Forças de segurança norte-americanas e colombianas trabalham em parceria para apreender 270 quilos de cocaína

Por Dialogo
dezembro 08, 2014



Trabalhando em cooperação, forças de segurança da Colômbia e dos EUA apreenderam em 3 de dezembro 270 kg de cocaína que membros do crime organizado haviam planejado transportar dentro do casco de um navio porta-contêiner ancorado no porto de Cartagena.

A Marinha colombiana, a Unidade de Investigação de Crimes Transnacionais da Procuradoria-Geral e o Adido-Assistente em Cartagena trabalharam com o Serviço de Imigração e Controle de Aduanas (ICE) e agentes do Departamento de Investigações Internas (HSI) dos EUA para localizar e apreender a cocaína. As forças de segurança encontraram a droga dentro de uma residência perto do porto, onde prenderam um homem colombiano ligado à apreensão. Eles não revelaram imediatamente a qual organização narcotraficante pertenceria a cocaína, mas informaram que traficantes planejavam transportar a droga para os Estados Unidos.

“Por meio de operações como esta, a comunidade mundial de órgãos de segurança está enviando uma mensagem forte para as organizações narcotraficantes em qualquer lugar, dizendo: nós estamos aqui, estamos unidos e iremos atrás de vocês”, disse o adido-assistente em Cartagena, Fernando Plascencia, em nota. “Eu elogio o governo colombiano por seus esforços incansáveis para alcançar as organizações e pessoas envolvidas nessa atividade ilegal que prejudica tantos.”

Polícia espanhola captura suspeitos colombianos


A polícia espanhola capturou recentemente 12 suspeitos de quatro países, incluindo Colômbia e Peru, durante o desmantelamento de um laboratório de cocaína.

Os suspeitos não foram identificados pelos nomes, mas eram cinco colombianos, cinco espanhóis, um peruano e um nigeriano. Eles processavam “quantidades significativas” de cocaína em um laboratório no município de Níjar e depois contrabandeavam as drogas, misturadas com farinha óleo de palma, para a Espanha.

A polícia prendeu os suspeitos em Madri, Almería, Toledo e Cádiz após meses de vigilância. Os policiais também apreenderam 229 kg de cocaína, armas e equipamentos utilizados para processar a droga.

“É a primeira vez que foi desarticulado na Espanha um laboratório que utilizava práticas semelhantes às utilizadas pelas organizações narcotraficantes em laboratórios na selva na Colômbia, onde um alcaloide é extraído da folha de coca e depois processado”, informou a polícia espanhola.

As prisões foram o resultado de uma investigação iniciada pela polícia espanhola em dezembro de 2013, depois de ter sido informada por autoridades colombianas e norte-americanas de que uma organização narcotraficante colombiana tentaria contrabandear uma grande carga de cocaína para a Espanha.

USS Vandegrift apreende 873 kg de cocaína como parte da Operação MARTILLO


O USS Vandergrift e o Destacamento Legal da Guarda Costeira (LEDET) apreenderam 873 kg de cocaína de um barco pequeno na costa centro-americana do Oceano Pacífico, em apoio à Operação MARTILLO em 14 de novembro.

Helicópteros do Vandegrift avistaram o barco em uma área conhecida por ser frequentada por narcotraficantes. Quando a tripulação do barco jogou 22 fardos da carga na água, os agentes do LEDET os recuperaram. Os testes dos fardos deram resultado positivo para cocaína. As autoridades militares norte-americanas não divulgaram imediatamente se foram efetuadas prisões durante a ação.

A operação MARTILLO reúne as forças de 14 países das Américas – Belize, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Canadá e Estados Unidos –, além de França, Holanda, Espanha e Reino Unido. Esses países trabalham juntos para combater o tráfico internacional de drogas, aumentar a segurança regional, promover a paz, estabilidade e prosperidade em toda a região do Caribe, da América Central e América do Sul.

As interdições no mar são altamente coordenadas, com as forças de segurança dos países participantes trabalhando em parceria para identificar, barrar e fazer buscas em embarcações suspeitas.


Trabalhando em cooperação, forças de segurança da Colômbia e dos EUA apreenderam em 3 de dezembro 270 kg de cocaína que membros do crime organizado haviam planejado transportar dentro do casco de um navio porta-contêiner ancorado no porto de Cartagena.

A Marinha colombiana, a Unidade de Investigação de Crimes Transnacionais da Procuradoria-Geral e o Adido-Assistente em Cartagena trabalharam com o Serviço de Imigração e Controle de Aduanas (ICE) e agentes do Departamento de Investigações Internas (HSI) dos EUA para localizar e apreender a cocaína. As forças de segurança encontraram a droga dentro de uma residência perto do porto, onde prenderam um homem colombiano ligado à apreensão. Eles não revelaram imediatamente a qual organização narcotraficante pertenceria a cocaína, mas informaram que traficantes planejavam transportar a droga para os Estados Unidos.

“Por meio de operações como esta, a comunidade mundial de órgãos de segurança está enviando uma mensagem forte para as organizações narcotraficantes em qualquer lugar, dizendo: nós estamos aqui, estamos unidos e iremos atrás de vocês”, disse o adido-assistente em Cartagena, Fernando Plascencia, em nota. “Eu elogio o governo colombiano por seus esforços incansáveis para alcançar as organizações e pessoas envolvidas nessa atividade ilegal que prejudica tantos.”

Polícia espanhola captura suspeitos colombianos


A polícia espanhola capturou recentemente 12 suspeitos de quatro países, incluindo Colômbia e Peru, durante o desmantelamento de um laboratório de cocaína.

Os suspeitos não foram identificados pelos nomes, mas eram cinco colombianos, cinco espanhóis, um peruano e um nigeriano. Eles processavam “quantidades significativas” de cocaína em um laboratório no município de Níjar e depois contrabandeavam as drogas, misturadas com farinha óleo de palma, para a Espanha.

A polícia prendeu os suspeitos em Madri, Almería, Toledo e Cádiz após meses de vigilância. Os policiais também apreenderam 229 kg de cocaína, armas e equipamentos utilizados para processar a droga.

“É a primeira vez que foi desarticulado na Espanha um laboratório que utilizava práticas semelhantes às utilizadas pelas organizações narcotraficantes em laboratórios na selva na Colômbia, onde um alcaloide é extraído da folha de coca e depois processado”, informou a polícia espanhola.

As prisões foram o resultado de uma investigação iniciada pela polícia espanhola em dezembro de 2013, depois de ter sido informada por autoridades colombianas e norte-americanas de que uma organização narcotraficante colombiana tentaria contrabandear uma grande carga de cocaína para a Espanha.

USS Vandegrift apreende 873 kg de cocaína como parte da Operação MARTILLO


O USS Vandergrift e o Destacamento Legal da Guarda Costeira (LEDET) apreenderam 873 kg de cocaína de um barco pequeno na costa centro-americana do Oceano Pacífico, em apoio à Operação MARTILLO em 14 de novembro.

Helicópteros do Vandegrift avistaram o barco em uma área conhecida por ser frequentada por narcotraficantes. Quando a tripulação do barco jogou 22 fardos da carga na água, os agentes do LEDET os recuperaram. Os testes dos fardos deram resultado positivo para cocaína. As autoridades militares norte-americanas não divulgaram imediatamente se foram efetuadas prisões durante a ação.

A operação MARTILLO reúne as forças de 14 países das Américas – Belize, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Canadá e Estados Unidos –, além de França, Holanda, Espanha e Reino Unido. Esses países trabalham juntos para combater o tráfico internacional de drogas, aumentar a segurança regional, promover a paz, estabilidade e prosperidade em toda a região do Caribe, da América Central e América do Sul.

As interdições no mar são altamente coordenadas, com as forças de segurança dos países participantes trabalhando em parceria para identificar, barrar e fazer buscas em embarcações suspeitas.
Share