Doze países se reúnem no SOUTHCOM para discutir táticas de Operações de Informações

Twelve countries gather at Southcom to discuss Information Operations tactics

Por Dialogo
abril 25, 2014



Com o objetivo de fortalecer a cooperação para segurança no Hemisfério Ocidental e criar um fórum para que as nações discutam as estratégias de Operações de Informações (IO), doutrinas, organizações, requisitos de planejamento, restrições legais e integração às operações, os Comandos Norte e Sul dos EUA copatrocinaram um intercâmbio entre militares das Bahamas, Belize, Canadá, Chile, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Peru e Estados Unidos que se reuniram na sede do SOUTHCOM, em Miami. Participaram também representantes dos gabinetes de Relações Públicas, Comunicações Estratégicas e Assuntos Civis do NORTHCOM e do SOUTHCOM. O Intercâmbio entre Especialistas em Questões Específicas (SMEE, por sua sigla em inglês) – o terceiro do gênero – foi realizado entre os dias 22 e 25 de abril.
Em suas considerações de abertura, o Brigadeiro Mark Nowland, diretor de pessoal do SOUTHCOM, disse: “A coisa mais importante [para os participantes] é estabelecer vínculos e redes e atuar neles o mais rápido possível. O valor do compartilhamento de informações e ideias é inestimável”. Já o Coronel Miguel Hobbs, chefe da divisão de IO (J39) do SOUTHCOM, acrescentou: “as Operações de Informações devem ser sempre coordenadas, sincronizadas e integradas com outras ações e mensagens. Esse SMEE ajudou a aumentar a colaboração das nações parceiras para construir uma capacidade sinérgica de IO para o campo de batalha”.
Cada país teve 30 minutos para suas apresentações e para responder a perguntas durante os dois primeiros dias da conferência. A partir daí, os representantes foram divididos em grupos de trabalho para avaliar as situações e trabalhar em uma apresentação combinada, posteriormente compartilhada com as demais nações.
O tenente-coronel do Exército hondurenho Norman Ayax Medrano Sandoval ressaltou que “muitas ideias compartilhadas nesta semana podem ser levadas para nossos países de origem. Esta foi a primeira vez em que participei desse SMEE e foi uma grata surpresa ver como tudo foi discutido aqui”.
A conferência ofereceu um espaço a cada país participante para aprender como as demais nações parceiras respondem e enfrentam as ameaças comuns. Os participantes de várias nações enfatizaram a ameaça comum do crime organizado transnacional e do tráfico ilegal de armas e pessoas como um grave desafio à segurança nacional.
Representantes de todas as nações parceiras participantes disseram que pretendem continuar a reforçar seus vínculos e melhorar a interoperacionalidade com o SOUTHCOM, o NORTHCOM e entre si. “Os conhecimentos que adquirimos durante esse SMEE foram fenomenais. Acredito que poderemos voltar para nossos países de origem e orientar nossas unidades quanto ao que aprendemos e ao que foi dito aqui. Estou certo de que todos nós aguardamos ansiosos outros eventos como esse com nossos homólogos. Ele proporcionou lições e experiências únicas entre cada nação participante”, concluiu o coronel do Exército colombiano Oscar Lopez Barreto.





As parcerias conjuntas de todos estes países são extraordinárias. Bom trabalho. Um bom exercício para a construção da convivência na região.
Share