Equador atingiu recorde de apreensões de drogas em 2021

Equador atingiu recorde de apreensões de drogas em 2021

Por Mercedes Onofa/Diálogo
janeiro 12, 2022

Select Language

Autoridades do Equador apreenderam mais de 190 toneladas de drogas em 2021, cifra recorde que ultrapassa em 58 por cento as 120 toneladas de 2020, informou o jornal equatoriano El Universo. Isso significa que em 10 anos a quantidade de drogas apreendidas no Equador se multiplicou por sete, aproximadamente, considerando-se que em 2011 foram apreendidas 26 toneladas, de acordo com o Ministério de Governo equatoriano. O registro inclui cocaína, pasta base de cocaína, heroína, maconha e outras substâncias ilícitas.

Esse aumento da taxa de apreensões obedece a vários fatores. Por um lado, a Colômbia aumentou sua produção de cocaína devido ao aperfeiçoamento dos processos, tecnologia e tempo de fabricação, o que permitiu o crescimento da oferta, garante o portal equatoriano Primicias. Em consequência, em 2020, a produção de cloridrato de cocaína pura na Colômbia teve um aumento de 8 por cento, o que representa 1.228 toneladas, segundo o Gabinete das Nações Unidas para Drogas e Crimes.

Por outro lado, o confinamento durante a pandemia da COVID-19 afetou o trânsito e o armazenamento no Equador, um fator importante na cadeia de exportação de drogas, disse ao Primicias o comandante do Subcomando de Guarda-Costas do Equador em Manabí, Cristian Fiallos. A tudo isso se soma a crise de contêineres, que causou o represamento da droga produzida nas províncias de Guayas, Manabí, Esmeraldas e Carchi, diante da impossibilidade de embarcá-la. A Polícia Antinarcóticos aproveitou essa situação para realizar um grande número de operações de apreensões de drogas ao longo de 2021, acrescentou o comandante Fiallos.

Rota preferencial

“Embora o Equador não seja produtor de drogas, os carregamentos de cocaína e heroína provenientes da Colômbia e do Peru chegam ao país por terra através das fronteiras e por rotas marítimas”, informa o Relatório da Estratégia Internacional de Controle de Entorpecentes, divulgado no dia 2 de março pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. “[Por Guayaquil] sai 80 por cento da cocaína destinada à Europa e aos EUA, camuflada em cargueiros com bananas e outras matérias-primas”, informa El Universo.

Dada sua localização geográfica entre os dois maiores países produtores de cocaína do mundo [Colômbia e Peru], o Equador tem sido durante muito tempo um país de trânsito, na lista dos principais países de trânsito desde 2003, publicou a Embaixada e Consulado dos EUA no Equador, no dia 17 de setembro.

Um plano para o Equador

Uma iniciativa importante que o governo do Equador promove para reverter essa situação e enfrentar o narcotráfico, a criminalidade e a insegurança daí derivados, é a criação do Plano Equador, disse à BBC News o presidente equatoriano, Guillermo Lasso, durante a Conferência sobre a Mudança Climática, em Glasgow, Reino Unido, em novembro de 2021. “Precisamos do apoio internacional dos EUA, da Colômbia e da União Europeia, fundamentalmente. Pretendo promover essa cooperação, porque já é hora de termos um Plano Equador”, declarou.

Share