Guatemala e México reforçarão operações de segurança na fronteira

Por Dialogo
junho 13, 2013




Guatemala e México reforçarão as operações contra o tráfico de drogas, o tráfico de pessoas, o contrabando, a lavagem de dinheiro e outros delitos, em sua fronteira comum, anunciaram em 10 de junho as autoridades de ambos os países reunidas nessa nação centro-americana.







A Comissão de Alto Nível de Segurança Fronteiriça (CANSEG), que realizou uma sessão nos dias 10 e 11 de junho na Cidade da Guatemala, reuniu funcionários de segurança dos dois governos.







“Entre os temas discutidos na reunião com a delegação do México estiveram o intercâmbio de informações e as medidas de segurança para a fronteira”, disse em entrevista coletiva o ministro do Interior da Guatemala, Mauricio López.







No encontro, os funcionários guatemaltecos e mexicanos se aprofundaram em temas como o “intercâmbio de informações para o combate ao crime organizado”, acrescentou o ministro.







“Foram realizadas cinco mesas temáticas para discutir as estratégias estabelecidas em 60 pontos sobre as fronteiras detectados com o México”, disse López, acrescentando que será atualizada a coordenação bilateral de “inteligência na segurança pública”.







López disse que um dos principais objetivos da reunião é “combater atos criminosos gerados na fronteira com o México” e compartilhar as experiências dos dois países.







Com o apoio dos Estados Unidos, a Guatemala anunciou que formará um batalhão integrado por policiais e soldados de elite, dotado de veículos blindados para combater o narcotráfico e outras modalidades de crime organizado em uma região na fronteira com o México.







México e Guatemala compartilham uma fronteira de quase 1.000 quilômetros, utilizada para a passagem de imigrantes de diferentes nacionalidades em sua rota para os Estados Unidos, tráfico de drogas, contrabando, e por onde circulam perigosos criminosos, como os membros das temidas quadrilhas denominadas “maras”.














Eu sempre pensei que a fronteira do sul com o México fosse de aproximadamente 1.000 quilômetros, e hoje eu vejo que a Dialogo tem a mesma estimativa. Dada essa estimativa, eu acho que está na hora de os EUA similarmente concederem uma importância maior aos 3.000 quilômetros que eles compartilham com o México na sua fronteira ao norte.

Não é possível fiscalizar a vasta área de 35.000 quilômetros de Peten com um helicóptero UH-1H e um avião Cesna-160; exceto pela recente doação de Taiwan que, como dizem os rumores, doou 4 helicópteros para o Exército da Guatemala.
A Guatemala precisa reforçar seus recursos aéreos urgentemente, e o mesmo serve para suas forças marítimas.
Share