Exército da Colômbia desarticula célula do Clã do Golfo

Exército da Colômbia desarticula célula do Clã do Golfo

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
agosto 25, 2021

Select Language

No início de julho de 2021, o Exército e a Polícia Nacional da Colômbia capturaram sete supostos integrantes do grupo armado organizado (GAO) Clã do Golfo, a mais poderosa organização do narcotráfico do país. A operação conjunta ocorreu no município de Montelíbano, no estado de Córdoba.

As investigações da Procuradoria indicam que os indivíduos pertenciam à subestrutura Yeison Leudo Chaverra da organização. “Esse grupo criminoso praticava crimes e ações violentas contra a população civil e membros da força pública”, segundo um comunicado do Exército.

A facção operava nos municípios de Tarazá e San José de Uré, nas sub-regiões do Baixo Cauca, na Antióquia, e do sul de Córdoba, respectivamente, explicou o Exército. Entre os detidos se encontram os indivíduos conhecidos como Alonso e Pirata, apontados pelos militares como o primeiro e o terceiro líder da subestrutura.

“A força pública conseguiu desferir um golpe importante contra a estrutura criminosa do Clã do Golfo, eliminando dois de seus principais líderes, com capacidade e experiência para comandar estruturas armadas, afetando diretamente sua organização”, informou o Exército.

In coordination with the Navy, the Colombian National Police arrested four alleged members of the Clan del Golfo in Operation Agamemnon II in Chocó, in June 2021. (Photo: Colombian National Police)

Deacordo com a emissora colombiana RCN Radio, a Procuradoria acusou os detidos pelos crimes de fabricação, tráfico, porte ou posse de armas de fogo, acessórios, peças ou munições.

Esse foi o mais recente de uma série de golpes desferidos contra o Clã do Golfo desde o final de fevereiro, quando um relatório da Polícia Nacional revelou que a rede criminosa tinha cerca de 3.260 integrantes. “[O Clã do Golfo] é considerado hoje o maior GAO do país e uma das maiores ameaças à segurança da região”, informou o jornal colombiano El Tiempo.

De acordo com o relatório policial, a organização tem quatro estruturas subdivididas em 22 grupos, com presença em 124 municípios dos estados de Antióquia, Córdoba, Meta, Nariño, Chocó, Norte de Santander, Magdalena, Bolívar, Atlântico e Cesar.

No dia 12 de julho, a Polícia Nacional capturou um suposto integrante do grupo identificado pelos codinomes Avispa ou El Negro. O indivíduo operava como comandante urbano e chefe de matadores de aluguel, informou o canal de TV Telemedellín, da Colômbia.

Em junho, a Polícia Nacional capturou outros oito supostos integrantes do grupo que praticavam extorsão contra pecuaristas e comerciantes em Antióquia, informou a revista colombiana Semana. O General Gustavo Franco, comandante da Região 6 da Polícia Nacional, disse à Semana que os indivíduos responderão pelos delitos de conspiração para cometer crime, extorsão e homicídio.

Também em junho, durante a Operação Agamenón II, a Polícia Nacional prendeu outros quatro supostos membros da subestrutura do Pacífico do Clã do Golfo, no departamento de Chocó.

A Polícia Nacional, que agiu em conjunto com a Marinha da Colômbia, informou que “os sujeitos conhecidos como Pollo, Picho e Gonzalito foram capturados, além da captura em flagrante de Néstor”. Com os detentos, a força policial encontrou armas de guerra.

Share