Presidente colombiano concentrará luta antinarcóticos em 6 departamentos

Por Dialogo
maio 05, 2015



As Forças Armadas da Colômbia e a Polícia Nacional combaterão o narcotráfico e grupos do crime organizado concentrando-se nos seis departamentos mais afetados do país, disse o presidente Juan Manuel Santos, em uma reunião com o Conselho de Segurança Nacional e autoridades militares.

“Desde o início de 2015, reduzimos as ações do crime organizado em 50%. Cerca de 30 chefes ou líderes foram presos e mais de 420 dos seus membros foram capturados.”

Santos afirmou que as prisões recentes de 79 supostos membros do Clã Úsuga, uma das organizações narcotraficantes mais poderosas do país, mostram que ele continua fazendo do combate ao crime uma prioridade. Ele também previu que haverá “muitas outras” capturas no futuro próximo.

De acordo com o plano, o governo reforçará as forças em Acandí e Unguía, no estado de Chocó; Necoclí, Turbo e San Pedro de Urabá, no departamento de Antioquia; Montelíbano e Tierralta, no departamento de Córdoba; Achí, no departamento de Bolívar; Tibú, no departamento de Norte de Santander, e Mapiripán, no departamento de Meta.

Em março, o presidente Santos enviou um total de 1.200 militares das Forças Armadas e agentes da Polícia Nacional, além de cerca de 20 helicópteros Black Hawk, à região noroeste do país como parte da Operação “Toma Masiva del Urabá”, com o objetivo de capturar membros da Clã Úsuga.

A operação utiliza a Força-Tarefa Neptuno, que reúne 12 forças-tarefas existentes e inclui membros do Exército, da Força Aérea, Marinha e Polícia Nacional.


As Forças Armadas da Colômbia e a Polícia Nacional combaterão o narcotráfico e grupos do crime organizado concentrando-se nos seis departamentos mais afetados do país, disse o presidente Juan Manuel Santos, em uma reunião com o Conselho de Segurança Nacional e autoridades militares.

“Desde o início de 2015, reduzimos as ações do crime organizado em 50%. Cerca de 30 chefes ou líderes foram presos e mais de 420 dos seus membros foram capturados.”

Santos afirmou que as prisões recentes de 79 supostos membros do Clã Úsuga, uma das organizações narcotraficantes mais poderosas do país, mostram que ele continua fazendo do combate ao crime uma prioridade. Ele também previu que haverá “muitas outras” capturas no futuro próximo.

De acordo com o plano, o governo reforçará as forças em Acandí e Unguía, no estado de Chocó; Necoclí, Turbo e San Pedro de Urabá, no departamento de Antioquia; Montelíbano e Tierralta, no departamento de Córdoba; Achí, no departamento de Bolívar; Tibú, no departamento de Norte de Santander, e Mapiripán, no departamento de Meta.

Em março, o presidente Santos enviou um total de 1.200 militares das Forças Armadas e agentes da Polícia Nacional, além de cerca de 20 helicópteros Black Hawk, à região noroeste do país como parte da Operação “Toma Masiva del Urabá”, com o objetivo de capturar membros da Clã Úsuga.

A operação utiliza a Força-Tarefa Neptuno, que reúne 12 forças-tarefas existentes e inclui membros do Exército, da Força Aérea, Marinha e Polícia Nacional.
Share