Militares do Brasil no enfrentamento à COVID-19

Militares do Brasil no enfrentamento à COVID-19

Por Taciana Moury/Diálogo
maio 27, 2020

As Forças Armadas brasileiras têm empregado sua estrutura logística no combate à pandemia da COVID-19. A atuação dos militares tem sido fundamental para o enfrentamento dos problemas na extensa faixa territorial brasileira, de 8,5 milhões de quilômetros quadrados. As ações são realizadas pelos 10 comandos conjuntos ativados estrategicamente pelo país.

Um exemplo dessa atuação é a distribuição de 45.000 cestas básicas pelo Comando Conjunto Nordeste para a população em situação de vulnerabilidade social do estado de Pernambuco. Os alimentos – mais de 150 toneladas – foram doados por empresários locais e estão sendo entregues semanalmente, desde o dia 15 de abril.

Militares prestam apoio à população em situação de vulnerabilidade social. (Foto: Comando Conjunto Nordeste)

Segundo a assessoria do Comando Conjunto Nordeste, a ação está mobilizando aproximadamente 30 viaturas e 350 militares do Exército Brasileiro (EB), do 14º Batalhão de Infantaria Motorizada e do 7º Grupo de Artilharia de Campanha, localizados em Pernambuco.  “O apoio logístico envolveu a segurança, o embarque, o transporte e o desembarque das cestas nos locais selecionados pelo grupo de empresários responsável pela doação”, informou.

O General de Divisão do EB Pedro Paulo de Mello Braga, comandante do Comando Conjunto Nordeste, explicou à Diálogo que o planejamento da atividade foi um trabalho de equipe entre os militares da Marinha do Brasil, do EB e da Força Aérea Brasileira, que integram o comando conjunto, bem como de setores do governo e da sociedade civil. “A execução da distribuição ficou sob a responsabilidade do EB, nossa força terrestre”, salientou.

O Comando Conjunto Nordeste está atuando ainda na montagem de barracas para centros de triagem em hospitais, prontos socorros e unidades de pronto atendimento; campanhas de vacinação; distribuição de água para quem sofre com a estiagem; e doações de sangue. Também efetua a desinfecção de locais públicos, feita por militares capacitados em defesa química, biológica, radiológica e nuclear. “Estamos mobilizados no enfrentamento à pandemia em apoio à população”, disse o Gen Div Braga.

Solidariedade também no Sul

No Comando Conjunto Sul, militares do EB, do 3º Batalhão de Suprimento, participaram da confecção de escudos faciais direcionados à proteção dos profissionais de saúde, para o atendimento de pacientes infectados com a COVID-19. A ação foi o resultado de uma parceria entre o Departamento de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, responsável pelo projeto, a fabricante de armamentos Taurus, que possibilitou a realização dos trabalhos na sua sede em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, e do EB, que cedeu a mão de obra para a fabricação.

Inicialmente, os protetores eram produzidos em impressora 3D, mas com a estrutura da fábrica Taurus, foi possível ampliar consideravelmente a produção. Segundo informações do Comando Conjunto Sul, houve um esforço extra para produzir o maior número de escudos no menor tempo possível. Aproximadamente 30 militares trabalharam na montagem nos três turnos – manhã, tarde e noite – e produziram 3.000 unidades dos protetores faciais por dia.

Ao todo foram produzidas 60.000 unidades dos escudos de proteção facial. A produção foi direcionada a profissionais da área da saúde que atuam em hospitais de todo o estado do Rio Grande do Sul, hospitais das Forças Armadas e profissionais da área da Segurança Pública.

Share