Navios da Operação Unitas ocupam o Caribe colombiano

Operation Unitas’ Vessels Take over the Colombian Caribbean

Por Dialogo
setembro 10, 2013


A Marinha Nacional da Colômbia será, pela segunda vez, anfitriã do encontro naval internacional ‘Operação Unitas’, onde em um exercício de fraternidade navios das marinhas de diversos países se reúnem para realizar operações militares simuladas de vários tipos entre os dias 6 e 15 de setembro.



O Caribe colombiano recebe a 54ª edição desse encontro, onde 1.800 marinheiros visitaram a Heroica em 16 navios e dois submarinos, com os quais realizam operações combinadas, através do emprego de uma força multinacional, em um ambiente regional no qual se enfrentam ameaças transnacionais e situações complexas de guerra naval.



“Esses exercícios buscam a interoperacionalidade, permitindo que as marinhas do continente possam realizar operações em conjunto e de maneira muito rápida, e que possam realizar exercícios para defender a soberania e atacar os crimes transnacionais e as novas ameaças do narcotráfico, o tráfico de pessoas e exercícios básicos de interdição marítima. O objetivo final é, primordialmente, consolidar os procedimentos e mecanismos que permitam articular uma força multinacional a qualquer momento”, lembrou o Almirante Hernándo Wills Vélez, comandante da Marinha Nacional da Colômbia.



Esse encontro, organizado anualmente pelo Comando Sul dos EUA, busca melhorar as relações de amizade e cooperação mútua entre as marinhas participantes, promover o conhecimento dos Direitos Humanos e o Direito Internacional Humanitário, padronizar os procedimentos de planejamento operacional e aumentar o conhecimento através de simpósios profissionais na fase de porto.



“Para a Colômbia é muito importante ser a organizadora desse exercício, e é um grande desafio para a Marinha colombiana, que nos permitirá continuar a situar as Forças Militares do país como uma referência em âmbito internacional”, acrescentou o Almirante Wills.



A Marinha Nacional participará com uma esquadra de superfície e submarina formada por suas quatro fragatas: a ARC ‘Almirante Padilla’, a ARC ‘Caldas”, a ARC “Antioquia’ e a ARC ‘Independiente’, e seus dois submarinos oceânicos tipo U209A, o ARC ‘Pijao’ e o ARC ‘Tayrona’.



Essas embarcações fazem parte da frota colombiana que foi recentemente reforçada e modernizada na primeira fase do ‘Plano Orión’, no estaleiro colombiano Cotecmar, uma das empresas do Grupo Social e Empresarial da Defesa.



Para a Colômbia esse exercício é essencial, já que a Marinha Nacional se fortalece com o intercâmbio de experiências em combate naval, além da estratégia denominada ‘Cerrando Espacios’ na luta frontal contra o tráfico de entorpecentes, insumos, armas, divisas e a imigração ilegal, para que continuemos apresentando resultados permanentes e contundentes contra o crime transnacional que afeta a tranquilidade e a paz dos colombianos.






Share