Sail Cartagena de Indias 2018 promove harmonia entre marinhas parceiras

A Marinha Nacional da Colômbia reuniu milhares de pessoas em torno das velas e culturas de nove países.
Julieta Pelcastre/Diálogo | 31 agosto 2018

Relações Internacionais

A Marinha Nacional da Colômbia reúne mais de 75.000 visitantes locais, nacionais e internacionais no evento naval Sail Cartagena 2018, para promover a integração das marinhas das nações parceiras. (Foto: Marinha Nacional da Colômbia)

A Marinha Nacional da Colômbia conseguiu reunir as marinhas de nove países da América e da Europa no Caribe colombiano. O evento marítimo Sail Cartagena 2018, realizado de 21 a 26 de julho, cumpriu sua missão de fortalecer os laços de cooperação e amizade entre diversas forças navais.

A festa náutica, realizada a cada quatro anos desde 2006, em Cartagena, Colômbia, foi concorrida. “Tivemos uma semana naval e contamos com a presença de sete veleiros escola, dois navios de marinhas parceiras e mais de 2.000 marinheiros”, disse à Diálogo o Contra-Almirante Francisco Cubides Granados, diretor da Escola Naval de Cadetes Almirante Padilla, da Marinha da Colômbia, e secretário executivo do Sail Cartagena 2018. “Foi o cenário perfeito para trabalharmos pelo bem-estar do hemisfério no âmbito marítimo.”

O Sail Cartagena busca promover uma maior e melhor integração regional e hemisférica entre as marinhas do planeta e tornar Cartagena das Índias um destino turístico e náutico no Caribe e no continente americano. Nos cais de Bodeguita, Edurbe e Sociedad Portuaria, atracaram os veleiros ARA Libertad, da Argentina; NVe Cisne Branco, do Brasil; Esmeralda, do Chile; USCGC Hamilton, dos Estados Unidos; FNH Lempira, de Honduras; BAP Unión, do Peru; NPR Sagres, de Portugal; ARM Cuauhtémoc, do México; e o anfitrião ARC Gloria, da Marinha da Colômbia. Os tripulantes compartilharam experiências e aproveitaram os atrativos da cidade murada, patrimônio histórico e cultural da humanidade.

Durante o evento, 75.000 turistas locais e internacionais puderam fazer contato cultural com cada um dos países através de suas embarcações. “Cada veleiro é uma embaixada flutuante cheia de história, cultura e tradições, que leva uma mensagem de boa vontade do rosto amável da marinha”, disse à Diálogo o Contra-Almirante Juan Ricardo Rozo, diretor da Escola Naval de Suboficiais da Marinha da Colômbia. “Não se trata apenas de realizar atividades militares no mar para neutralizar as ações dos grupos criminosos; elas também levam uma mensagem de boa vontade.” 

Demonstrações de amizade

A cerimônia de abertura incluiu um desfile náutico de boas-vindas, onde mais de 100 barcos à vela se reuniram com diversos iates em torno do canal de acesso aos cais. “Toda a comunidade náutica da cidade veio dar as boas-vindas”, declarou o C Alte Cubides. “Esse foi o momento ideal para mostrar aos visitantes que Cartagena tem uma história náutica.”

Mais de 2.000 membros da marinha de todo o mundo participaram de desfiles, atividades gastronômicas, concertos e eventos culturais no Sail Cartagena 2018. (Foto: Marinha Nacional da Colômbia)

O navio peruano BAP Unión recebeu honras de canhão por ter sido sua primeira entrada na Colômbia. O evento incluiu um desfile militar na baía com exibição das embarcações navais e mais de 250 marinheiros dos países participantes. “Cada tripulação exibiu orgulhosamente suas bandeiras, insígnias e estandartes”, garantiu o C Alte Cubides.

Durante as atividades navais foi realizado um concurso de nós. A tripulação peruana conquistou o primeiro lugar, ao demonstrar sua precisão e velocidade, seguida pelo ARC Gloria da Colômbia e pelo NPR Sagres de Portugal. Além disso, houve festivais de gastronomia, atos culturais e um concerto de despedida com a participação de 5.000 pessoas.

Durante o evento, comemorou-se o 50º aniversário do Navio Escola Gloria, da Marinha da Colômbia. O embaixador flutuante já hasteou seu pavilhão em 77 países e formou a bordo mais de 4.000 jovens na prática marítima, informou a Marinha em um comunicado. 

A melhor contribuição

“O processo de paz nos trouxe uma época na qual, embora haja ajustes a serem feitos, chegou um bem-estar para toda a população colombiana”, comentou o C Alte Cubides. “O país [tem] indicadores econômicos em alta; as pessoas percebem a paz no seu dia-a-dia.”

O Sail Cartagena cresceu desde suas edições passadas. Para o C Alte Rozo, o encontro de comandantes e os eventos náuticos “são um exemplo de como essas atividades fortalecem as capacidades e as relações entre as diferentes marinhas, porque entre todos somamos esforços e capacidades”, disse ele.

“Foi especial ver as crianças contentes, felizes, fazendo perguntas enquanto visitavam as embarcações. Essas crianças, no futuro, terão a oportunidade de se tornar membros de uma instituição como a Marinha Nacional da Colômbia. Todas essas atividades fortalecem os laços de cooperação e nos aproximam mais da população”, concluiu o C Alte Rozo.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 146
Carregando conversa