Polícia Federal do Brasil investiga tráfico de drogas a partir de aeroporto internacional

Polícia Federal do Brasil investiga tráfico de drogas a partir de aeroporto internacional

Por Andréa Barretto/Diálogo
março 31, 2021

Em mais uma ação com o objetivo de descapitalizar organizações criminosas do tráfico de drogas no Brasil, a Polícia Federal (PF) realizou a Operação Lavaggio, em 10 de fevereiro de 2021. Nela, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e sete ordens judiciais de bloqueio de imóveis localizados em duas cidades do interior de São Paulo. O valor aproximado do congelamento dos bens é de R$ 3 milhões (mais de US$ 530,000).

As investigações que levaram à identificação desses bens foram iniciadas em 2019, quando a polícia interceptou um carregamento de 58 quilos de cocaína no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, o maior terminal do país em volume de cargas movimentadas por via aérea. A droga tinha como destino a Europa. Seguindo essa pista, a PF realizou em outubro de 2020 a Operação Overload. Foram presas 35 pessoas, entre elas o homem que seria o proprietário dos bens apreendidos e bloqueados agora nessa terceira investida da PF, por meio da Operação Lavaggio.

“Porque a gente precisa do desdobramento de uma operação? Porque, na Operação Overload, a gente investigou a atividade ilícita, que no caso era o tráfico. A partir de agora, nós começamos a olhar caso a caso e quais são as movimentações”, afirmou o delegado chefe da PF em Campinas, Edson Geraldo de Souza.

Segundo o que as autoridades policiais apuraram até o momento a partir de documentos e informações de inteligência, o criminoso – que não teve seu nome revelado pela PF – integra um núcleo de operadores do tráfico de drogas no aeroporto internacional de Campinas. Ele era um dos responsáveis por cooptar funcionários do aeroporto, a fim de facilitar a passagem da carga ilícita para os aviões, além de ser a pessoa que tratava dos negócios com os interlocutores estrangeiros que recebiam a remessa.

Para ocultar o dinheiro obtido com o crime, a quadrilha praticava outros crimes. A polícia identificou ao menos 20 atos de lavagem de dinheiro, entre eles alienações de veículos, compras de casas, chácaras e apartamentos, envolvendo familiares, terceiros e pessoas jurídicas que não têm renda compatível com as transações, informou a PF em nota à imprensa. A pena para o crime de lavagem de dinheiro pode chegar a 10 anos de prisão.

Um dia antes da deflagração da Operação Lavaggio, a PF interceptou o envio de meia tonelada de cocaína em outro aeroporto brasileiro, no nordeste do Brasil. A droga também seguia para a Europa e estava escondida em um avião de pequeno porte que pousou no Aeroporto Internacional de Salvador, devido a uma pane mecânica. Ainda não se sabe se existe relação entre os fatos ocorridos nos dois aeroportos brasileiros.

Share