Aviões B-52H dos EUA treinam com a Força Aérea Colombiana e a Marinha do Equador

Aviões B-52H dos EUA treinam com a Força Aérea Colombiana e a Marinha do Equador

Por Segundo-Sargento Angela Ruiz, 12ª Força Aérea (Forças Aéreas do Sul)
dezembro 04, 2020

Duas aeronaves B-52H Stratofortress da Força Aérea dos EUA participaram do exercício Escudo de Fraternidade, comandado pela Força Aérea Colombiana, e do UNITAS LXI, liderado pela Marinha do Equador, na área de responsabilidade do Comando Sul dos EUA, no dia 8 de novembro de 2020.

Essa missão dupla começou muito antes das tripulações dos B-52 decolarem naquela manhã; houve inúmeras teleconferências e reuniões de planejamento para coordenar os exercícios combinados de treinamento entre a Força Aérea dos EUA e as forças armadas das nossas nações parceiras.

O Escudo de Fraternidade foi a primeira missão a ser concluída para celebrar o 101º aniversário da Força Aérea Colombiana. As tripulações dos B-52H apoiaram os pilotos dos caças Kfir da Força Aérea Colombiana em treinamento de interceptação no ar, desenvolvendo, ao mesmo tempo, capacidades de interoperabilidade para aumentar a segurança do hemisfério e a estabilidade da região, segundo os padrões da Organização do Tratado do Atlântico Norte, entre os Estados Unidos e a Colômbia.

O Major da Força Aérea dos EUA Angel Serna, oficial administrativo da 12ª Força Aérea (Força Aérea do Sul) para a Colômbia, explicou que o nome do exercício, Escudo de Fraternidade, surgiu do relacionamento próximo entre a Força Aérea dos EUA e a Força Aérea Colombiana. Durante essa missão de treinamento, os Kfirs colombianos voaram em formação com os B-52H da Força Aérea dos EUA para protegê-los dos combatentes inimigos.

“Sempre que temos o privilégio de atuar com nossos aliados em uma integração de combate ou exercício naval, nos sentimos entusiasmados”, disse o Capitão da Força Aérea dos EUA Joshua Henry, piloto de B-52H do 96º Esquadrão de Bombas e comandante da missão. “Identificamos muitas semelhanças nos métodos usados pelos colombianos para realizar seu treinamento de interceptação, e trabalhar com o exercício UNITAS também resultou ser muito benéfico. Desenvolver ainda mais nossas táticas, técnicas e procedimentos com a marinha é sempre produtivo para nós, como militares do ar, já que não é sempre que temos a oportunidade de treinar de maneira consistente e em tempo real com recursos navais.”

O UNITAS é um exercício naval anual realizado nas águas do Atlântico e do Pacífico nas Américas Central e do Sul. A Marinha do Equador sediou o exercício deste ano entre os dias 2 e 11 de novembro, com participantes de 11 países. As tripulações dos B-52 se integraram e treinaram com as forças conjuntas no UNITAS, para que a Marinha do Equador proporcionasse às forças navais uma capacidade de alvo dinâmico simulado.

“Eu não tinha trabalhado antes com os militares colombianos ou equatorianos, mas sempre que nós, como uma comunidade, temos a oportunidade de trabalhar com as nações parceiras, aprendemos muito”, disse o Cap Henry. “A Colômbia e o Equador foram muito profissionais e grande parte das lições que aprendemos foram desenvolvidas nas etapas de planejamento.”

Share