Bolívia: agentes destroem mega laboratório que cristalizava 100 kg de cocaína por dia

Bolívia: agentes destroem mega laboratório que cristalizava 100 kg de cocaína por dia

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
abril 16, 2021

No dia 13 de março de 2021, integrantes da Força Especial de Luta Contra o Narcotráfico (FELCN) da Bolívia destruíram um mega laboratório de cocaína na Reserva Silvestre Cabo Juan, no estado de Tarija, na fronteira com o Paraguai.

“Presume-se que o laboratório tivesse capacidade de cristalização de 100 quilos de cocaína por dia”, disse o vice-ministro da Defesa Social e Substâncias Controladas, Jaime Mamani, em uma entrevista coletiva.

O mega laboratório destruído pela FELCN da Bolívia, no dia 13 de março de 2021, tinha áreas de secagem (foto), prensagem e embalagem de drogas, entre outras instalações. (Foto: Força Especial de Luta Contra o Narcotráfico da Bolívia)

O laboratório tinha destilador de éter, refrigeração, depósitos de substâncias químicas e equipamentos para diluição, filtragem, secagem, prensagem e embalagem da droga.

Os agentes encontraram no local 2.900 litros de substâncias químicas líquidas e mais de 2 toneladas de substâncias químicas sólidas, além de armas de fogo de diferentes calibres, informou o jornal Los Tiempos.

O prédio tinha dormitórios, restaurante e sala de ginástica, além de uma pista clandestina de pouso com 1,5 quilômetros de extensão. Havia ainda equipamentos de comunicação para alertar quanto à presença de policiais antinarcóticos.

“[Essa] situação permitiu identificar que se tratava de uma organização internacional de narcotraficantes colombianos, paraguaios e bolivianos”, informou a FELCN em um comunicado.

Os traficantes usavam três tipos de etiquetas com as logomarcas AAA, NASA e CNGE, que determinariam a origem e o destino dos carregamentos, informou o jornal El País da Bolívia.

Segundo Mamani, o laboratório foi avaliado em quase US$ 200.000.

Mais de 1 tonelada de drogas

Em menos de uma semana, a FELCN apreendeu mais de 1 tonelada de cocaína e maconha em diversas operações.

No dia 9 de março, durante a Operação Mineral, os agentes interceptaram um caminhão com cerca de 283 kg de maconha e 5 kg de cocaína no estado de Oruro.

Nesse mesmo dia, na Operação Villa Imperial, em Potosí, os agentes identificaram um segundo caminhão que transportava 239 kg de cloridrato de cocaína, 223 kg de pasta base e quase 19 kg de maconha creepy, uma variedade com alto teor de THC.

“Nas duas operações, foi possível confiscar ao todo 769 kg de drogas”, informou em um comunicado o diretor-geral da FELCN, Coronel Edwin Pérez.

No dia 5 de março, os policiais antinarcóticos apreenderam 297 kg de cocaína no estado de Santa Cruz. “Cinco pessoas foram detidas”, informou a FELCN.

Share