Conferência Sul-Americana de Defesa aborda desafios do domínio espacial e conscientização cibernética

Conferência Sul-Americana de Defesa aborda desafios do domínio espacial e conscientização cibernética

Por Steven McLoud/Diálogo
agosto 23, 2021

Destacando as ameaças comuns e também os interesses compartilhados, o Almirante de Esquadra Craig S. Faller, da Marinha dos EUA, comandante do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM), falou aos líderes militares na Conferência Sul-Americana de Defesa (SOUTHDEC, em inglês) anual, realizada este ano em Miami, Flórida, nos dias 17 e 18 de agosto.

Desde o combate às ameaças, tais como a atual pandemia da COVID-19 e as organizações criminosas transnacionais que traficam armas, pessoas e drogas, até a resposta aos desastres naturais, incluindo furacões e o recente terremoto no Haiti em 14 de agosto, o Alte Esq Faller destacou que esses desafios são complexos e estão inter-relacionados, e por isso todos devem trabalhar como uma equipe.

“Por isso a SOUTHDEC é tão importante. Essa é uma oportunidade que temos de sincronizar-nos, compartilhar as melhores práticas e lições aprendidas e aprimorar a interoperabilidade”, disse o Alte Esq Faller. “Ao fazer isso, passamos a conhecer-nos melhor uns aos outros, falando o mesmo idioma, tanto literalmente como em sentido figurado, para que possamos trabalhar juntos ininterruptamente quando for necessário.”

Líderes militares do Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname e Uruguai participaram da conferência presencialmente, enquanto os da Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Peru assistiram virtualmente.

“Devido às questões geopolíticas em todo o mundo, a órbita estacionária e o espectro eletromagnético têm vital importância para o desenvolvimento e a segurança do nosso país”, disse o Vice-Almirante Jorge Cabrera, chefe do Comando Conjunto das Forças Armadas do Equador, referindo-se a um dos tópicos discutidos. “Isso motiva a implementação de políticas de defesa que nos permitam manter e controlar os direitos de soberania e jurisdição nessa dimensão.”

Entre os temas discutidos estavam os desafios emergentes do domínio espacial, bem como a guerra cibernética. Com um aumento nas atividades espaciais que resultaram em um domínio congestionado, que ameaça as comunicações via satélite e os sistemas de navegação, os líderes militares abordaram a forma como o espaço afetará os esforços de segurança nacional em longo prazo.

“Acho que o estudo do ciberespaço, com todas as possibilidades existentes, é extremamente importante atualmente e nessa era”, disse o General de Exército Gustavo Fajardo, comandante das Forças Armadas do Uruguai. “Sem dúvida, em um mundo eletrônico, o mundo cibernético é uma ameaça viável no futuro, como vemos hoje”, acrescentou.

Em um momento agridoce, o Alte Esq Faller ressaltou que a SOUTHDEC 21 será sua última conferência de defesa como comandante, já que ele se aposentará no final do ano.

“Quando olho ao redor desta sala, vejo mais do que apenas parceiros militares. Eu vejo amigos. Amigos com os quais eu criei relações pessoais ao longo dos últimos três anos no SOUTHCOM”, disse o Alte Esq Faller, referindo-se a países como o Brasil e a Colômbia, com os quais ele criou vínculos especiais, antes de mencionar o restante da região sul-americana envolvida no UNITAS – o exercício marítimo multinacional anual mais antigo do mundo. “Eu penso em nossa interconectividade geográfica, histórica e cultural. Eu penso em nosso profissionalismo militar, como compartilhamos valores democráticos, como o Estado de direito, eleições livres e justas, igualdade de gênero e direitos humanos. E como continuamos conquistando a confiança e a legitimidade dos cidadãos de nossas nações.”

Share