CHDS dá início à conferência sub-regional sobre segurança nas Américas

CHDS Opens Sub-Regional Conference on Security in the Americas

Por Dialogo
julho 22, 2011


Com uma introdução por parte do ministro da Defesa nacional do Chile, Andrés Allamand, o Centro de Estudos Hemisféricos de Defesa (CHDS) da Universidade Nacional da Defesa em Washington, D.C., deu início a sua sétima Conferência Sub-Regional 2011, em Santiago do Chile, no dia 20 de julho de 2011.

Sob o lema “Novo Entorno de Segurança, Novas Alternativas de Defesa”, o fórum reúne cerca de 350 militares, acadêmicos e civis da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

O evento, patrocinado pela Academia Nacional de Estudos Políticos e Estratégicos (ANEPE) do Ministério da Defesa chileno, propõe-se a dar uma resposta aos desafios estabelecidos durante a IX Conferência de Ministros da Defesa das Américas em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, em novembro de 2010.

Esta oportunidade “é de especial relevância”, enfatizou Richard D. Downie, diretor do CHDS, “porque nos permite reunir os dirigentes políticos que criam as diretrizes, os militares que as executam e os acadêmicos que as estudam para criar uma nova realidade”.

A conferência, que acontecerá até 22 de julho, enfoca três temas principais: a consolidação da paz, a confiança, a segurança e a cooperação nas Américas; a democracia, as Forças Armadas, a segurança e a sociedade, e a cooperação em segurança regional e desastres naturais.

“A segurança é uma tarefa de todos”, ressaltou Allamand durante seu discurso inaugural. O ministro também destacou a importância de se abordar o tema da segurança de forma conjunta devido à natureza sem fronteiras das ameaças que os estados enfrentam atualmente. “Os limites entre segurança interior e exterior foram desaparecendo”, afirmou.

O evento contou com a presença do ex-presidente da Colômbia, Álvaro Uribe Vélez, que falou sobre o novo entorno da segurança e as novas alternativas de defesa. “Temos o grande desafio de construir democracias modernas”, disse, e destacou que as democracias dependem de suas políticas de segurança, das liberdades de suas sociedades e dos estados formados com base em instituições independentes, tanto para seu progresso como seu retrocesso.

Como parte de seu discurso, Uribe enumerou as enormes riquezas com as quais conta o povo latino-americano, mencionando também as grandes lacunas sociais que devem ser fechadas para que se criem estas democracias.



A presente conferência reveste-se de especial importância para o sistema interamericano de defesa, a segurança pública dos respectivos países e o avivamento de princípios nacionais que garantam a permanência da democracia, face aos desafios ostensivos e ocultos das ameaçasa que a sociedade está sugeita em todos os continentes. Há que se esperar sucesso no encontro do Chile e um exitoso desdobramento das suas resoluções e recomendações, para a conscientização maior das elites polític as que governo os paises da América Latina, princip-almente, responsaeis pela formalização das politicas de defessa esegurança pública.
Share