Brasil e Peru assinam memorandos de cooperação na área de tecnologia militar

Brazil and Peru Sign Cooperation Agreements for Military Technology

Por Dialogo
fevereiro 17, 2012


Brasil e Peru irão aprofundar a cooperação tecnológica nos setores aeroespacial e naval. Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e do Peru, Juan Alberto Otárola Peñaranda, se reuniram em Brasília para tratar do assunto. Ao final do encontro, assinaram dois memorandos que estabelecem parcerias entre empresas dos dois países para desenvolver programas de desenvolvimento industrial.

“Falamos de uma ampla parceria tecnológica nas áreas aeronáutica e naval entre os dois países”, destacou o ministro Celso Amorim. “Brasil e Peru aprofundam sua aliança estratégica, que vem de longo tempo, dentro do que preconizam os presidentes Dilma Rousseff e Ollanta Humala.”

Desenvolvimentos aeroespaciais

Depois de firmar os acordos, a delegação peruana viajou para a Base Aérea de Anápolis (GO), para conhecer a aeronave de ataque leve AT-29 Super Tucano e os aviões de alerta antecipado E-99 (equipados com radar de vigilância aérea) e R-99 (de sensoriamento remoto), todos fabricados pela Embraer. A Força Aérea Brasileira também disponibilizou um avião de treinamento T-27 Tucano modernizado. O Peru opera uma frota desses aviões no combate ao narcotráfico e ações antiguerrilha.

De acordo com o memorando de cooperação aérea, o Serviço de Manutenção da Força Aérea do Peru ficaria responsável pela eventual modernização da frota remanescente de Tucanos, recebendo equipamentos e tecnologia da Embraer para fabricar componentes estruturais das aeronaves.

Durante a reunião, a delegação peruana demonstrou interesse no desenvolvimento conjunto de um veículo aéreo não tripulado (Vant), área em que o Brasil já tem projetos em andamento. Ao final do encontro, o ministro da Defesa brasileiro revelou que a Força Aérea do Peru analisa a compra de dez aviões Super Tucano.

Projetos navais

O segundo memorando de cooperação assinado hoje abrange o intercâmbio de tecnologia na área de construção naval. Na América Latina, apenas o Brasil possui capacidade tecnológica de cortar e soldar cascos de submarinos, o chamado corte de meia-vida, o que facilita o trabalho de manutenção de motores e introdução de equipamentos modernos nas unidades.

O Peru possui seis submarinos da classe IKL 209-1200 e pretende atualizá-los. Por meio da Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), o Brasil repassaria essa tecnologia para o conglomerado Serviços Industriais da Marinha do Peru (Sima), localizado na cidade de Callao.

Fronteiras

Brasil e Peru acentuaram a necessidade de criação de uma comissão binacional de fronteira para combater o crime transnacional.

Ambos os países possuem acordos similares com a Colômbia, com quem pretendem realizar, num futuro próximo, uma reunião na tríplice fronteira localizada na região de Tabatinga (AM).

Também ficou acertada a continuidade da troca de informações obtidas pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) com a rede de radares peruana.





Share