Peru organizará cúpula antidrogas no primeiro semestre de 2012

Por Dialogo
agosto 29, 2011


O governo peruano anunciou que realizará uma reunião presidencial antidrogas no primeiro semestre de 2012 reunindo os países produtores e consumidores, informou o Primeiro-Ministro Salomón Lerner.



“Será realizada no primeiro semestre de 2012 uma reunião presidencial para combater o narcotráfico com um plano de ação integral baseado na corresponsabilidade dos países produtores e consumidores”, declarou Lerner em uma apresentação no plenário do Congresso, acompanhado por seu gabinete ministerial.



O Chanceler Rafael Roncagliolo informou que o governo já havia iniciado gestões com os Estados Unidos, Colômbia, Bolívia, México e Brasil com vista a esta cúpula, proposta pelo presidente Ollanta Humala por ocasião de sua posse, no dia 28 de julho passado.



O Premier Lerner garantiu perante o Congresso que a política antidrogas será soberana e que o Peru tentará tornar realidade o princípio da responsabilidade compartilhada com os países consumidores.



Ao definir a política antidrogas peruana, o Primeiro-Ministro disse que “seremos inflexíveis no combate às quadrilhas de narcotraficantes e no controle dos insumos químicos” que chegam aos vales de cultivo de coca para a fabricação do cloridrato de cocaína.



“Não legalizaremos qualquer droga nem os cultivos ilícitos; erradicaremos e não permitiremos que os cultivos ilegais continuem aumentando, muito menos nos parques nacionais”, enfatizou.



O governo reiniciou os programas de erradicação da coca na selva central, os quais haviam sido suspensos durante uma semana para que o combate às drogas fosse avaliado e reorientado.



A suspensão suscitou dúvidas e críticas por parte de alguns setores e entre os analistas, que disseram que ela poderia incentivar o aumento dos cultivos da planta.



O Peru é o segundo produtor mundial de folha de coca, com 61.200 hectares, contra 62.000 da Colômbia, que lidera a lista.










Share