão de Mar e Guerra da Marinha do Brasil (MB) Carlos Considera, comandante do navio-escola, e se reuniu com o Capitão de Mar e Guerra da MB Mario Lobo Junior, adido naval assistente em Washington.

Em 15 de novembro, o USCGC Charles Sexton (WPC 1108) participou de uma cerimônia em memória da perda do submarino R-12 (SS 89), onde os participantes do NE Brasil (U27) e USS Zephyr (PC 8) depuseram uma coroa de flores perto de Key West, Flórida. Em 12 de junho de 1943, o R-12 afundou enquanto conduzia uma abordagem prática que resultou na morte dos 40 marinheiros e dois observadores brasileiros a bordo.

Em 19 de novembro, o Capitão de Mar e Guerra da USCG Jason Smith, chefe do Setor de Houston-Galveston, o Capitão de Mar e Guerra da USCG Keith Donohue, comandante, e o chefe do Comando da USCG Suboficial-Mor Robert Gonzales, receberam a tripulação brasileira e embarcaram o chefe do Comando, Suboficial-Mor da MB Ricardo Santos, e o Cap Considera a bordo de uma Embarcação de Resposta da USCG, para uma visita portuária.

“Agradecemos sinceramente a hospitalidade e a disposição da liderança do NE Brasil (U27) em se engajar”, disse o Vice-Almirante Steven Poulin, comandante da Área Atlântica da Guarda Costeira. “Embora os compromissos internacionais tenham sido difíceis devido à COVID-19, o desejo e entusiasmo da Guarda Costeira dos EUA por compromissos com parceiros não diminuiu. Nossa capacidade de manter parcerias internacionais de uma maneira segura e eficaz, com o apoio próximo de parceiros interagenciais dos EUA, como o Departamento de Estado, é extremamente importante. O trabalho que fazemos juntos é muito importante para ser adiado. Esses compromissos ajudam a estabelecer as bases para futuras operações nos próximos meses.”

Os comandantes dos setores de Jacksonville e Houston-Galveston se comprometeram com o comando do NE Brasil (U27) para discutir prioridades das nações parceiras: combate à pesca ilegal não regulamentada e não relatada, tráfico de drogas e crime organizado transnacional, bem como operações de interdição de migrantes estrangeiros. Eles também discutiram sobre missões compartilhadas com a USCG, como inspeções e operações de navios de cruzeiro, licenciamento marítimo e gerenciamento de incidentes. Esses compromissos informais e discussões com operadores da linha de frente aprofundaram a compreensão de parceiros da USCG, ao mesmo tempo em que estabeleceram uma base sólida para a continuidade das parcerias operacionais e estratégicas com o Brasil.

O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, disse: “Os Estados Unidos e o Brasil compartilham uma relação de mais de dois séculos. Continuamos o trabalho para aprofundar essa relação e expandi-la à medida que enfrentamos novos desafios para ambos os países. O engajamento do Brasil com nossa Guarda Costeira é mais um exemplo desse esforço para garantir que nossa parceria entregue resultados tangíveis para cidadãos norte-americanos e brasileiros.”

“Este esforço se baseia em nossas conversas do pessoal existente e fornece oportunidades para conversas adicionais entre as unidades regionais e táticas. Nossas áreas mútuas de compreensão, confiança e parceria aumentam a eficácia de nossos esforços. Além disso, esses esforços ajudam todas as partes a melhorar a administração marítima e a prosperidade econômica para ambas as nações. Essas conversas e comunicados em andamento podem ser virtuais quando seja necessário, mas esperamos ansiosamente pelo valor que proporcionam e o desenvolvimento das conversas do pessoal marítimo em agosto de 2021.”

Esta foi a visita mais recente do Brasil aos EUA. Essas visitas portuárias têm como objetivo familiarizar os guardas-marinhas brasileiros com o povo e a cultura dos EUA. Os Estados Unidos e o Brasil desfrutam de sólidas relações políticas e econômicas. Os Estados Unidos foram o primeiro país a reconhecer a independência do Brasil em 1822. Sendo as duas maiores democracias e economias do hemisfério ocidental, os Estados Unidos e o Brasil têm uma parceria enraizada e um compromisso compartilhado de expandir o crescimento econômico e a prosperidade; promover a paz internacional, a segurança e o respeito pelos direitos humanos; e fortalecer a cooperação de defesa e segurança.

Share