Navio hospital USNS Comfort zarpa para prover assistência médica, incluindo a venezuelanos necessitados

A missão faz parte do Promessa Contínua, programa patrocinado pelo Comando Sul dos EUA.
Steven McLoud/Diálogo | 18 junho 2019

O navio hospital USNS Comfort dos EUA partirá no dia 19 de junho para começar uma missão de assistência médica de cinco meses, com escalas na Colômbia, Costa Rica, Equador, Granada, Haiti, Jamaica, Panamá, República Dominicana, Saint Kitts e Névis e Santa Lúcia. (Foto: Bill Mesta, Marinha dos EUA)

O navio hospital americano USNS Comfort ancorou no Porto de Miami, Flórida, no dia 18 de junho, para dar início à missão Promessa Contínua, que se estenderá por países da América Latina e do Caribe. 

Durante os cinco meses da missão, o USNS Comfort dará assistência médico-hospitalar a nações parceiras na região e auxiliará nos esforços de ajuda humanitária aos venezuelanos que sofrem com a crise político-econômica do país. 

Esteve presente na entrevista coletiva da cerimônia que marcou o início da missão do USNS Comfort em Miami o vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence e o comandante do Comando Sul dos EUA Almirante de Esquadra Craig Faller, assim como Carlos Vecchio, embaixador venezuelano para os EUA, indicado pelo presidente interino Juan Guaidó. 

“Sob instruções do presidente Trump, nós anunciamos no mês passado que o USNS Comfort se deslocará novamente através da região da América Latina, para amainar o sofrimento do povo da Venezuela”, disse o vice-presidente Pence. Ele também comentou a respeito de todo o pessoal destacado no navio, incluindo membros das nações parceiras da Argentina, Brasil, Canadá, Costa Rica, México e Peru, agradecendo-lhes pelo seu serviço, acrescentando: “os senhores estão embarcando em uma missão vital e estão cumprindo a promessa duradoura desta nação – a missão verdadeira do SOUTHCOM –, para melhorar a saúde pública, aumentar a segurança e fazer crescer a prosperidade em todo esse hemisfério de liberdade.”

Durante o seu destacamento de cinco meses, a equipe diversificada do Comfort, de aproximadamente 1.000 médicos militares e civis, além de profissionais das áreas de engenharia, veterinária, logística e pessoal marinho, vai visitar vários países, sendo a primeira parada no Equador. Outras escalas serão realizadas na Colômbia, Costa Rica, Granada, Haiti, Jamaica, Panamá, Peru, República Dominicana, Saint Kitts e Névis e Santa Lúcia.

Trabalho conjunto

Mike Pence, vice-presidente dos Estados Unidos, disse: “O USNS Comfort se deslocará novamente através da região da América Latina, para amainar o sofrimento do povo da Venezuela”. (Foto: Geraldine Cook, Diálogo)

O pessoal médico militar dos EUA a bordo do navio irá trabalhar ao lado de diversas agências governamentais para fornecer assistência médica às comunidades, tendo como base as necessidades identificadas pelos ministérios de saúde das nações anfitriãs. A maioria desses pacientes será tratada em terra em locais determinados ou montados por membros da equipe médica do navio, ao mesmo tempo em que pacientes selecionados poderão ser atendidos nos serviços de cirurgia a bordo do navio hospital.

Os recursos médicos e odontológicos fornecidos durante essa missão ajudarão as comunidades provendo uma ampla gama de serviços de saúde, incluindo avaliação médica básica e tratamentos diversos, medicina preventiva, exames odontológicos e outros tratamentos dentários, exames de optometria, distribuição de óculos, cirurgia geral, cirurgia oftalmológica, treinamento em saúde pública e outras especialidades, conforme necessário.

Para países como a Colômbia, Equador e Peru, a chegada do Comfort será algo muito necessário para aliviar a pressão sobre os respectivos sistemas médicos destes países que têm recebido e atendido milhares de venezuelanos que fugiram da crise em seu país.

Desde 2018, o colapso econômico da Venezuela, derivado das desastrosas ações do regime de Nicolás Maduro e de seu antecessor, Hugo Chávez, causou a maior crise migratória na história da América Latina. De acordo com as Nações Unidas, quatro milhões de venezuelanos – mais de um décimo da população – fugiram do país nos últimos quatro anos.

“Eu gostaria de aproveitar essa oportunidade para dizer algo aos oficiais profissionais, aos suboficiais, subtenentes, sargentos, soldados, marinheiros e pilotos das Forças Armadas da Venezuela”, disse o Alte Esq Faller. “Os senhores também fizeram uma promessa – um juramento – para proteger os seus cidadãos e defender a sua pátria. Essa promessa envolve a esperança de um futuro melhor – para suas famílias, para suas instituições e para o seu país: que a Venezuela seja novamente livre, democrática e próspera.”

A saída do Porto de Miami marca o sétimo deslocamento do navio hospital para a região desde 2007 e o segundo destacamento no hemisfério ocidental nos últimos seis meses.

“Essa é a razão pela qual o Comfort está retornando à região – para ampliar a esperança, estender a mão aos necessitados”, disse o Alte Esq Faller. Durante os próximos cinco meses, o Comfort espera visitar 14 portos em 12 países. Mas, o único lugar onde ele não irá é aquele onde a assistência é mais necessária: Venezuela”, acrescentou.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 3
Carregando conversa