SPMAGTF-SC dá boas-vindas a oficial de ligação hondurenho

Pelo Terceiro-Sargento Booker Thomas, Forças do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, Sul | 12 outubro 2018

Relações Internacionais

O Capitão-de-Corveta do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA John Dunn, oficial encarregado do comando da Força-Tarefa Marítima Aeroterrestre para Fins Especiais, do Comando Sul dos EUA, acompanha o Capitão-Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais de Honduras Milton Roldán Meza Sánchez, recém-escolhido oficial de ligação hondurenho da SPMAGTF-SC, em uma caminhada pelo Camp Manion, na Base Aérea de Soto Cano, em Honduras, no dia 26 de setembro de 2018. (Foto: Terceiro-Sargento do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Booker T. Thomas III)

Fuzileiros navais e marinheiros da Força-Tarefa Marítima Aeroterrestre para Fins Especiais, do Comando Sul dos EUA (SPMAGTF-SC, em inglês), se reuniram na Base Aérea de Soto Cano, Honduras, no dia 26 de setembro de 2018, para dar as boas-vindas a um terceiro oficial de ligação militar de uma nação parceira, que vai fazer parte do pessoal do comando, durante seu destacamento na América Latina.

A inclusão do Capitão-Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais de Honduras Milton Roldán Meza Sánchez na equipe da SPMAGTF-SC é fundamental para o sucesso da sua missão, além de ser um passo à frente para montar uma força-tarefa marítima multinacional: militares, equipamentos e aeronaves a bordo das embarcações navais de diversas nações se reúnem para responder aos desastres naturais e às crises humanitárias que possam atingir a região.

“Estou muito entusiasmado com essa oportunidade de aprender com os Fuzileiros Navais dos EUA para, quando voltar, poder transmitir esses ensinamentos aos meus fuzileiros navais em Puerto Castilla, Honduras”, disse o CT Meza.

O CT Meza tem experiência em lideranças importantes. Antes de ser designado como oficial de ligação hondurenho na SPMAGTF-SC, ele serviu como comandante do Primeiro Batalhão de Forças Navais Especiais. Essa experiência reforça sua função na SPMAGTF-SC. Como oficial de ligação, ele é um conduíte de comunicação entre as duas nações, coordenando e apoiando todas as atividades, visto que a SPMAGTF-SC busca criar uma coesão na região através do treinamento lado a lado com suas nações parceiras.

“Nos últimos quatro anos fui testemunha do esforço de Honduras e dos Estados Unidos aperfeiçoando as suas forças através do treinamento integrado”, disse o CT Meza. “Minha função é garantir a oportunidade de continuarmos criando esses relacionamentos, compartilhando as experiências e aprendendo uns com os outros.”

O CT Meza destacou a evolução do Corpo de Fuzileiros Navais de Honduras em mais operações anfíbias, a sua singularidade crescente a partir do Exército de Honduras e a redução dos incidentes nos treinamentos e nas operações entre as agências, que é o resultado direto da cooperação com a SPMAGTF-SC em edições anteriores.

“Havia uma pequena diferença entre o Exército de Honduras e os Fuzileiros Navais antes de começarmos a trabalhar com os Fuzileiros Navais dos EUA”, disse. “Eles nos ensinaram muito sobre as diferenças entre nós e os outros ramos e a importância de reforçar as táticas anfíbias em nosso treinamento.”

Combinando suas funções como oficial de ligação e assistente de operações da SPMAGTF-SC, o CT Meza trabalhará estreitamente ligado ao Capitão-de-Fragata do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Juan Svenningsen, oficial de operações da SPMAGTF-SC, para participar do processo de planejamento e desenvolver futuros treinamentos entre as forças.

“É maravilhoso tê-lo a bordo”, disse o CF Svenningsen. “E é um prazer ter um membro das Forças Armadas da nossa nação anfitriã na nossa formação, para que ele possa aprender conosco e compartilhar conosco seus conhecimentos sobre a região onde estamos operando.”

Imediatamente após ter sido escolhido criteriosamente para o cargo, o CT Meza começou a utilizar a sua capacidade, ao participar de um exercício de treinamento de três dias com a equipe de ação em crises da SPMAGTF-SC, durante um intercâmbio entre especialistas entre a Força Aérea Hondurenha, a Força Naval de Honduras e os Fuzileiros Navais dos EUA em La Ceiba, Honduras. Como parte do intercâmbio, os participantes utilizaram o processo de planejamento do Corpo de Fuzileiros Navais, quando receberam a tarefa de responder a um furacão fictício de um centro de operações de comando remoto.

“Uma coisa que eu gostaria de aperfeiçoar trabalhando com a SPMAGTF-SC é o método de planejamento dos Fuzileiros Navais dos EUA”, disse o CT Meza. “O exercício em La Ceiba me fez dar um passo à frente para alcançar esse objetivo.”

A SPMAGTF-SC, agora melhorada com mais um oficial de ligação da sua nação anfitriã, está pronta para responder imediatamente a um alerta de qualquer crise humanitária ou desastre natural em sua área de operações.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 7
Carregando conversa