Forças Armadas do Peru e Polícia Nacional destroem 37 pistas clandestinas

Por Dialogo
abril 06, 2015



Soldados das Forças Armadas do Peru e agentes da Polícia Nacional destruíram recentemente 37 pistas clandestinas utilizadas pelo Sendero Luminoso para o transporte de drogas na região do Vale dos Rios Apurímac, Ene e Mantaro (VRAEM).

“Essas operações são um duro golpe contra os traficantes de drogas que são os principais meios de financiamento da organização terrorista Sendero Luminoso”, disse o General César Astudillo Salcedo.

As pistas de pouso, conhecidas como narcopistas
, têm um papel fundamental no tráfico de drogas: cerca de 90% da cocaína produzida no VRAEM é transportada para fora da região em pequenas aeronaves. Devido à grande demanda, os proprietários podem cobrar até US$ 12.000 pela utilização da aeronave. Os narcotraficantes usam pequenos aviões para transportar quase metade da cocaína produzida no Peru até a Bolívia. De lá, as drogas são enviadas a América Central, Brasil, México, Estados Unidos, Canadá, Europa e Ásia.

Desde 2011, as forças de segurança peruanas destruíram 102 pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes. A maioria das pistas tinha 500 metros de extensão por 10 metros de largura e estava situada no VRAEM.

Exército Nacional colombiano desmantela dois laboratórios de cocaína


O Exército Nacional colombiano destruiu recentemente um laboratório de cocaína controlado pelo Exército de Libertação Nacional (ELN) e outro utilizado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), durante operações separadas nos estados de Nariño e Guaviare, respectivamente.

Na primeira operação, em 27 de março, a 22ª Brigada de Selva apreendeu 250 quilos de folhas de coca picadas, 208 litros de folhas de coca que estavam sendo transformadas em cocaína e 38 l de amônia, entre outros materiais e equipamentos, no laboratório pertencente à 44ª Frente Antonio Ricaurte Frente das FARC, no estado de Guaviare.

Dois dias depois, a Brigada Especial contra o Narcotráfico da Divisão de Assalto Aéreo e o Grupo de Ação Unificada pela Liberdade Pessoal (GAULA) apreenderam 292 kg de cocaína em uma estrutura operada pela Frente Guerra Carlos Alberto do ELN. A cocaína foi avaliada em cerca de 890,6 milhões de pesos (US$ 348.318).

As FARC e o ELN são as maiores organizações guerrilheiras do país. As duas organizações usam os recursos provenientes do narcotráfico para financiar suas atividades terroristas.


Soldados das Forças Armadas do Peru e agentes da Polícia Nacional destruíram recentemente 37 pistas clandestinas utilizadas pelo Sendero Luminoso para o transporte de drogas na região do Vale dos Rios Apurímac, Ene e Mantaro (VRAEM).

“Essas operações são um duro golpe contra os traficantes de drogas que são os principais meios de financiamento da organização terrorista Sendero Luminoso”, disse o General César Astudillo Salcedo.

As pistas de pouso, conhecidas como narcopistas
, têm um papel fundamental no tráfico de drogas: cerca de 90% da cocaína produzida no VRAEM é transportada para fora da região em pequenas aeronaves. Devido à grande demanda, os proprietários podem cobrar até US$ 12.000 pela utilização da aeronave. Os narcotraficantes usam pequenos aviões para transportar quase metade da cocaína produzida no Peru até a Bolívia. De lá, as drogas são enviadas a América Central, Brasil, México, Estados Unidos, Canadá, Europa e Ásia.

Desde 2011, as forças de segurança peruanas destruíram 102 pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes. A maioria das pistas tinha 500 metros de extensão por 10 metros de largura e estava situada no VRAEM.

Exército Nacional colombiano desmantela dois laboratórios de cocaína


O Exército Nacional colombiano destruiu recentemente um laboratório de cocaína controlado pelo Exército de Libertação Nacional (ELN) e outro utilizado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), durante operações separadas nos estados de Nariño e Guaviare, respectivamente.

Na primeira operação, em 27 de março, a 22ª Brigada de Selva apreendeu 250 quilos de folhas de coca picadas, 208 litros de folhas de coca que estavam sendo transformadas em cocaína e 38 l de amônia, entre outros materiais e equipamentos, no laboratório pertencente à 44ª Frente Antonio Ricaurte Frente das FARC, no estado de Guaviare.

Dois dias depois, a Brigada Especial contra o Narcotráfico da Divisão de Assalto Aéreo e o Grupo de Ação Unificada pela Liberdade Pessoal (GAULA) apreenderam 292 kg de cocaína em uma estrutura operada pela Frente Guerra Carlos Alberto do ELN. A cocaína foi avaliada em cerca de 890,6 milhões de pesos (US$ 348.318).

As FARC e o ELN são as maiores organizações guerrilheiras do país. As duas organizações usam os recursos provenientes do narcotráfico para financiar suas atividades terroristas.
Share