Segundo voo hipersônico traz novos dados para o teste de voo

Por Dialogo
julho 08, 2011


Um segundo teste do X-51A Waverider foi realizado na Área de Testes Aéreos e Navais de Point Mugu, sobre o Oceano Pacífico, trazendo importantes dados sobre as pesquisas hipersônicas.

A aeronave hipersônica foi lançada com sucesso pouco acima do Mach 5 e o motor estato-reator funcionou, mas não conseguiu passar para o poder total.

Oficiais do Centro de Testes de Voos da Força Aérea disseram, após um voo impecável da Base Edwards da Força Aérea, que um B-52H Stratofortress, da Força Aérea dos EUA, liberou o veículo experimental de uma altitude aproximada de 50 mil pés. Após a liberação, o X-51A foi inicialmente acelerado por um lançador de foguetes sólido com uma velocidade pouco acima do Mach 5.

De acordo com Charlie Brink, administrador do programa X-51A do Laboratório de Pesquisas da Força Aérea, engenheiros dos EUA estão revisando uma grande quantidade de dados telemétricos durante o voo teste para identificar a causa da anomalia.

“Obviamente estamos desapontados e esperávamos melhores resultados”, disse Brink, “mas estamos muito satisfeitos com os dados obtidos nesse voo”.

“Estou imensamente satisfeito com o apoio e a execução dessa complexa missão de teste de voo do AFFTC e de Point Mugu, visto que tivemos todas as oportunidades de sucesso nessa empreitada”, disse Brink. “Fizemos duas experiências com estato-reatores agora, sendo que uma funcionou e a outra não”.

“Continuaremos a examinar os dados para aprendermos ainda mais sobre essa nova tecnologia”, disse ele. “A cada vez em que testamos essa nova e apaixonante tecnologia nos aproximamos ainda mais do sucesso”.

A Boeing e a Pratt & Whitney Rocketdyne construíram quatro veículos de teste de voo X-51A com o objetivo de atingir o voo hipersônico Mach 6. A próxima tentativa de voo está programada para o outono de 2011.



Share