Paraguai: 346 toneladas de maconha destruídas

Paraguai: 346 toneladas de maconha destruídas

Por Guillermo Saavedra/Diálogo
maio 20, 2021

Em meados de abril de 2021, as forças de segurança do Paraguai desferiram um duro golpe ao narcotráfico através de várias operações, a maioria delas realizadas em sua fronteira com o Brasil. Foram destruídas cerca de 346 toneladas de maconha, entre os cultivos ilícitos encontrados e a droga pronta para consumo, informou a Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Paraguai em diversos comunicados.

No dia 22 de abril, a SENAD informou que durante atividades de busca de acampamentos do narcotráfico e cultivos ilícitos no estado de Caaguazú, suas unidades encontraram na região de Bella Vista quase 4 toneladas de maconha prontas para serem embaladas em uma propriedade rural.

Agentes da SENAD encontraram quase 4 toneladas de maconha, que estavam prontas para serem embaladas, em uma propriedade rural do estado de Caaguazú, no dia 22 de abril de 2021. (Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

“No local, os agentes encontraram a erva picada em processo de secagem, mas ainda não compactada. As ferramentas para esse trabalho também foram confiscadas. Ao todo, a droga descoberta no local chegou a 3.900 quilos”, informou a SENAD em um comunicado.

No dia 20 de abril, a instituição divulgou os resultados da Operação Omega IX, realizada entre 15 e 20 de abril nas zonas florestais do estado de Amambay, entre a SENAD e a Força-Tarefa Conjunta (FTC), unidade das Forças Armadas do Paraguai. Os agentes em conjunto erradicaram 96 hectares de cultivos ilícitos, incineraram 19 acampamentos do narcotráfico e destruíram ao todo 321 toneladas de maconha, afirmou a SENAD.

“Com os resultados obtidos, a SENAD e a FTC pretendem continuar implementando um controle mais efetivo, para assim reduzir o nível de plantios e replantios. Nessa última ação conjunta, as forças de segurança deram um golpe financeiro de pelo menos US$ 9,6 milhões para aqueles que tentam controlar o negócio do narcotráfico na fronteira”, informou a SENAD.

No dia 16 de abril, a SENAD relatou que durante operações realizadas na Reserva Natural do Bosque Mbaracayú, no estado de Canindeyú, suas unidades encontraram um cultivo ilícito em 7 hectares e destruíram o equivalente a 21 toneladas de maconha.

De acordo com um relatório de fevereiro de 2021 da InSight Crime, uma organização internacional dedicada ao estudo do crime organizado na América Latina, o Paraguai, principal produtor de maconha da América do Sul, é um elo chave na cadeia do narcotráfico na região. A organização informou que o país produziu mais de 40.000 toneladas de maconha em 2019 e explicou que os grupos criminosos estão expandindo suas atividades, principalmente na produção de cocaína.

“Com mais economias criminosas, o Paraguai se tornou mais atrativo para os grupos criminosos internacionais, incluindo as conhecidas quadrilhas brasileiras: o Primeiro Comando da Capital e o Comando Vermelho”, explicou a InSight Crime.

Share