Honduras é incluída na ajuda humanitária internacional de apoio ao Haiti

Brazilian Army Tests Remotely Piloted Aircraft System for Use along Its National Borders

Por Andréa Barretto/Diálogo
outubro 14, 2016

Dois desastres naturais golpearam a nação caribenha em menos de uma década. No entanto, os países amigos, sem importar a distância ou os recursos, voltaram imediatamente para ajudar. Assim, Honduras incluiu-se nas tarefas de salvamento e ajuda humanitária que o Haiti recebe atualmente, depois do recente ataque do furacão Matthew. “A missão HONCON (Honduras Contingente) deixará de atuar temporariamente como um contingente de paz para funcionar como um contingente de salvamento”, disse o Coronel Carlos Portillo, porta-voz das Forças Armadas de Honduras. HONCON é a quinta missão de paz que Honduras envia ao Haiti desde 1995. Ela é composta por 47 membros das Forças Armadas, entre oficiais, suboficiais e tropas, que chegaram ao Haiti em junho de 2016 para trabalhar em conjunto com a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH). “O contingente é uma amostra da solidariedade do Governo de Honduras às cidades e aos governos”. Esta missão permite que a instituição militar, dentro do marco de cooperação internacional, demonstre sua preparação, capacidade e profissionalismo do recurso humano”, comunicou a Secretaria de Segurança em 12 de outubro. Depois da passagem do Matthew, o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, instruiu as autoridades correspondentes para formar uma comissão de socorro e levar ao Haiti a ajuda que os cidadãos afetados pelo furacão necessitam. “Isto não pode esperar. Tomei a decisão e dei instruções ao ministro da Comissão Permanente de Contingências (COPECO). Na terça-feira, 11 de outubro, um avião com ajuda humanitária foi enviado aos nossos irmãos haitianos”, declarou o presidente Hernández. Também confirmou que “a força de paz HONCON vai somar-se para ajudar a população do Haiti”. Por sua parte, o Cel Portillo explicou que “a Força Aérea de Honduras (FAH) ficou encarregada do transporte da missão de salvamento”. Instituição especializada As autoridades haitianas expressaram sua preocupação pela segurança alimentar posterior à chegada de ajuda internacional depois da passagem do furacão Matthew, catalogado como o furacão mais violento da década na região atlântica: “o que nos interessa é evitar que haja fome no país dentro de três meses por causa das plantações destruídas”, expressou o presidente do Haiti, Jocelerme Privert, à mídia. Uma aeronave da FAH transportou ao Haiti a missão de ajuda liderada por Lisandro Rosales, ministro da COPECO, que viajou acompanhado por uma comitiva integrada pelo pessoal da Unidade de Resposta Imediata. Rosales explicou aos meios de comunicação que a ajuda consistiu em quatro toneladas de alimentos. “Eles atenderão a umas 10.000 pessoas, o que criará um impacto positivo em aproximadamente 2.500 famílias haitianas”, declarou no momento de partir para o Haiti. O pacote de ajuda humanitária foi preparado pela FAH. Ele consistiu em alimentos não perecíveis, medicamentos básicos, mantas, quatro toneladas de água purificada e kits de higiene pessoal, além de roupa. A aeronave partiu da Base Aérea Héctor Caraccioli Moncada, localizada em La Ceiba, no departamento de Atlántida. “O pessoal da FAH trabalhou intensamente para transportar a ajuda ao pessoal [da COPECO] e aos meios de comunicação que nos manterão informados sobre as condições do povo haitiano. Desta forma, damos uma mão amiga aos irmãos haitianos”, declarou o Tenente Coronel Armando Martínez Rueda, comandante da base aérea. O ministro Rosales informou à Diálogo que o ministro do Interior do Haiti, François Anick Joseph, recebeu a ajuda de seu país. A reunião serviu também para manifestar a solidariedade expressada pelo presidente Hernández em nome do povo hondurenho. Ao regressar ao país, Rosales indicou que “a disposição que o Governo de Honduras tem para continuar com o apoio à população do Haiti é firme. Tanto as Forças Armadas quanto as instituições especializadas em situações de risco como a COPECO estão dispostas a oferecer às autoridades do Haiti e à população a ajuda humanitária necessária”, finalizou.
Share