África: Cabo submarino deve levar a Internet para a África

África: Cabo submarino deve levar a Internet para a África

Por Geraldine Cook
janeiro 01, 2013

PossÍveis investidores, incluindo o gigante da Internet, Google, consideraram a possibilidade de instalar um cabo submarino de US$ 1,5 bilhões ligando o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS) uns aos outros e aos Estados Unidos, de acordo com as declara feitas por um oficial sênior do projeto. 

O cabo de 34 mil quilômetros, que seria o primeiro do seu tipo a ligar o grupo de mercados emergentes BRICS, deve concretizar-se até o final de 2014, disse Andrew Mthembu, presidente do grupo de tecnologia i3 África, que está promovendo o projeto.

O cabo, proposto pela primeira vez em maio de 2011, se conectaria aos cabos submarinos existentes, abrindo o acesso para 21 paÍses africanos, disse Mthembu.

África está conectada a Europa, América do Norte e Ásia por nove cabos submarinos, com mais cinco ligações submarinas planejadas em 2014, disse a Ministro das Comunicações da África do Sul, Dina Pule.

Todas essas conexões de cabos devem ajudar a melhorar a conexão com os nossos novos parceiros comerciais, reduzir o custo de comunicação e melhorar a qualidade dos serviços de Internet, disse ela. Mthembu disse a ZDNet, em abril de 2012, que o cabo iria permitir a comunicação com menos intermediários, garantindo assim maior segurança. Se tivermos que viajar através de quatro ou cinco redes diferentes, estaremos muito mais vulnerável à interceptação de nosso dados, disse Mthembu.

A rota do cabo está prevista para sair da Costa do Pacífico da Rússia, passar ao longo da China, ao redor da Índia, ir para a áfrica do sul, depois para o Brasil e, finalmente, para os EUA, de acordo com http://africainvestor.com.

A taxa de penetração de Internet na África subiu para 13,5 por cento no final de 2011, em comparação com 2,4 por cento cento em 2006, de acordo com a Internet World Stats.

Fontes: Reuters, Africa Defense Forum, ZDNET, Internet World Stats

Share