Força Aérea da Colômbia traz ajuda ao noroeste do país

Colombian Air Force Brings Aid to Northeastern Part of the Country

Por Yolima Dussán/Diálogo
novembro 03, 2017

Quando as crianças da cidade de El Cocuy veem chegar os membros da Força Aérea da Colômbia (FAC) saem ao seu encontro com emoção. Sabem muito bem quem são e a que vêm. Sua felicidade tem a ver com sorrisos, presentes, música, jogos, medicamentos e alimentos. É hora de carnaval. A Jornada de Apoio ao Desenvolvimento do último dia 28 de agosto não foi diferente para os habitantes de um dos setores rurais do departamento do Meta, no noroeste colombiano. “A FAC está sempre atenta a nós, principalmente aos nossos filhos; eles perguntam quais são as nossas necessidades e trazem soluções”, disse à Diálogo Jacinto Ojeda Soto, presidente da Junta de Ação Comunitária de El Cocuy. “Trouxeram uma equipe grande de profissionais da saúde; essa foi a prioridade, junto com um extenso programa de recreação que manteve as crianças reunidas e felizes. A relação deles [FAC] com a comunidade é muito boa e com grandes perspectivas”. Cerca de 1.650 pessoas de El Cocuy receberam atendimento e serviços por parte do Comando Aéreo de Combate N.º 2 (CACOM2). Foram dois dias de trabalho em que também foram beneficiados dezenas de residentes provenientes de localidades vizinhas, como Barcelona, Apiay e Bella Suiza. Programas de educação Em questões de saúde, 1.085 pessoas receberam atendimento gratuito em diversos serviços. A assistência consistiu de terapia respiratória, fisioterapia, pediatria, ginecologia, optometria, procedimentos de odontologia, medicina geral e psicologia. Especialmente as crianças se divertiram muito, com recreação profissional guiada, concursos, coreografias e um pula-pula que representa o avião A-29 Super Tucano, apresentado pela primeira vez. O CACOM2 é considerado a unidade mais operacional da FAC. Sua área de responsabilidade é de aproximadamente 269.981 quilômetros quadrados, que correspondem a 24 por cento do território nacional. “El Cocuy tem 2.600 habitantes. Desenvolvemos estas atividades com o objetivo específico de atender a comunidade”, disse o Major da FAC Manuel Felipe Calixto Rodríguez, chefe do Departamento de Ação Integral do CACOM2 e responsável pela atividade. “Aqui, os problemas são de toda ordem; os de saúde são grandes, mas a necessidade maior é a de educação.” Zona de guerrilha Em todas as populações da Colômbia, as Jornadas de Apoio ao Desenvolvimento têm cada vez mais relevância; mas há setores onde a necessidade é maior. O de El Cocuy é um caso específico, pois calcula-se que entre 60 e 65 por cento dos membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) moravam nos departamentos do Meta e do Guaviare. “Uma das conclusões posteriores aos acordos de paz foi focar o esforço do Estado nas forças militares para estar presente e estreitar laços com a comunidade. Nesta jurisdição, o esforço é constante”, comentou o Maj Rodríguez. “Antes, nesta zona, todos os dias havia operações, evacuações, suportes aéreos próximos; essas situações foram reduzidas em 95%, mas ficou muito arraigado o problema do narcotráfico e das culturas ilícitas. Nossa tarefa é a de resolver esta situação.” “Nesta zona, as pessoas querem se sentir seguras. Existe o temor da ação da dissidência. O suporte que a FAC nos dá é reconhecido por todos”, acrescentou Ojeda. “Por nossa proximidade com o CACOM2, não temos maiores problemas, mas existem muitas estradas e populações vizinhas que requerem uma atenção maior e urgente.” Ação integral estendida As jornadas de apoio cumprem um calendário. Atualmente, são feitas a cada dois meses, mas a ideia é aumentar sua frequência para uma vez por mês, com a finalidade de nivelar a população em todos os assuntos ligados a atendimento e fazer um acompanhamento mais detalhado dos resultados. Junto com este tipo de atividades, o CACOM2 desenvolve outro tipo de estratégias para acompanhar as populações que necessitam de maior atenção. É o caso dos municípios de San Juanito e El Calvario, os únicos dois do departamento do Meta localizados sobre a cordilheira oriental, cujos habitantes foram vítimas diretas e constantes da presença e dos ataques da guerrilha. “Eles foram muito afetados pelo conflito. Nós nos empenhamos para ajudar esses municípios”, afirmou o Maj Rodríguez. “Aqui, o problema não espera a programação de uma jornada; é preciso estar presente todos os dias.” Projetos produtivos Ação integral é um termo militar utilizado pelas Forças Militares da Colômbia para definir o alcance das ações em benefício das comunidades. As jornadas de apoio fazem parte dela, mas seu significado engloba algo mais profundo e estratégico. “Nos concentramos no desenvolvimento como arma para combater fatores de instabilidade e criminalidade que ameaçam as áreas do país deixadas pela guerrilha”, explicou à Diálogo a Major Andrea Carolina Archila Álvarez, subdiretora do Departamento de Ação Integral da FAC. “Necessitamos de mudanças estruturais, oportunidades de trabalho, educação, acesso a todos os serviços públicos”. Por meio dos projetos produtivos, de capacitação, infraestrutura e desenvolvimento liderados pelas forças militares, o Estado colombiano busca soluções reais de resposta rápida. São alternativas para que a população deixe de realizar ações ilegais. “Temos o caso de uma comunidade indígena deslocada da Amazônia. Viviam em Araraquara, de onde foram deslocados pela primeira frente das FARC”, disse o Maj Rodríguez. “Tirados de seu ambiente, eles foram para Bogotá; não era o lugar para eles. Agora, estão em nossa jurisdição, no município de Restrepo, onde, depois de escutá-los, colaboramos com a criação de um projeto produtivo direcionado a uma granja avícola, que progrediu muito bem e é sua nova fonte de recursos”. Todos os dias, a divisão de Ação Integral da FAC recebe ou gera iniciativas para o desenvolvimento de projetos produtivos; de forma progressiva, eles são postos em funcionamento. Enquanto isso, com as Jornadas de Apoio ao Desenvolvimento, a FAC reafirma seus laços de união e compromisso com a comunidade.
Share