Força Aérea Brasileira promove primeira mulher oficial-general

Força Aérea Brasileira promove primeira mulher oficial-general

Por Taciana Moury/Diálogo
janeiro 19, 2021

A médica Carla Lyrio Martins é a primeira mulher oficial-general da Força Aérea Brasileira (FAB). Ela assumiu o posto de brigadeiro em 25 de novembro de 2020. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, a Brig Carla Lyrio é casada e tem dois filhos. A atual diretora do Hospital Central da Aeronáutica, no Rio de Janeiro, é especialista em Medicina Aeroespacial, Hematologia e Hemoterapia e foi também pioneira no comando de uma organização militar da FAB. A mais nova oficial-general da FAB conversou com Diálogo sobre a sua trajetória profissional e os desafios do novo posto.

Diálogo: O que representou a promoção ao quadro de oficial-general?

Brigadeiro da FAB Carla Lyrio Martins: Uma grande felicidade e materialização de uma história de muito trabalho e desafios superados. Representa também a confiança que o Alto-Comando da Aeronáutica depositou em mim, ao consolidar a minha nomeação e a oportunidade de honrar a história das pioneiras que ingressaram na FAB em 1982, quando foram criados os quadros femininos de oficiais e de graduados. Foram essas mulheres que abriram os caminhos para a minha chegada.

Diálogo: Como foi o início da sua história dentro da FAB?

Brig Carla Lyrio: Ingressei na Força Aérea em 1990, quando participei de um concurso de âmbito nacional onde, pela primeira vez na história da força, mulheres e homens concorreram com igualdade de oportunidades no ingresso para o quadro de oficiais médicos, farmacêuticos e dentistas.

Diálogo: Quais os principais desafios enfrentados durante sua trajetória profissional?

Brig Carla Lyrio: O mais impactante deles me foi apresentado quando de fato assumi a direção da Casa Gerontológica de Aeronáutica Brigadeiro Eduardo Gomes (CGABEG) em 2015. Sempre fui técnica, envolvida com a medicina e, mesmo como chefe da Seção de Hematologia e, posteriormente, da Divisão Médica do Hospital da Força Aérea do Galeão, hospital de grande complexidade, ainda assim, as atividades administrativas eram voltadas para a assistência em saúde. Mesmo assim, quando recebi essa nova missão, confesso que pensei: será que vou conseguir? Mas, aprendi e vi que ainda haveria muito a saber e a descobrir. Foi uma experiência positiva, também pela natureza da organização de saúde que esteve sob meus cuidados, posto que trabalhar com pessoas idosas, por si só, já se transforma em aprendizado de vida. Registro como um marco, profissional e pessoal.

Terminado o ciclo do primeiro comando, realizei o curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra, em 2018. No ano seguinte, em 2019, exerci o cargo de subdiretora da Subdiretoria de Aplicação dos Recursos para Assistência Médico-hospitalar, na Diretoria de Saúde, ampliando a minha visão de gestora. Em abril de 2020, fui nomeada diretora de um grande hospital, o Hospital Central da Aeronáutica, uma missão da maior complexidade.

Diálogo: Como foi a experiência de ter sido a primeira mulher à frente de uma organização militar da FAB, em 2015? O que mudou para as mulheres militares dentro da FAB desde então?

Brig Carla Lyrio: O comando da CGABEG foi um desafio, permeado por muito estudo e apoio. Atualmente, na área da saúde, inúmeras mulheres ocupam cargos de comando, de direção e de chefia e, cada vez mais, esse protagonismo desponta. Por exemplo, no hospital que dirijo, os principais cargos são exercidos por mulheres: a direção, a vice direção, as chefias da Divisão Médica, da Divisão de Atividades Complementares, da Divisão Odontológica, além de diversas clínicas médicas, cirúrgicas e de apoio e de assessorias. O cenário, a meu ver, reflete uma evolução natural da sociedade. Os espaços estão abertos e podem ser ocupados por quem estiver preparado, demonstrar responsabilidade e possuir as competências compatíveis.

Diálogo: A senhora acredita que sua ascensão ao quadro de oficial-general pode estimular outras mulheres a ingressarem na vida militar?

Brig Carla Lyrio: Acredito que poderei ser um exemplo e um modelo que pode servir de inspiração para aquelas que almejam trilhar uma profissão que exige dedicação, mas que oferece oportunidades de crescimento profissional. Profissão que, por mérito, com competência e com dedicação, oferecendo resultados palpáveis, é possível galgar postos e cargos de grande relevância, participar de processos decisórios de maior abrangência e alcançar a realização profissional.

Diálogo: Qual a mensagem que a senhora gostaria de deixar para as mulheres militares que estão em atividade hoje nas forças armadas?

Brig Carla Lyrio: O que eu gostaria de dizer para as mulheres que desejam ingressar na FAB é que venham! Porque é um caminho profícuo, que traz recompensas, que traz oportunidades e que empolga. As oportunidades, elas existem; os requisitos já foram estabelecidos e depende da nossa vontade. A gente pode chegar exatamente onde a gente quiser e se qualificar para isso.

Share