FARC e outras organizações criminosas recrutam crianças na Colômbia

Por Dialogo
outubro 28, 2013



O Exército Nacional resgatou dezenas de adolescentes que eram forçados a cometer crimes para as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).
Autoridades transferiram os adolescentes para o Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar (ICBF) para proteger, reabilitar e prevenir que eles voltem para as organizações criminosas.
“Os menores eram recrutados tanto por vontade própria quanto à força”, disse Catalina Niño, da fundação Friedrich Ebert Stiftung na Colômbia (FESCOL). “Os grupos do crime organizado oferecem a eles dinheiro, armas e reconhecimento em troca de eles se tornarem membros. Devido à pressão e às ameaças, os menores são forçados a cometer crimes contra a sociedade civil. O recrutamento é cruel e difícil de controlar; é um enorme desafio para as autoridades.”
O ICBF relatou que 177 crianças foram resgatadas de grupos criminosos este ano – um aumento de 42,7% em comparação com o mesmo período do ano passado. Desde 1999, 5.252 menores foram resgatados das organizações criminosas, dos quais 72% são meninos e 28% são meninas.
Segundo o Ministério da Defesa, o recrutamento forçado de menores realizado pelos grupos do crime organizado continua a ser praticado. Esse fenômeno chegou às escolas, campos de futebol e festas. Os grupos do crime organizado dão presentes, geralmente engenhocas tecnológicas, para atrair os menores para tornarem-se membros dessas quadrilhas.
Além dos estados Atlántico, Amazonas, Risaralda, Quindío e San Andrés, o fenômeno de recrutar menores à força ocorre no resto dos estados colombianos, de acordo com relatórios publicados. A Colômbia possui 32 estados.
As FARC, o Exército de Libertação Nacional (ELN), Los Rastrojos, Los Urabeños e outras organizações criminosas preferem recrutar crianças que são quietas, sérias, fortes e pobres, de acordo com o site de notícias Verdad Abierta. Os grupos preferem cooptar meninas bonitas.
O documentário “Buchas de diferentes canhões” relatou que grupos do crime organizado recrutam meninos para trabalhar como mensageiros, para transportar drogas, assim como para trabalhar em minas ilegais, laboratórios de metanfetaminas e até como assassinos de aluguel, enquanto as meninas são forçadas se prostituir. Os que se recusam são mortos. Estudos recentes sugerem que cerca de 18.000 crianças estão envolvidas em grupos armados ilegais e são recrutadas bem novas, aos 12 anos de idade.
De acordo com Catalina Niño, os militares estão fazendo a diferença: “Graças às operações bem-sucedidas das Forças Armadas nos últimos meses, muitas crianças foram resgatadas de grupos do crime organizado.”

Alguns casos bem-sucedidos recentemente:

• Em 13 de setembro, efetivos do Exército colombiano resgataram duas meninas, uma de 14 e outra de 15 anos, no município de Puerto Guzmán, em Putumayo. As menores disseram que foram membros das FARC.
• Em 29 de agosto, o Exército colombiano resgatou um adolescente de 16 anos no município de Amalfi, Antioquia. O garoto afirmou ser membro de Los Rastrojos. Ele disse que se entregou porque estava “cansado de lutar e viver no escuro”. Ele disse ao Exército que queria uma vida nova, ficar perto da família e longe das armas que usava quando trabalhava para o grupo criminoso.
• Em 13 de abril, efetivos do Exército colombiano resgataram cinco menores de idade no departamento de Chocó. Suas idades eram entre 10 e 17 anos. Os menores alegaram ser membros do ELN.


isto foi difícil
Share