Militares salvadorenhos mostram aeronaves de ataque e helicópteros de resgate

Os pilotos participaram de uma exibição de aviação para demonstrar suas habilidades para combater as ameaças emergentes.
Lorena Baires/Diálogo | 4 março 2019

Capacitação e Desenvolvimento

Os pilotos do Grupo Caça e Bombardeio da Força Aérea de El Salvador realizaram várias demonstrações das manobras utilizadas na defesa do território e no combate ao narcotráfico. (Foto: Gloria Cañas, Diálogo)

A Força Aérea de El Salvador (FAS), com o apoio da Guarda Nacional Aérea de New Hampshire (NHANG, em inglês), mostraram suas habilidades em operações de ajuda humanitária, resgate e combate ao narcotráfico, durante o Show Aéreo Ilopango 2019, um evento de aviação civil e militar, realizado nos dias 26 e 27 de janeiro de 2019 na Base Aérea Comalapa, em El Salvador. Os militares salvadorenhos e americanos simularam arriscadas operações com helicópteros de resgate e aviões de ataque.

A demonstração aérea militar foi uma das principais atrações do evento, organizado há 22 anos pela Associação Aeroclub de El Salvador, que reúne mais de 40.000 espectadores. Os fundos arrecadados serão entregues à Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Nacional de Crianças Benjamín Bloom, em São Salvador.

Combate aéreo

“Tivemos a oportunidade de mostrar o trabalho realizado pela nossa primeira linha de defesa aérea, uma esquadrilha de três aeronaves Cessna A-37B, as quais mantêm vigilância permanente diante de possíveis movimentos das redes de narcotraficantes”, explicou o Coronel Piloto Aviador Salvador Hernández, chefe do Estado-Maior Geral da FAS. “Essas aeronaves decolam imediatamente, quando recebem um alerta para interceptar rotas ilegais, marítimas ou aéreas.”

A esquadrilha pertence ao Grupo Caça e Bombardeio da FAS. Suas demonstrações de manobras individuais e em formação foram um exemplo dos trabalhos que colocarão em prática quando tenham que interceptar algum veículo terrestre, aquático ou aéreo suspeito de transportar cargas ilícitas ou de cometer crimes.

“Os diferentes adestramentos recebidos da Força Aérea dos Estados Unidos nos permitiram elevar o nível de operacionalidade dos nossos pilotos e, em consequência, o serviço que prestamos ao país em segurança e resgate”, acrescentou o Cel Hernández. “Esse evento nos permite mostrar os resultados dos treinamentos e intercâmbios, bem como o nível de operacionalidade que temos para combater diariamente o crime transnacional.”

A Força-Tarefa Conjunta Bravo montou uma exibição estática com um dos helicópteros utilizados em operações de assistência humanitária para El Salvador. (Foto: Gloria Cañas, Diálogo)

Pelo sétimo ano consecutivo, a 157ª Ala de Reabastecimento de Combustível da NHANG realizou sobrevoos com seu Boeing KC-135 Stratotanker. Os espectadores da exibição puderam comprovar também as capacidades da aeronave para transportar pacientes durante evacuações aeromédicas.

“Para nós, participar desse evento aéreo é uma oportunidade ideal para conectar-nos diretamente com os salvadorenhos e mostrar nossos elos com o seu país”, disse o Tenente-Coronel do Exército dos EUA Greg Heilshorn, diretor de Relações Públicas da Guarda Nacional do Exército de New Hampshire. “Trabalhamos com boa vontade e mantemos boas relações, o que é a base de qualquer amizade duradoura.”

A Guarda Nacional de New Hampshire está associada à FAES no âmbito do Programa de Associação Estatal dos EUA, que vincula a Guarda Nacional de um estado dos Estados Unidos às forças armadas de uma nação parceira em uma relação de cooperação mútua. Desde o seu início, em 2000, essa associação oferece adestramentos contínuos sobre técnicas de resgate durante inundações repentinas, deslizamentos de terra e terremotos. Em um país sísmico como El Salvador, exercícios desse tipo fortalecem os mecanismos de resposta conjunta diante de emergências.

Operações humanitárias

A Força-Tarefa Conjunta Bravo (FTC-Bravo) do Comando Sul dos EUA participou do evento de 2019 com uma exibição de um dos helicópteros UH-60 Black Hawk, que já serviu em diversas operações humanitárias na América Central. “No caso de El Salvador, em novembro do ano passado [2018], um desses helicópteros nos permitiu distribuir quase 170 toneladas de suprimentos e prestar assistência médica a 4.400 pacientes durante as emergências causadas pelas chuvas”, garantiu o Major do Exército dos EUA Christopher Cashell, integrante da FTC-Bravo.

Os militares salvadorenhos receberam adestramento da FTC-Bravo em resgate em mar aberto, rapel e treinamento com cordas nos UH-60, para operações de assistência humanitária. No âmbito da sua missão de cooperação em segurança, a FTC-Bravo realiza de uma forma cíclica o exercício América Central Compartilhando Conhecimentos e Experiências Operacionais Mútuas, para facilitar os esforços futuros com bombeiros centro-americanos em casos de desastres e evacuações médicas.

“É surpreendente o trabalho que realizam os militares americanos em evacuações ou desastres; o seu nível de profissionalismo é altíssimo”, enfatizou José Luis Arévalo, um engenheiro civil salvadorenho que visitou o evento. “É bom saber que podemos contar com eles em emergências, já que no nosso país nem sempre dispomos de todos os recursos para atendê-las.”

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 28
Carregando conversa