Inventado novo dispositivo invisível aos campos magnéticos

Por Dialogo
março 27, 2012


Pesquisadores europeus anunciaram a criação de um dispositivo invisível aos campos magnéticos estáticos, o que poderá ter aplicações práticas militares e médicas.

Este avanço consiste na criação de campos magnéticos estáticos gerados por um ímã permanente ou uma bobina atravessada por uma corrente elétrica contínua. Esses campos eletromagnéticos já são utilizados em imagens médicas de ressonância magnética e em numerosos sistemas de segurança, como os dos aeroportos.

O dispositivo inventado por Fedor Gomory e seus companheiros da Eslováquia e Espanha, descrito em uma pesquisa publicada pela revista científica Science, consiste em um cilindro com duas camadas concêntricas.

Enquanto a camada interior é feita de um material supercondutor que repele os campos magnéticos, a camada exterior é formada por um material ferromagnético que os atrai.

Colocado no campo magnético, o cilindro não interfere nele e não mostra sombra ou reflexo. Entretanto, um objeto colocado em seu interior não poderá ser detectado magneticamente, e seria insensível ao campo magnético no qual se encontra, explicou o coautor do estudo, Álvaro Sánchez, da Universidade Autônoma de Barcelona, que utiliza o termo “invisibilidade”.

“Existem muitas aplicações, para automóveis, barcos ou submarinos”, afirma Sánchez.

“Para o submarino, ele poderá ser envolvido por uma camada que o impediria de ser detectado magneticamente”, disse Sánchez. “Também poderá ser usado para proteger os equipamentos (militares e médicos) contra alterações eletromagnéticas”, acrescentou ele.



Share