Brasil: Polícia Federal desarticula grupos de narcotráfico internacional

Brasil: Polícia Federal desarticula grupos de narcotráfico internacional

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
fevereiro 23, 2021

Em 20 de janeiro de 2021, a Polícia Federal (PF) do Brasil prendeu cinco membros de uma quadrilha que aliciava pessoas para fazerem o transporte de cocaína até o Líbano. Outros três integrantes estão foragidos. As prisões ocorreram dentro da Operação Overweight de combate ao narcotráfico internacional.

Segundo a Agência Brasil, os criminosos compravam a cocaína na Colômbia e aliciavam “mulas” (pessoas que, conscientemente ou não, transportam drogas, geralmente para outros países) que a levavam até o Líbano. Também providenciavam a hospedagem dos aliciados e a recepção das remessas no país do Oriente Médio.

Para evitar que as mulas desistissem de embarcar na aeronave, um membro da quadrilha sempre as acompanhava até o momento do check-in, realizando intimidações e ameaças. “Quando ocorriam abordagens pela polícia, essas pessoas desapareciam para não serem pegas”, informou a Agência Brasil.

A droga era traficada dentro das malas despachadas. Os pagamentos aos aliciados só eram feitos depois de duas ou três viagens, variando entre US$ 15.000 e US$ 25.000.

“A organização é libanesa e já atua há pelo menos quatro anos. As mulas são geralmente [indivíduos] estrangeiros, libaneses”, afirmou a PF em um comunicado.

Os agentes cumpriram oito mandados de prisão e oito mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Jundiaí e Foz do Iguaçu, na Tríplice Fronteira. Também bloquearam valores e apreenderam veículos, imóveis e dinheiro, totalizando R$ 132 milhões (cerca de US$ 25 milhões).

“Com os integrantes da quadrilha foram apreendidos também mais de 60 quilos de cocaína e R$ 250 mil [cerca de US$ 47.000]”, informou a Agência Brasil.

Em 17 de dezembro de 2020, durante outra operação, mais de 40 policiais federais desbarataram duas organizações internacionais de narcotráfico que operavam no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

“As investigações tiveram início em abril deste ano [2020] a partir de apreensões de maconha na região da Serra Gaúcha, que totalizaram 1,1 tonelada da droga”, informou a Agência Brasil.

Segundo a PF, a maconha era adquirida no Paraguai e transportada para pontos de distribuição nos três estados do sul do Brasil.

Share