Estados Unidos e Brasil compartilham experiências durante intercâmbio

Especialistas em operações psicológicas das unidades de operações especiais dos exércitos do Brasil e dos EUA realizaram um intercâmbio para compartilhar as melhores práticas.
Pelo: Primeiro-Sargento do Exército dos EUA Alex Ramos, Comando de Operações Especiais, Sul dos EUA | 3 maio 2019

Capacitação e Desenvolvimento

Membros do Comando de Operações Especiais, Sul dos EUA e do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro posam para uma foto no encerramento de um intercâmbio de especialistas em assuntos específicos sobre as melhores práticas e as lições aprendidas, realizado em Goiânia, Brasil, de 15 a 19 de abril de 2019. (Foto: Comando de Operações Especiais, Sul dos EUA)

Militares americanos e brasileiros do Comando de Operações Especiais, Sul dos EUA (SOCSOUTH, em inglês) e do 1º Batalhão de Operações Psicológicas (1º B Op Psc) do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro (EB) participaram de um intercâmbio entre especialistas em assuntos específicos (SMEE, em inglês) entre os dias 15 e 19 de abril de 2019, em Goiânia, Brasil. O objetivo do evento foi trocar informações sobre as melhores práticas de ambos os países e as lições aprendidas para melhorar a compreensão e as capacidades.

“Nós, membros da única unidade de Operações Psicológicas (PSYOP, em inglês) da América Latina, queríamos sediar um intercâmbio com as tropas dos EUA que realizam Operações de Apoio de Informações Militares, porque temos um alto grau de respeito pela maneira como os Estados Unidos operam e porque sentimos que isso nos ajudaria a aperfeiçoar nossos esforços”, disse o Tenente-Coronel do EB Sérgio Murilo Pereira da Silva, comandante do 1º B Op Psc. “Esse intercâmbio não foi o primeiro que realizamos com as tropas dos EUA e esperamos que não seja o último, pois desejamos continuar a compartilhar as melhores práticas e aprimorar a nossa parceria.”

A Primeiro-Sargento do Exército dos EUA Tracy Zimmerman, suboficial de PSYOP no SOCSOUTH, falou sobre o sucesso do SMEE. “O respeito mútuo que compartilhamos entre as nossas duas forças armadas é diretamente responsável pelo sucesso dessa iniciativa”, disse a 1º Sgt Zimmerman. “Tivemos representantes de duas forças totalmente habilitadas e operacionais, que foram capazes de aprender umas com as outras, aumentando nossa capacidade não apenas de aperfeiçoar nossa destreza, mas também de garantir uma parceria duradoura e frutífera.”

No encerramento do evento, a Primeiro-Sargento do Exército dos EUA Tracy Zimmerman, suboficial de PSYOP do SOCSOUTH, recebeu um presente do 1º Batalhão de PSYOP do Exército Brasileiro, em Goiânia, Brasil. (Foto: Primeiro-Sargento do Exército dos EUA Alex Ramos, Comando de Operações Especiais, Sul dos EUA)

O intercâmbio começou com uma orientação do Comando de Operações Especiais do EB, seguida de uma visão geral de PSYOP do EB. O SOCSOUTH continuou no segundo dia, com sua visão geral de PSYOP, melhores práticas, lições aprendidas e outras informações.

“É disso que se trata”, disse o Segundo-Sargento do Exército dos EUA Robert Barnes, suboficial de Assuntos Civis do SOCSOUTH. “[Trata-se] de trabalhar com nossa nação parceira, desenvolvendo o relacionamento e aumentando as capacidades para as operações conjuntas de informação. Queremos compartilhar o máximo possível com nossos homólogos brasileiros e continuar esse relacionamento no futuro.”

O terceiro dia do intercâmbio permitiu que ambas as equipes fizessem perguntas sobre os eventos e as melhores práticas e compartilhassem a forma como cada país realiza as operações. No encerramento do SMEE, os participantes trocaram presentes e palavras cordiais entre si.

“Aprendemos muito uns com os outros, e somos gratos pela experiência que o SOCSOUTH nos proporcionou”, disse o Ten Cel Murilo. “As portas estarão sempre abertas para que não percamos jamais esses vínculos.”

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 427
Carregando conversa