Policial e guerrilheiro morrem em explosão de bomba no Paraguai

Por Dialogo
abril 23, 2013


Um policial e um guerrilheiro morreram e outros sete militares ficaram feridos no dia 21 de abril, quando uma bomba explodiu em uma pequena localidade a 500 quilômetros ao norte de Assunção, enquanto o Paraguai realizava eleições presidenciais, informaram fontes da Promotoria.



O atentado ocorreu em uma passagem precária em Kurusú de Hierro, a 70 quilômetros de Concepción, em uma região de difícil acesso, quando uma bomba de fabricação caseira explodiu sob um carro da patrulha policial, informou o promotor Joel Cazal, encarregado da investigação.



O militar morto pertencia ao grupo tático da Polícia Nacional e o civil era membro do denominado Exército do Povo Paraguaio (EPP), grupo guerrilheiro que atua na região.



O insurgente consta nos prontuários policiais como plantador de maconha, cultivo que existe em grande escala e clandestinamente na região.



O representante do Ministério Público disse que a bomba explodiu quando um comboio de veículos policiais cruzou uma ponte, no caminho de Kurusé de Hierro, onde pela manhã dois desconhecidos que viajavam em uma moto dispararam contra o comissariado local.



O chefe da Polícia Nacional do estado de Concepción, comissário Saturnino Gamarra, disse que os guerrilheiros montaram uma armadilha para a força “porque esperavam que viéssemos em auxílio à sede policial atacada”.



A camioneta policial era de uso habitual de Gamarra. Ele fazia um patrulhamento em helicóptero quando ocorreu o atentado, informaram porta-vozes da chefatura policial do estado.



Já era noite e os reforços policiais ainda não haviam chegado a Kurusú de Hierro, por temor de que existissem mais bombas, informaram as fontes.






Share