• Home »
  • Uncategory »
  • Salvadoran, Uruguayan Peacekeepers Deploying to Africa Train on Ebola Precautions and Response

Soldados da Paz de El Salvador e Uruguai enviados para a África são treinados sobre precauções e resposta ao Ebola

Salvadoran, Uruguayan Peacekeepers Deploying to Africa Train on Ebola Precautions and Response

Por Dialogo
dezembro 05, 2014




Em um esforço para apoiar as forças de operações de paz de El Salvador e Uruguai (PKO) que se preparam para substituir seus colegas no Mali e na República Democrática do Congo no início de 2015, o Cirurgião em Comando do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) solicitou ao Instituto de Defesa de Operações Médicas (DIMO) que membros da força tivessem um curso sobre precauções, reconhecimento e resposta ao Ebola nestes países no início de dezembro.

“Estes treinamentos foram resultado de um requerimento emergente do SOUTHCOM para ampliar nossa capacidade regional para prevenir um surto de Ebola no Hemisfério Ocidental. O segredo para impedir um surto é o treinamento em prevenção e detecção antecipada, resposta rápida e isolamento/contato... o curso do DIMO sobre prevenção ao Ebola irá abordar todas essas áreas”, disse o Coronel Rudolph Cachuela, Cirurgião em Comando do SOUTHCOM.

Embora o DIMO não esteja normalmente envolvido no treinamento de PKO, eles estão fazendo por solicitação do Escritório do Cirurgião em Comando do SOUTHCOM devido ao surto inesperado desta doença na África Ocidental. Para tanto, o DIMO transformou um curso em prevenção a doenças infecciosas em um com foco no Ebola para que membros da força de El Salvador e Uruguai possam estar preparados. “Embora o risco de nossos soldados da paz das nações parceiras na África se contagiarem com o Vírus da Doença Ebola (VDE) seja baixo, exceto se entrarem em contato direto com pacientes infectados, nós (em coordenação com nossos colegas médicos do Ministério da Defesa) determinamos que o treinamento adicional sobre a prevenção e resposta iria minimizar o risco de um surto do Ebola no Caribe e nas Américas Central e do Sul”, explicou o Cel. Cachuela.

O DIMO funciona como uma agência de serviços duplo, composta de pessoal da Força Aérea e da Marinha comprometidos a oferecer educação e treinamento de alto nível em cuidados com a saúde com foco regional para parceiros em todo o mundo. Eles desenvolvem um currículo para dar cursos com ênfase na construção de laços de saúde internacionais, preparo ao desastre, prevenção a doenças comunicáveis e outros problemas de saúde atuais, fornecendo uma oportunidade única para os Serviços Médicos da Força Aérea e Marinha de contribuir com os parceiros regionais.

Uma equipe do DIMO, com o auxílio de pessoal do Escritório do Cirurgião em Comando, irá realizar uma edição inicial do curso em El Salvador nos dias 2 e 3 de dezembro e, novamente, nos dias 4 e 5 do mesmo mês para membros da força PKO e pessoal médico de Uruguai e El Salvador que serão responsáveis por estas forças durante seu envio para a Missão das Nações Unidas de Estabilização Multidimensional Integrada no Mali (MINUSMA). A equipe, então, dará o curso no Uruguai nos dias 8 e 9 de dezembro para trabalhadores militares de saúde e forças PKO que se preparam para a rotação para a Missão da Nações Unidas de Estabilização na República Democrática do Congo (MONUSCO).

Além de treinar as forças PKO, “a intenção é fornecer um curso ‘treinar-o-treinador’ onde eles possam voltar a seus países e treinar outros trabalhadores da área de saúde”, explicou o Cirurgião em Comando do SOUTHCOM, que arquitetou a resposta médica ao VDE do SOUTHCOM.

Como integrante do contingente salvadorenho que segue para o norte do Mali em 2015, o Tenente-Coronel da Força Aérea de El Salvador Rafael Melara participou do curso em 2 e 3 de dezembro. “É muito importante que recebamos este treinamento por causa do local que estamos indo. Este curso vai nos treinar sobre medidas de prevenção adequadas, nos ensinar sobre a evolução da doença e nos lembrar de práticas de higiene pessoal que nós mesmos temos que manter para um melhor desempenho durante nossas operações de PKO assim que formos enviados”, declarou.

Segundo informações publicadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, desde 28 de novembro, houveram oito casos relatados e confirmados de Ebola (dos quais sete foram confirmados em laboratório e um resultou em morte) no Mali. Em contraste, em 21 de novembro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a República Democrática do Congo livre da transmissão do Ebola depois que o país atingiu a marca mandatória de 42 dias desde que o último caso de Ebola testou negativo duas vezes e foi liberado do hospital local, e nenhum novo caso for detectado. O surto no Congo, entretanto, não tinha relação com o surto atual da doença na África Ocidental.

Com o lema “Parceiros na Saúde Internacional”, a missão do Escritório do Cirurgião em Comando defende a habilitação e sincronização de atividades de saúde para melhorar o preparo da saúde regional e aumentar as capacidades médicas dos militares e forças de segurança de nossas nações parceiras.

Regularmente, o escritório desenvolve e realiza cursos de preparo médico customizados, como o Curso Salva-Vidas de Combate Tático (TCLS) para médicos em combate em 2012, no qual tropas salvadorenhas receberam treinamento de médico peruanos que tomaram o curso quando o Escritório do Cirurgião em Comando o customizou para reforçar a linha de frente das capacidades de resposta médica de militares peruanos enviados para a região do Vale dos Rios Apurimac, Ene e Mantaro, no centro-sul do Peru.

Ao utilizar a abordagem "treinar-o-treinador", os Estados Unidos e suas nações parceiras “pagam adiantado” ao compartilhar o conhecimento recebido, adotando os cursos como seus ao torná-los requisitos padrão no currículo de treinamento médico militar e dos envolvidos em PKO — como é o caso do curso atual sobre precaução, reconhecimento e resposta ao Ebola — e passando para outros militares de nações parceiras.



Em um esforço para apoiar as forças de operações de paz de El Salvador e Uruguai (PKO) que se preparam para substituir seus colegas no Mali e na República Democrática do Congo no início de 2015, o Cirurgião em Comando do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) solicitou ao Instituto de Defesa de Operações Médicas (DIMO) que membros da força tivessem um curso sobre precauções, reconhecimento e resposta ao Ebola nestes países no início de dezembro.

“Estes treinamentos foram resultado de um requerimento emergente do SOUTHCOM para ampliar nossa capacidade regional para prevenir um surto de Ebola no Hemisfério Ocidental. O segredo para impedir um surto é o treinamento em prevenção e detecção antecipada, resposta rápida e isolamento/contato... o curso do DIMO sobre prevenção ao Ebola irá abordar todas essas áreas”, disse o Coronel Rudolph Cachuela, Cirurgião em Comando do SOUTHCOM.

Embora o DIMO não esteja normalmente envolvido no treinamento de PKO, eles estão fazendo por solicitação do Escritório do Cirurgião em Comando do SOUTHCOM devido ao surto inesperado desta doença na África Ocidental. Para tanto, o DIMO transformou um curso em prevenção a doenças infecciosas em um com foco no Ebola para que membros da força de El Salvador e Uruguai possam estar preparados. “Embora o risco de nossos soldados da paz das nações parceiras na África se contagiarem com o Vírus da Doença Ebola (VDE) seja baixo, exceto se entrarem em contato direto com pacientes infectados, nós (em coordenação com nossos colegas médicos do Ministério da Defesa) determinamos que o treinamento adicional sobre a prevenção e resposta iria minimizar o risco de um surto do Ebola no Caribe e nas Américas Central e do Sul”, explicou o Cel. Cachuela.

O DIMO funciona como uma agência de serviços duplo, composta de pessoal da Força Aérea e da Marinha comprometidos a oferecer educação e treinamento de alto nível em cuidados com a saúde com foco regional para parceiros em todo o mundo. Eles desenvolvem um currículo para dar cursos com ênfase na construção de laços de saúde internacionais, preparo ao desastre, prevenção a doenças comunicáveis e outros problemas de saúde atuais, fornecendo uma oportunidade única para os Serviços Médicos da Força Aérea e Marinha de contribuir com os parceiros regionais.

Uma equipe do DIMO, com o auxílio de pessoal do Escritório do Cirurgião em Comando, irá realizar uma edição inicial do curso em El Salvador nos dias 2 e 3 de dezembro e, novamente, nos dias 4 e 5 do mesmo mês para membros da força PKO e pessoal médico de Uruguai e El Salvador que serão responsáveis por estas forças durante seu envio para a Missão das Nações Unidas de Estabilização Multidimensional Integrada no Mali (MINUSMA). A equipe, então, dará o curso no Uruguai nos dias 8 e 9 de dezembro para trabalhadores militares de saúde e forças PKO que se preparam para a rotação para a Missão da Nações Unidas de Estabilização na República Democrática do Congo (MONUSCO).

Além de treinar as forças PKO, “a intenção é fornecer um curso ‘treinar-o-treinador’ onde eles possam voltar a seus países e treinar outros trabalhadores da área de saúde”, explicou o Cirurgião em Comando do SOUTHCOM, que arquitetou a resposta médica ao VDE do SOUTHCOM.

Como integrante do contingente salvadorenho que segue para o norte do Mali em 2015, o Tenente-Coronel da Força Aérea de El Salvador Rafael Melara participou do curso em 2 e 3 de dezembro. “É muito importante que recebamos este treinamento por causa do local que estamos indo. Este curso vai nos treinar sobre medidas de prevenção adequadas, nos ensinar sobre a evolução da doença e nos lembrar de práticas de higiene pessoal que nós mesmos temos que manter para um melhor desempenho durante nossas operações de PKO assim que formos enviados”, declarou.

Segundo informações publicadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, desde 28 de novembro, houveram oito casos relatados e confirmados de Ebola (dos quais sete foram confirmados em laboratório e um resultou em morte) no Mali. Em contraste, em 21 de novembro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a República Democrática do Congo livre da transmissão do Ebola depois que o país atingiu a marca mandatória de 42 dias desde que o último caso de Ebola testou negativo duas vezes e foi liberado do hospital local, e nenhum novo caso for detectado. O surto no Congo, entretanto, não tinha relação com o surto atual da doença na África Ocidental.

Com o lema “Parceiros na Saúde Internacional”, a missão do Escritório do Cirurgião em Comando defende a habilitação e sincronização de atividades de saúde para melhorar o preparo da saúde regional e aumentar as capacidades médicas dos militares e forças de segurança de nossas nações parceiras.

Regularmente, o escritório desenvolve e realiza cursos de preparo médico customizados, como o Curso Salva-Vidas de Combate Tático (TCLS) para médicos em combate em 2012, no qual tropas salvadorenhas receberam treinamento de médico peruanos que tomaram o curso quando o Escritório do Cirurgião em Comando o customizou para reforçar a linha de frente das capacidades de resposta médica de militares peruanos enviados para a região do Vale dos Rios Apurimac, Ene e Mantaro, no centro-sul do Peru.

Ao utilizar a abordagem "treinar-o-treinador", os Estados Unidos e suas nações parceiras “pagam adiantado” ao compartilhar o conhecimento recebido, adotando os cursos como seus ao torná-los requisitos padrão no currículo de treinamento médico militar e dos envolvidos em PKO — como é o caso do curso atual sobre precaução, reconhecimento e resposta ao Ebola — e passando para outros militares de nações parceiras.
Ñ Devemos Etrar nas Vidd dos outros.Mais Vcs Fais ae oq querer.Mais tem q fazer direito,Pra na frente valer ah pena!!!^_^
Share