USS Ingraham interrompe trânsito de cocaína no leste do Pacífico

Operação MARTILLO: Barco é interceptado, com prisão de três suspeitos, na terceira interdição bem-sucedida do Ingraham.
Other | 31 julho 2014

Ameaças Transnacionais

OCEANO PACÍFICO – O USS Ingraham intercepta um barco com narcóticos. (Foto/divulgação da Marinha dos EUA)

USS INGRAHAM, No mar – O USS Ingraham, com o Destacamento 2 do Esquadrão de Helicópteros Antissubmarinos Light 49 e agentes do Destacamento Policial da Guarda-Costeira dos Estados Unidos, barrou o transporte de uma carga de cocaína estimada em mais de 300 kg em operações antinarcóticos da área de responsabilidade da Quarta Frota em 3 de julho.

O Ingraham, trabalhando com forças aliadas e a polícia nacional, foi bem-sucedido na localização e interceptação de um barco rápido em águas internacionais no leste do Oceano Pacífico, cerca de 115 milhas a sudeste da fronteira entre o Panamá e a Colômbia. A embarcação tinha dois motores externos, podendo atingir a velocidade de até 30 nós.

“Os segredos para operações bem-sucedidas como esta são um excelente apoio interagências, uma equipe de vigilância proativa capaz de definir uma estratégia final e uma tripulação que mantenha sua eficiência tática e seus equipamentos no nível ideal”, afirmou o oficial de ação tática do Ingraham durante a perseguição inicial ao barco.

Ao se dar conta da presença de um helicóptero SH-60B, a tripulação do barco começou a jogar os narcóticos ao mar. Após um atirador da Guarda-Costeira a bordo de um dos helicópteros do Ingraham disparar diversos tiros de aviso e contra os motores, a embarcação parou.

O barco rígido inflável do Ingraham conseguiu recuperar diversas pacotes de droga, totalizando cerca de 36 kg. Estima-se que outros 300 kg tenham afundado no mar. O Destacamento Policial da Guarda-Costeira dos EUA apreendeu o barco, deteve os três suspeitos de tráfico e realizou uma inspeção.

Em sua mobilização, o Ingraham interrompeu o transporte de cerca de 5.500 kg de cocaína. Esta é sua terceira interdição bem-sucedida desde sua incorporação à Quarta Frota, para apoiar a Operação MARTILLO. A primeira foi a apreensão de um semissubmersível autopropulsionado, em maio; a segunda, a apreensão de um barco de pesca, em junho.

Na operação MARTILLO, uma iniciativa internacional contra o transporte de drogas, forças militares e a Guarda-Costeira dos EUA, em conjunto com forças policiais de países parceiros, patrulham as águas do Mar do Caribe, do Golfo do México e o leste do Oceano Pacífico o ano inteiro para detectar, monitorar e interditar o tráfico.

Em operações em águas internacionais, embarcações suspeitas são inicialmente localizadas e acompanhadas por forças militares dos EUA e aeronaves ou navios de forças policiais. As interdições efetivas – entrada a bordo, inspeção, apreensões e detenções – são realizadas pelos destacamentos policiais da Guarda-Costeira dos EUA ou agências policiais de países parceiros.

A ação policial dos EUA no mar e a fase de interdição de operações de combate ao contrabando no leste do Pacífico estão sob controle tático do 11º Distrito da Guarda Costeira, com sede em Alameda, no estado da Califórnia.

A Operação MARTILLO conta com a participação de 14 países que se uniram para combater o crime organizado internacional e o transporte ilegal em águas no litoral do istmo da América Central. A Força-Tarefa Interagências-Sul, que congrega diversas agências, uma força-tarefa nacional coordenada pelo Comando o Sul, supervisiona a detecção e o monitoramento de traficantes, auxilizando os EUA e as agências policiais internacionais a barrar suas ações.

Forças navais do Comando Sul/4ª Frota dos EUA apoiam as operações militares conjuntas e combinadas do Comando Sul empregando forças marítimas em operações cooperadas de segurança no mar para manter o acesso, aumentar a interoperabilidade e construir parcerias sólidas para elevar o nível de segurança regional e promover a paz, a estabilidade e a prosperidade nas regiões do Caribe, da América Central e da América do Sul.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 12
Carregando conversa