Suprimentos vitais para vítimas do terremoto no Haiti entregues por via aérea

BASE SCOTT, III DA FORÇA AÉREA – Uma aeronave C-17 Globemaster, da Força Aérea dos Estados Unidos, fez um voo direto da Base Pope da Força Aérea, Carolina do Norte, e entregou 14.500 refeições prontas para consumo e 15 mil litros de água por via aérea em uma zona de entregas controlada de 820 x 1640 metros no Haiti.
WRITER-ID | 19 janeiro 2010

Resposta Rápida

Um militar do Esquadrão de Combate Anfíbio de Helicópteros Chargers (HCS) 26 descarga mantimentos para as vítimas do terremoto no Haiti. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Justin Stumberg)

BASE SCOTT, III DA FORÇA AÉREA – Uma aeronave C-17 Globemaster, da Força Aérea dos Estados Unidos, fez um voo direto da Base Pope da Força Aérea, Carolina do Norte, e entregou 14.500 refeições prontas para consumo e 15 mil litros de água por via aérea em uma zona de entregas controlada de 820 x 1640 metros no Haiti.

A zona de entrega era localizada a oito quilômetros ao norte-nordeste do aeroporto de Porto Príncipe.

Para garantir a segurança do povo haitiano, a Força Tarefa Conjunta-Haiti reservou uma área na qual os suprimentos poderiam ser desembarcados. Uma vez em solo, os suprimentos foram distribuídos pela JTF-Haiti, USAID e outras equipes de alívio.

O Comando Sul dos Estados Unidos, através de seu componente Força Aérea Sul, direcionou a missão que foi desempenhada por Aviadores no Comando de Mobilidade Aérea do QG, 18ª Força Aérea, e pelo 618º Centro de Controle de Transportes de Aviões-Tanque.

Um dos maiores desafios dessa operação de alívio foi a falta de infraestrutura, o que atrasou significativamente a entrega dos suprimentos e trabalhadores aos pontos de maiores necessidades no Haiti. Entregas aéreas são uma das várias opções que a comunidade internacional explora para criar alternativas que possibilitarão que a ajuda atinja as populações mais rapidamente.

Desde 13 de janeiro, o Comando de Mobilidade Aérea já entregou mais de 1,5 toneladas de suprimentos para a região, como parte da Operação Resposta Unificada. Aeronaves desse comando e equipes continuam a ajudar nos esforços internacionais para tornar mais rápida a ajuda aos necessitados.

Para garantir a segurança do povo haitiano, a Força Tarefa Conjunta-Haiti reservou uma área na qual os suprimentos poderiam ser desembarcados. Uma vez em solo, os suprimentos foram distribuídos pela JTF-Haiti, USAID e outras equipes de alívio.

O Comando Sul dos Estados Unidos, através de seu componente Força Aérea Sul, direcionou a missão que foi desempenhada por Aviadores no Comando de Mobilidade Aérea do QG, 18ª Força Aérea, e pelo 618º Centro de Controle de Transportes de Aviões-Tanque.

Um dos maiores desafios dessa operação de alívio foi a falta de infraestrutura, o que atrasou significativamente a entrega dos suprimentos e trabalhadores aos pontos de maiores necessidades no Haiti. Entregas aéreas são uma das várias opções que a comunidade internacional explora para criar alternativas que possibilitarão que a ajuda atinja as populações mais rapidamente.

Desde 13 de janeiro, o Comando de Mobilidade Aérea já entregou mais de 1,5 toneladas de suprimentos para a região, como parte da Operação Resposta Unificada. Aeronaves desse comando e equipes continuam a ajudar nos esforços internacionais para tornar mais rápida a ajuda aos necessitados.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 99
Carregando conversa