Universidade de Defesa de Honduras oferece educação de qualidade

Honduras Defense University Offers Students a Quality Education

Por Dialogo
março 24, 2015






Neste ano, a Universidade de Defesa de Honduras comemora uma década oferecendo aos membros das Forças Armadas hondurenhas acesso a uma educação universitária militar de alto nível com cursos de graduação e pós-graduação.

"Para os pais, a UDH oferece aos seus filhos os melhores níveis de educação, com reprovação zero nas aulas", diz o Contra-Almirante Romero Burgos. "Os jovens recebem educação de qualidade e a garantia de que estão imersos em um processo de serem educados para servir à pátria, e esse serviço será com grande dignidade, sabendo que há sacrifício mas também muita honra em servir ao país."

Além de oferecer cursos de pós-graduação, a UDH dá aos jovens que ingressam nas forças militares a oportunidade de buscar uma educação universitária. Todo mês de outubro, os aspirantes fazem o exame de admissão da UDH e centenas são admitidos em suas turmas a cada ano. Em 11 de janeiro, por exemplo, a universidade admitiu 412 jovens cadetes com idades entre 16 e 22 anos. Desses, 156 foram aceitos na Faculdade de Ciências Militares, 146 na Faculdade de Ciências Navais e 110 na Faculdade de Ciências Aeronáuticas.

Alunos de cada uma dessas academias têm a oportunidade de integrar uma grande variedade de cursos relacionados com as Forças Armadas. A Faculdade de Ciências Militares oferece especialidades em Comunicação, Material de Guerra, Inteligência, Artilharia e Engenharia. A de Ciências Aeronáuticas oferece cursos de Pilotagem Militar, Defesa Aérea e Logística. Já a de Ciências Navais oferece Comunicação, Estudos Gerais e Engenharia Marítima. Além disso, aspirantes a quaisquer academias podem tentar um diploma de bacharel em Engenharia Mecatrônica Militar ou Enfermagem Militar.

Educação ajuda Forças Armadas a melhorar sua tecnologia


Todos esses cursos ajudam as Forças Armadas a preparar os estudantes para cumprir os desafios tecnológicos militares. Por exemplo, a cada cinco anos a UDH forma um grupo de Cadetes em Engenharia Mecatrônica que serão responsáveis por desenvolver vários projetos. Em 2016, a UDH deve formar 22 estudantes de Mecatrônica das três academias.

"A Engenharia Mecatrônica surgiu pela necessidade de alta tecnologia que as forças militares têm na terra, no ar e no mar", diz o Contra-Almirante Romero. "As exigências são cada vez maiores e precisamos de pessoas qualificadas."

Depois de formados, esses estudantes integrarão o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento das Forças Armadas para trabalhar em uma gama de projetos de automação, incluindo iniciativas para produzir munição, boias e sistemas de segurança.

Um desses projetos busca o desenvolvimento de uma boia automatizada que permitirá aos usuários estabelecer pontos de controle com maior apoio tecnológico nas águas hondurenhas. O protótipo contará com câmeras e sistema de radar e terá a capacidade de verificar se um barco ou uma embarcação subaquática está em águas hondurenhas. Além disso, as câmeras identificarão o tipo de barco que entrou nas águas do país e obterá informações em tempo real sobre a embarcação.

"A vantagem desses equipamentos será que uma torre de controle gravará a informação fornecida. Mesmo que as boias sejam destruídas, as evidências permanecerão seguras no armazenamento virtual da torre", diz o Coronel Manuel Antonio Peraza Rivera, vice-reitor da UDH.

Oferecer ensino superior a jovens aspirantes


A UDH é pioneira em educação superior militar na América Central, de acordo com o reitor da universidade, o Contra-Almirante Ramón Cristóbal Romero Burgos. Ela também integra o sistema universitário do país, que é formado por 20 universidades, sendo 14 particulares e seis públicas. A UDH é pública, mas os civis podem frequentá-la.

"Antes da criação da UDH, as pessoas que ingressavam na carreira militar tinham o inconveniente de que os estudos que haviam realizado não eram reconhecidos em nível superior, ou tinham de frequentar universidades nacionais ou estrangeiras para concluir um curso superior que normalmente não tinha nada a ver com suas carreiras militares."

A educação oferecida pela UDH ajuda a explicar por que um alto percentual de oficiais das Forças Armadas Hondurenhas possui diploma universitário. Atualmente, 99% dos oficiais das Forças Armadas Hondurenhas têm pelo menos um curso superior. Desses, 60% também têm mestrado, de acordo com o Contra-Almirante Romero. No futuro próximo, a UDH planeja criar um programa de doutorado em Defesa e Segurança, que poderia ser um requisito para a promoção ao posto de general.





Neste ano, a Universidade de Defesa de Honduras comemora uma década oferecendo aos membros das Forças Armadas hondurenhas acesso a uma educação universitária militar de alto nível com cursos de graduação e pós-graduação.

"Para os pais, a UDH oferece aos seus filhos os melhores níveis de educação, com reprovação zero nas aulas", diz o Contra-Almirante Romero Burgos. "Os jovens recebem educação de qualidade e a garantia de que estão imersos em um processo de serem educados para servir à pátria, e esse serviço será com grande dignidade, sabendo que há sacrifício mas também muita honra em servir ao país."

Além de oferecer cursos de pós-graduação, a UDH dá aos jovens que ingressam nas forças militares a oportunidade de buscar uma educação universitária. Todo mês de outubro, os aspirantes fazem o exame de admissão da UDH e centenas são admitidos em suas turmas a cada ano. Em 11 de janeiro, por exemplo, a universidade admitiu 412 jovens cadetes com idades entre 16 e 22 anos. Desses, 156 foram aceitos na Faculdade de Ciências Militares, 146 na Faculdade de Ciências Navais e 110 na Faculdade de Ciências Aeronáuticas.

Alunos de cada uma dessas academias têm a oportunidade de integrar uma grande variedade de cursos relacionados com as Forças Armadas. A Faculdade de Ciências Militares oferece especialidades em Comunicação, Material de Guerra, Inteligência, Artilharia e Engenharia. A de Ciências Aeronáuticas oferece cursos de Pilotagem Militar, Defesa Aérea e Logística. Já a de Ciências Navais oferece Comunicação, Estudos Gerais e Engenharia Marítima. Além disso, aspirantes a quaisquer academias podem tentar um diploma de bacharel em Engenharia Mecatrônica Militar ou Enfermagem Militar.

Educação ajuda Forças Armadas a melhorar sua tecnologia


Todos esses cursos ajudam as Forças Armadas a preparar os estudantes para cumprir os desafios tecnológicos militares. Por exemplo, a cada cinco anos a UDH forma um grupo de Cadetes em Engenharia Mecatrônica que serão responsáveis por desenvolver vários projetos. Em 2016, a UDH deve formar 22 estudantes de Mecatrônica das três academias.

"A Engenharia Mecatrônica surgiu pela necessidade de alta tecnologia que as forças militares têm na terra, no ar e no mar", diz o Contra-Almirante Romero. "As exigências são cada vez maiores e precisamos de pessoas qualificadas."

Depois de formados, esses estudantes integrarão o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento das Forças Armadas para trabalhar em uma gama de projetos de automação, incluindo iniciativas para produzir munição, boias e sistemas de segurança.

Um desses projetos busca o desenvolvimento de uma boia automatizada que permitirá aos usuários estabelecer pontos de controle com maior apoio tecnológico nas águas hondurenhas. O protótipo contará com câmeras e sistema de radar e terá a capacidade de verificar se um barco ou uma embarcação subaquática está em águas hondurenhas. Além disso, as câmeras identificarão o tipo de barco que entrou nas águas do país e obterá informações em tempo real sobre a embarcação.

"A vantagem desses equipamentos será que uma torre de controle gravará a informação fornecida. Mesmo que as boias sejam destruídas, as evidências permanecerão seguras no armazenamento virtual da torre", diz o Coronel Manuel Antonio Peraza Rivera, vice-reitor da UDH.

Oferecer ensino superior a jovens aspirantes


A UDH é pioneira em educação superior militar na América Central, de acordo com o reitor da universidade, o Contra-Almirante Ramón Cristóbal Romero Burgos. Ela também integra o sistema universitário do país, que é formado por 20 universidades, sendo 14 particulares e seis públicas. A UDH é pública, mas os civis podem frequentá-la.

"Antes da criação da UDH, as pessoas que ingressavam na carreira militar tinham o inconveniente de que os estudos que haviam realizado não eram reconhecidos em nível superior, ou tinham de frequentar universidades nacionais ou estrangeiras para concluir um curso superior que normalmente não tinha nada a ver com suas carreiras militares."

A educação oferecida pela UDH ajuda a explicar por que um alto percentual de oficiais das Forças Armadas Hondurenhas possui diploma universitário. Atualmente, 99% dos oficiais das Forças Armadas Hondurenhas têm pelo menos um curso superior. Desses, 60% também têm mestrado, de acordo com o Contra-Almirante Romero. No futuro próximo, a UDH planeja criar um programa de doutorado em Defesa e Segurança, que poderia ser um requisito para a promoção ao posto de general.
AS MORTES 17, 18, 19 ABRIL DE 2015 Oi, a informação é muito interessante, mas eu só quero saber se é para cadetes. Ou o que eu faço para entrar na UDH? Estou neste momento estudando enfermagem na UNAH, mas, por motivos financeiros, eu gostaria de encontrar um lugar onde eu poderia servir e continuar os estudos. Aguardo sua informação. Muito obrigado.
Quando serão os exames de admissão e quais são os requisitos ou onde encontro mais informações? Oi, quero saber os requisitos para poder ingressar e quando serão os exames. Boa tarde, gostaria de saber se há cursos à distância ou cursos virtuais para pessoas de outros países. Agradeço por sua informação. Oi, eu gostaria de estudar licenciatura em enfermagem, mas, como civil, onde eu posso obter informações?
Share