Forças especiais do SENAFRONT fortalecem suas capacidades

O treinamento foi realizado com o apoio dos EUA.
Roberto López Dubois/Diálogo | 10 setembro 2019

Capacitação e Desenvolvimento

Unidades do Grupamento de Forças Especiais do SENAFRONT treinam na selva de Darién com o apoio das forças especiais dos EUA, para fortalecer suas habilidades. (Foto: Roberto López Dubois, Diálogo)

O Grupamento de Forças Especiais (AFFE, em espanhol) do Serviço Nacional de Fronteiras (SENAFRONT) do Panamá fortaleceu suas capacidades de condução de tropas, tomada de decisões, desativação de artefatos explosivos improvisados, técnicas de evacuação aeromédica e planejamento, durante as jornadas de reciclagem lideradas por militares dos Estados Unidos, que foram realizadas na sede da Brigada Oriental do SENAFRONT, na comunidade de Metetí, província de Darién, na fronteira com a Colômbia.

“Esses exercícios estão amparados nos convênios entre o Panamá e os Estados Unidos, que permitem a atualização nas questões de segurança e o preparo tecnológico para poder enfrentar as novas ameaças”, disse à Diálogo o Major Oriel De Gracia, que comandou a AFFE durante os treinamentos. “Além disso, outras ameaças existentes no país, como o narcotráfico, se transformam constantemente e eles [os militares dos EUA] têm muitas informações úteis na luta contra esses delitos.”

“Há alguns lugares nos quais é necessário que as unidades tenham destrezas especiais para ultrapassar as dificuldades do terreno ou porque é preciso enfrentar o crime organizado, entre eles os narcotraficantes, tornando-se então necessária uma preparação constante”, afirmou o Maj De Gracia.

Para o Primeiro-Sargento da AFFE Oldemar Pinto, que participou da jornada de capacitação, a experiência trouxe benefícios porque, “como comando, deve-se saber um pouco de tudo, nunca deixar de aprender para se atualizar e ter em mente que o treinamento conduz ao sucesso”.

Outras habilidades treinadas incluíram manobras de evacuações aeromédicas com helicópteros em terreno de difícil acesso, nesse caso, na selva. O treinamento coincidiu com a entrega, no final de junho, de seis helicópteros UH-1H por parte do governo dos EUA para as forças do SENAFRONT. A entrega, segundo Roxanne Cabral, encarregada de negócios da Embaixada dos EUA no Panamá, busca apoiar as forças de segurança para “erguer uma barreira protetora em torno de Darién para deter a atividade criminosa e proteger seus cidadãos”.

A AFFE se dedica a combater o crime organizado, como o tráfico de drogas, pessoas, armas e outras atividades criminosas que representam um risco elevado. No início de agosto, as autoridades capturaram, na fronteira com a Colômbia, um cidadão do Sri Lanka – que tentava entrar no país – com alerta vermelho de segurança, por estar vinculado ao crime organizado. No final de julho, unidades da AFFE também detiveram dois panamenhos em Darién por crime de tráfico ilícito de mais de 100 migrantes. No mesmo período, o SENAFRONT encontrou mais de 1.500 quilos de cocaína na região.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 5
Carregando conversa