Forças Armadas da Colômbia neutralizam criminoso do ELN

Colombian Armed Forces Neutralize ELN Criminal

Por Yolima Dussán/Diálogo
setembro 19, 2018

A carreira criminosa de um dos líderes mais procurados da organização guerrilheira Exército de Libertação Nacional (ELN) terminou no dia 26 de julho de 2018. Jacobo David Acuña Celis, terrorista conhecido como Samuelito, Samuel ou El Profe, foi neutralizado em uma operação conjunta das Forças Armadas da Colômbia, no município de San Pablo, no sul do estado de Bolívar.

“Ele era um alvo de grande valor. Participou dos sequestros do prefeito de Simití e do prefeito de San Pablo”, disse em entrevista coletiva Luis Carlos Villegas, ministro da Defesa da Colômbia. “Em Santa Rosa del Sur, ele comandou o sequestro de um avião Fokker da Avianca e o sequestro de 60 pessoas na comarca de Moralitos, também em Bolívar. Ele sequestrou também o prefeito de Santa Rosa del Sur e ordenou o assassinato do candidato à Prefeitura de San Pablo, para citar apenas alguns de seus crimes.”

Operação de precisão

A informação de inteligência alertou quanto à presença do terrorista na região e foi ordenada a ação contra o delinquente. Tropas do Comando Conjunto de Operações Especiais (CCOES) o neutralizaram em uma intervenção sem combate, informou à imprensa a Polícia Nacional.

“A Direção de Inteligência da Polícia Nacional seguia a pista do delinquente há um ano e, graças a fontes humanas e meios eletrônicos, descobriram, na terceira semana de julho, que ele havia se deslocado para o sul de Bolívar para se encontrar com uma mulher”, acrescentou a Polícia. “A operação incluiu a infiltração de militares na região para confirmar sua presença na área rural de San Pablo. O insurgente percebeu a presença dos militares e tentou fugir; nesse momento, então, foi neutralizado.”

“Talvez ele tenha sido o alvo mais importante do ELN que neutralizamos neste ano [2018]”, disse em entrevista coletiva o General-de-Brigada do Exército da Colômbia Jorge Arturo Salgado Restrepo, comandante do CCOES. “Ele pertencia à direção nacional do ELN e era coordenador direto da frente de guerra Darío Ramírez Castro, cujas ações criminosas se estendiam por toda a região de Catatumbo, no sul de Bolívar e no nordeste da Antióquia. Esse é um resultado em nível estratégico que afeta o sistema de comando e controle do grupo armado.”

Extenso prontuário

Samuelito pertencia à guerrilha do ELN há 30 anos. Ele fez parte do Estado-Maior do ELN e depois foi promovido à direção nacional do grupo insurgente. A partir de diversas frentes e sob o comando de vários líderes, ele construiu um extenso prontuário de delitos.

Ele foi responsável por diversos atos terroristas contra a força pública e a população civil. Tinha ordem de prisão por homicídio e em sua lista figura também o assassinato de dois párocos da Igreja Católica no município de Convención, no Norte de Santander, além de dedicar-se ao tráfico e à fabricação de entorpecentes. “Trata-se de mais um exemplo de que as forças devem trabalhar em equipe para que possam atingir grandes resultados em favor da segurança dos colombianos”, disse o General-de-Brigada José Ángel Mendoza Guzmán, subdiretor da Polícia Nacional. “Essa é uma operação que teve a inteligência realizada pela Polícia, baseada em fontes humanas e de inteligência eletrônica, graças às quais conseguimos descobrir todos os movimentos desse indivíduo e planejar sua neutralização de maneira conjunta com o Exército.”

De acordo com o boletim de inteligência da Polícia Nacional, Samuelito vivia rodeado de mulheres; ele tinha uma grande obsessão pelas profissionais do sexo. Essa característica contribuiu para sua localização e neutralização.

“Com essa operação, o Caribe e o nordeste colombiano conquistam um terreno importante em termos de segurança, o que deve repercutir na segurança de seus líderes sociais. Essa operação é um resultado importante e uma mensagem direta para esse grupo que sofreu um duro golpe em sua estrutura. Esse indivíduo era o braço direito do elemento conhecido como Gabino, membro do comando central do ELN”, concluiu o Gen Bda Mendoza.
Share