Guarda Nacional da Virgínia Ocidental e Exército Sul dos EUA moldam o futuro do corpo de subtenentes do Exército do Peru

Militares do Exército Sul dos EUA e da Guarda Nacional da Virgínia Ocidental trabalharam com o Exército do Peru para treinar os sargentos e subtenentes a desenvolver o profissionalismo, o comportamento ético, a aptidão física e a integração de gêneros.
Capitão da Força Aérea dos EUA Holli Nelson, Guarda Nacional da Virginia Ocidental | 3 outubro 2018

Relações Internacionais

A Terceiro-Sargento do Exército dos EUA Lyndsay Monaco, facilitadora da oficina do Não no Meu Esquadrão e sargento da Brigada S-1 do Centro Nacional de Inteligência, realiza um treinamento de prontidão física com mulheres soldados do Exército do Peru, no dia 10 de setembro de 2018, em Lima, Peru. (Foto: Capitão da Força Aérea dos EUA Holli Nelson, Guarda Nacional da Virginia Ocidental)

Através de uma parceria contínua com o Exército Sul dos EUA (ARSOUTH, em inglês), membros da Guarda Nacional da Virginia Ocidental (WVNG, em inglês) e especialistas em assuntos específicos dos programas Centro para a Profissão e Ética do Exército (CAPE, em inglês) e Não no Meu Esquadrão (NIMS, em inglês) se reuniram para treinar os sargentos e subtenentes do Exército do Peru entre os dias 10 e 14 de setembro de 2018 em Lima, Peru. O Capitão da Força Aérea dos EUA Holli Nelson e o Primeiro-Sargento do Exército dos EUA Hector Guillén, representantes da WVNG, foram acompanhados pelo Subtenente Boris Bolaños, consultor sênior do CAPE, pela Terceiro-Sargento Lyndsay Monaco, facilitadora de oficinas do NIMS e sargento da Brigada S-1 do Centro Nacional de Inteligência e pelos representantes do ARSOUTH, o Primeiro-Sargento Jorge Cornejo e o Segundo-Sargento Carlos Colon.

Durante o engajamento de uma semana de duração, militares dos Estados Unidos se concentraram em trabalhar com os subtenentes seniores líderes do Exército do Peru para ministrar cursos sobre liderança, capacitação do corpo de sargentos e subtenentes, profissionalismo, comportamento ético, aptidão física, desenvolvimento dos sargentos e subtenentes e integração de gêneros para mais de 500 soldados do Exército do Peru. Em sessões separadas, o Cap Nelson e a 3º Sgt Monaco se reuniram diretamente com mais de 50 mulheres do Exército do Peru para um treinamento de prontidão física, para estimular o espírito de solidariedade entre os exércitos dos dois países e destacar a importância da integração de gêneros e da igualdade entre os militares, bem como explicar como a liderança dos subtenentes e sargentos molda as forças dos EUA.

“Quanto à integração de gêneros e ao desenvolvimento profissional dos sargentos e subtenentes, nós somos uma equipe. Somos todos uma família. Não há diferença entre a América do Norte e a do Sul”, disse a 3º Sgt Monaco. “Depois dessa semana, a Força Aérea do Peru espera fazer a mesma coisa e o Exército está pronto para voltar com mais mulheres dos EUA e mudar as bases do seu futuro. Essa semana fez história e não poderia ter sido mais bem-sucedida. Un equipo, una pelea (Uma equipe, uma luta).”

“Ser um soldado da Guarda da Virginia Ocidental, capaz de desempenhar uma função de liderança na formação futura do corpo de sargentos e subtenentes do Peru, é um ponto alto da minha carreira”, disse o Cap Nelson, oficial de relações públicas da WVNG. “Além disso, trabalhar com nossos homólogos do Exército do componente ativo enfatiza a capacidade total da força para estimular as mudanças dos nossos parceiros internacionais.”

O Subtenente do Exército dos EUA Boris Bolaños, conselheiro sênior do Centro de Profissão e Ética do Exército, fala a um grupo de soldados do Exército do Peru, no dia 10 de setembro de 2018, em Lima, Peru. (Foto: Capitão da Força Aérea dos EUA Holli Nelson, Guarda Nacional da Virginia Ocidental)

Além das discussões para melhorar a integração de gêneros no Exército do Peru, a parte mais importante da semana foi relacionada ao desenvolvimento profissional dos sargentos e subtenentes. O Exército do Peru tem um grande corpo de sargentos e subtenentes, mas ele normalmente não tem as responsabilidades de liderança e os padrões de treinamento e educação dos sargentos e subtenentes do Exército dos Estados Unidos.

Todos os dias, os membros da delegação dos Estados Unidos ministraram cursos ao Exército do Peru sobre os fundamentos dos principais valores e as expectativas de progresso do Exército dos EUA. Cada sessão teve um período dedicado a perguntas e respostas para permitir um feedback direto entre os sargentos e subtenentes seniores do Exército do Peru e os sargentos e subtenentes e as forças dos EUA.

O 1º Sgt Guillén, coordenador do Programa de Parceria Estatal (SPP, em inglês) da WVNG e natural do Peru, falou sobre a importância de uma relação sólida entre oficiais e sargentos e subtenentes, a relação de trabalho em conjunto entre o Exército e a Força Aérea na Guarda Nacional e as suas experiências como sargento sênior no Exército. “Existem muitos meios para se deixar um legado e isso realmente acontece com bons líderes. A boa liderança ajuda mental, profissional, técnica, tática e fisicamente”, disse o 1º Sgt Guillén. “O que eu vi foi um grupo de soldados do Exército do Peru desejosos de se adaptar e ansiosos por aprender os novos métodos de trabalho em conjunto, para um presente melhor.”

Ele acrescentou que o SPP é um programa excelente que reúne as melhores forças militares da Virginia Ocidental e da República do Peru para realizar importantes engajamentos e desenvolver parcerias. A Virginia Ocidental e o Peru mantêm vínculos através do SPP desde 1996. Como parte do seminário do NIMS, os sargentos e subtenentes do Exército do Peru puderam debater ideias e enfatizar os temas na organização, sem a presença de oficiais ou representantes seniores, para apresentar às suas lideranças as recomendações quanto a mudanças. Os sargentos e subtenentes do Exército do Peru foram capazes de reconhecer os problemas em sua unidade, desenvolver cursos de ações e mostrar seus métodos de avanço aos seus respectivos líderes, que poderão implementar mudanças ou criar resoluções.

“Nos últimos dias, cheguei à conclusão de que o Exército do Peru está ávido para desenvolver seu corpo de sargentos e subtenentes”, disse o 2º Sgt Colon. “Nesta semana, o Exército dos EUA lhes deu as ferramentas necessárias para isso. Nesse engajamento, nós estimulamos as mulheres do Exército do Peru a buscar a liderança e o autodesenvolvimento. Abrimos muitas portas para seu crescimento na vida militar e também na vida civil e causamos um impacto no futuro crescimento do corpo de sargentos e subtenentes como um todo.”

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 4
Carregando conversa