Colômbia continua impedindo o aumento do narcotráfico

Colômbia continua impedindo o aumento do narcotráfico

Por Yolima Dussán / Diálogo
abril 20, 2020

Select Language

O empenho das Forças Armadas da Colômbia para atender todas as emergências e necessidades derivadas da crise do coronavírus não reduz as operações de interdição de drogas.

“Através de operações de inteligência, vemos que nesse momento, quando nossas unidades também estão executando tarefas relativas à COVID-19, houve um aumento da tentativa dos grupos de narcotraficantes de levar drogas do país para os mercados internacionais”, disse à Diálogo o Contra-Almirante da Marinha da Colômbia Hernando Enrique Mattos Dager, comandante da 72ª Força-Tarefa Contra o Narcotráfico. “O que eles não sabem é que estamos aqui, esperando por eles, sem baixar a guarda.”

Unidades da Marinha Nacional da Colômbia no Pacífico oriental interceptaram cerca de 2 toneladas de drogas, em duas operações coordenadas pelas Forças Armadas, com três dias de intervalo.

O C Alte Mattos destacou a colaboração dos países aliados sob a liderança dos EUA para obter resultados neste tipo de operações que não se detêm, graças à “cooperação constante e quotidiana dos Estados Unidos, à sua tecnologia, aviões, patrulheiros marítimos, bem como à presença dos seus navios, que permitem a continuidade da operação em águas internacionais, quando está fora das nossas mãos”.

No dia 3 de abril, militares da Estação de Guarda-Costas de Buenaventura, a bordo do navio ARC José María Palas (PM-103), encontraram um carregamento de drogas camufladas dentro de um barco a motor tipo lagosteira, em Buenaventura, no Valle del Cauca, informou à imprensa a Marinha Nacional. Os militares encontraram 598 quilos de maconha, 287 kg de cloridrato de cocaína e 300 galões de gasolina. A droga apreendida valeria mais de US$ 12 milhões, acrescentou.

Essa operação permitiu a captura de dois nicaraguenses, um costarriquenho e um colombiano. Os detidos foram examinados por funcionários da Saúde Portuária para garantir que não apresentavam sintomas associados à COVID-19, disse o comunicado.

“Em outra interceptação, no dia 31 de março, a 120 milhas náuticas do Porto de Tumaco, estado de Nariño, a tripulação de Guarda-Costas de Tumaco deteve um semissubmersível com 1,3 tonelada de cloridrato de cocaína. O carregamento foi avaliado em US$ 37 milhões. Na operação foram capturados os tripulantes: dois colombianos e um equatoriano, que também passaram por exames de saúde”, informou a Marinha.

“Esse é um procedimento que integramos em todas as nossas operações de interdição”, explicou à Diálogo o Capitão de Fragata da Marinha Nacional da Colômbia Néstor Ovidio Castellanos, comandante de Guarda-Costas do Pacífico. “Devemos verificar o estado de saúde dos capturados, ainda mais nesse momento em que identificamos a crescente participação de pessoas provenientes de diferentes países da região.”

O C Alte Mattos comentou que “como resultado de um projeto liderado pelos Estados Unidos, a Marinha da Colômbia executa operações para que países da região possam melhorar suas capacidades na luta contra o narcotráfico. Panamá e Costa Rica atualmente têm excelentes resultados. Graças às unidades do Comando Sul, atuamos todos os dias de maneira coordenada, apertando o cerco aos grupos ilegais transnacionais”.

“Precisamos continuar o trabalho, com todas as ações integrais”, explicou o CF Castellanos. “O crime não para; ao contrário, aproveita cada minuto e cada circunstância.”

“As capacidades das Forças Armadas da Colômbia continuam combatendo o narcotráfico e outros delitos; como todos os países do mundo, enfrentamos uma grande pandemia, mas continuamos fazendo o nosso trabalho”, declarou à Diálogo o C Alte Mattos, ao apresentar um balanço das operações contra o narcotráfico do primeiro trimestre de 2020.

Os confiscos de drogas superam os recordes dos anos anteriores. “Durante o primeiro trimestre deste ano, a Força Naval do Pacífico imobilizou 11 semissubmersíveis e apreendeu cerca de 46 toneladas de entorpecentes. Em nível nacional, os militares confiscaram mais de 70 toneladas de cloridrato de cocaína. Nossas equipes fazem seu trabalho para combater a pandemia, sem interromper a nossa luta contra o narcotráfico”, concluiu o C Alte Mattos.

Share