Segurança da fronteira e do hemisfério é discutida em audiência

Segurança da fronteira e do hemisfério é discutida em audiência

Por David Vergun/DOD News
abril 02, 2021

O aumento da migração através da fronteira sul, as ameaças que a China impõe ao hemisfério ocidental e as soluções para esses e outros problemas foram discutidos no dia 16 de março de 2021, em uma audiência no Comitê dos Serviços Armados do Senado dos EUA.

O Tenente Brigadeiro do Ar da Força Aérea dos EUA Glen D. VanHerck e o Almirante de Esquadra da Marinha dos EUA Craig S. Faller deram depoimentos na audiência. O Ten Brig Ar VanHerck é o comandante do Comando Norte dos EUA e do Comando de Defesa Aeroespacial Norte-Americano; o Alte Esq Faller é o comandante do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM).

“Agora, mais do que nunca, eu sinto a urgência quanto às ameaças globais que enfrentamos aqui na vizinhança. Essa região é nosso lar. Essa vizinhança é nosso lar. É uma vizinhança compartilhada. É um hemisfério de vital interesse nacional para os Estados Unidos”, disse o Alte Esq Faller.

 

Agora, mais do que nunca, eu sinto a urgência quanto às ameaças globais que enfrentamos aqui na vizinhança. Essa região é nosso lar. Essa vizinhança é nosso lar. É uma vizinhança compartilhada. É um hemisfério de vital interesse nacional para os Estados Unidos”, Esq Faller, comandante do Comando Sul dos EUA.

 

As ameaças mais significativas ao hemisfério são a China e as organizações criminosas transnacionais, afirmou.

Paraquedistas da 82ª Divisão Aerotransportada da Equipe de Combate da 3ª Brigada do Exército dos EUA e soldados brasileiros planejam uma estratégia operacional no Centro de Treinamento de Prontidão Conjunta no Fort Polk, Luisiana, em 6 de fevereiro de 2021. (Foto: Soldado do Exército dos EUA Vincent Levelev)

O Partido Comunista chinês, com sua influência insidiosa e corrupta, busca o domínio econômico regional e global, sob sua própria ótica da ordem internacional baseada em regras, disse o Alte Esq Faller.

Como prova, ele disse que a China está aumentando rapidamente sua influência aqui nas Américas, negociando mais de 40 acordos portuários, distribuindo empréstimos vultosos para obter influência política e econômica, avançando sua própria estrutura de tecnologia da informação e realizando práticas predatórias que incluem a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada, a mineração e o desmatamento.

“Já vimos muitas dessas táticas na Ásia e na África. Não podemos permitir que prevaleçam aqui em nossa vizinhança”, acrescentou.

As organizações criminosas transnacionais representam uma ameaça direta à segurança nacional dos EUA, disse o Alte Esq Faller. Elas traficam armas, pessoas e drogas perigosas que custam dezenas de milhares de vidas americanas todos os anos.

“Essas táticas criminosas fizeram com que 43 das 50 cidades mais violentas do mundo pertencessem a esse hemisfério, causando a migração ilegal, permitindo que agentes malignos como a China ganhem influência”, declarou.

Dezenas de nações, incluindo Brasil e Colômbia, vêm realizando operações de combate ao crime transnacional e designaram parte de suas forças ao treinamento de alto nível nos Estados Unidos, disse o oficial ao elogiar seus esforços.

O Alte Esq Faller mencionou que a Administração para o Controle de Drogas indicou a lavagem de dinheiro dos chineses como a principal financiadora das organizações criminosas transnacionais.

Em outro tópico, o Alte Esq Faller disse que a pandemia da COVID-19 e os dois furacões afetaram duramente esse hemisfério. De acordo com o Fundo Monetário Internacional, as economias da América Latina e do Caribe encolheram 7,4 por cento em 2020.

“Os impactos da pandemia, como uma verdadeira tempestade, afetarão o hemisfério nos próximos anos”, afirmou o Alte Esq Faller.

Para aliviar o sofrimento, o SOUTHCOM se dispôs a realizar programas de assistência humanitária, contribuindo com mais de 450 projetos em 2020 em 28 nações, disse.

“Em termos gerais, os Estados Unidos são o líder da assistência humanitária na América Latina e no Caribe”, acrescentou.

O SOUTHCOM também trabalha diariamente para desenvolver a prontidão entre seus parceiros militares, através da cooperação de segurança, disse o Alte Esq Faller. Aí se incluem a criação de capacidade institucional, treinamento legal, educação e exercícios.

“Nós trabalhamos para desenvolver as forças militares profissionais que sabem como combater e usar a força militar legalmente”, declarou o Alte Esq Faller, acrescentando que o SOUTHCOM também se concentra no treinamento dos direitos humanos, em programas para ajudar as mulheres, programas de paz e segurança e desenvolvimento de graduados.

Um pequeno aumento nos investimentos nesses programas e inteligência, vigilância e reconhecimento seriam particularmente úteis para ajudar as nações parceiras, acrescentou o Alte Esq Faller, dizendo que o SOUTHCOM só recebe cerca de 1 por cento das capacidades de inteligência, vigilância e reconhecimento do Departamento de Defesa.

O Alte Esq Faller também elogiou a Guarda Costeira dos EUA, que trabalha junto com outras forças militares e nações parceiras na região.

Mais tarde, no mesmo dia, o Alte Esq Faller e o Ten Brig Ar VanHerck também deram uma entrevista coletiva no Pentágono, onde falaram sobre tópicos relacionados.

O Alte Esq Faller disse que Cuba, Rússia, Irã e China apoiam um regime corrupto na Venezuela que abriga terroristas transnacionais. Ele disse que esforços multinacionais devem ser feitos para pressionar o regime.

Share