Imigrantes venezuelanos recebem atendimento médico em Trinidad durante a visita do navio-hospital USNS Comfort

Imigrantes venezuelanos recebem atendimento médico em Trinidad durante a visita do navio-hospital USNS Comfort

Por Steven McLoud / Diálogo
setembro 24, 2019

Estanda era apenas um dos 6.000 pacientes atendidos durante a missão do USNS Comfort em Trinidad e Tobago, de 3 a 12 de setembro. O navio conta com profissionais médicos da Força Aérea, do Exército e da Marinha dos EUA, que trabalham junto com participantes de oito nações parceiras e organizações não governamentais. Os cirurgiões também realizaram mais de 115 cirurgias a bordo do navio.

O Comfort está atualmente em um destacamento de cinco meses na América Central, na América do Sul e no Caribe, em apoio aos esforços humanitários e de criação de parcerias, como parte da iniciativa Promessa Duradoura, do Comando Sul dos EUA.

O Comfort está trabalhando com parceiros da área de saúde e governamentais para prestar assistência a bordo do navio e em unidades médicas terrestres, ajudando a aliviar a pressão sobre os sistemas nacionais de saúde, exauridos pelo aumento de migrantes venezuelanos em seus territórios.

Há três meses, Estanda era sargento do Exército da Venezuela. Ele abandonou as forças armadas e fugiu do país com sua mulher e filha, pois não conseguia sustentar sua família com seu salário de fome. A comida e os recursos estavam escasseando e eles decidiram fazer a curta travessia marítima até Trinidad e Tobago, que fica a apenas 11 quilômetros do extremo norte da Venezuela.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados e o governo de Trinidad e Tobago, há cerca de 40.000 venezuelanos atualmente no país.

Estanda foi à unidade médica de Point Fortin no dia 7 de setembro, onde os médicos o examinaram e o selecionaram para submetê-lo a uma cirurgia a bordo do navio no dia seguinte, onde eles puderam operar o seu cotovelo com sucesso.

“Eu não tenho palavras para expressar a minha imensa gratidão aos médicos que conseguiram curar-me”, disse Estanda, tentando segurar as lágrimas. “Sei que os médicos me disseram que meu braço demorará algum tempo para sarar, mas preciso conseguir outro emprego logo. Minha família precisa comer.”

“Quando estamos nessas unidades, tentamos atender o máximo de pessoas possível”, disse o Dr. Patrick Rooney, veterano do Exército dos EUA e dentista da Sociedade Pré-Dental da Universidade da Califórnia, em San Diego. “Ao vê-los esperando por nós, percebemos a diferença que poderemos fazer em suas vidas ao ajudá-los.”

Este é o terceiro ano em que o Dr. Rooney trabalha com o USNS Comfort e ele está na missão desde a primeira parada do navio no Equador, no dia 26 de junho. O Dr. Rooney permanecerá no navio até sua última missão em novembro, quando partirá do Haiti.

“O sorriso nos rostos deles… isso significa o mundo para mim. Sabemos que fizemos um bom trabalho quando vemos aquele sorriso”, disse o Dr. Rooney.

U.S. Navy Capt. Gabriel Lee, a pediatrician assigned to the hospital ship USNS Comfort (T-AH 20), performs a checkup on an infant Venezuelan migrant at a temporary medical treatment site in La Brea, Trinidad, Sept. 7, 2019. Comfort is working with health and government partners in Central America, South America, and the Caribbean to provide care on the ship and at land-based medical sites, helping to relieve pressure on national medical systems strained by an increase in Venezuelan migrants. (U.S. Navy photo by Mass Communication Specialist 2nd Class Bobby J Siens)

Share