Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar do Sul, encarregado da defesa no sul do Brasil

O Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar do Sul do Exército Brasileiro é o órgão responsável pela coordenação e condução de operações interagências e da cooperação com exércitos de nações parceiras na região sul do Brasil.
Kaiser Konrad/Diálogo | 4 abril 2018

Relações Internacionais

O General-de-Brigada do EB Carlos José Penteado, chefe do Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar do Sul, no seu posto de comando em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. (Foto: CCOp/CMS)

O Quartel General do Comando Militar do Sul (CMS) está localizado no centro histórico da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Brasil. O General-de-Exército Edson Leal Pujol, comandante do Comando Militar de Área do Exército Brasileiro (EB), é responsável por todas as atividades militares desenvolvidas nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Esse comando é conhecido como a elite do combate convencional, pois possui a maior parte dos meios blindados, mecanizados, de artilharia e engenharia de combate da Força Terrestre brasileira.

Flagrante da Operação Paraná, exercício combinado entre o Brasil e o Paraguai na cidade de Cascavel, no estado do Paraná, Brasil. (Foto: CCOp/CMS)

Em 12 de julho de 2014, foi criado o Centro de Coordenação de Operações (CCOp), que está diretamente vinculado ao CMS (CCOp/CMS). O CCOp tem como missão planejar, orientar, coordenar e/ou conduzir as atividades de adestramento básico e avançado e as operações militares dos grandes comandos e das grandes unidades operacionais no âmbito do CMS. “Este centro se caracteriza por sua grande agilidade, flexibilidade e presteza na emissão de diretrizes e ordens para a preparação de tropas e execução de operações, mantendo uma ligação direta com o Comando de Operações Terrestre, com o Comando Logístico e com os comandos da 3ª e da 5ª Divisão de Exército”, disse à Diálogo o General-de-Brigada do EB Carlos José Penteado, chefe do CCOp/CMS.

Operações interagências

A zona de fronteira com Paraguai, Argentina e Uruguai tem sido bastante utilizada pelo crime organizado e pelas organizações criminosas transnacionais como a principal porta de entrada para armas e drogas no Brasil. Para combater as atividades criminosas, são realizadas operações interagências, que consistem na interação das forças armadas com agências governamentais, com a finalidade de coordenar esforços para a consecução de objetivos que atendam ao bem comum.  

“O CCOp tem apoiado diversas atividades na região sul do país, destacando-se a Operação Muralha, uma parceria entre as forças armadas, os departamentos de Inteligência, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e as polícias Civil e Militar dos estados”, disse o Gen Brig Penteado. “[Essa operação] ocorreu na tríplice fronteira entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai, com o objetivo de reforçar o combate a crimes como o contrabando e o tráfico de drogas, armas, munição e medicamentos.” 

Outra atividade com grande relevância é a Operação Ametista, realizada pelo Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados, por tropas operacionais do CMS, pela Polícia Civil, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e pelo Departamento Nacional de Produção Mineral. O objetivo dessa operação é o de fiscalizar o uso de produtos controlados em garimpos, contribuindo para o fortalecimento das ações na luta contra o crime organizado e das ações ilícitas na região sul.

As autoridades nacionais e internacionais cumprimentam a tropa envolvida na Operação Paraná. (Foto: CCOp/CMS)

Defesa externa

O CCOp também participa do planejamento das operações de defesa externa, coordenando exercícios e operações ofensivas e defensivas, empregando os meios blindados e mecanizados, de apoio de fogo, de mobilidade e contramobilidade, bem como as comunicações e a estrutura logística do CMS. “Tudo isso [é feito] buscando alcançar o mais alto nível de desempenho das tropas empregadas no terreno, proporcionando uma constante atualização doutrinária junto aos estados-maiores das divisões de Exército e brigadas”, ressaltou o Gen Bda Penteado.

Baseado no Plano de Proteção Integrada de Fronteiras, o CCOp, em coordenação com o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e o Ministério da Defesa do Brasil, tem se empenhado no fortalecimento da prevenção, do controle, da fiscalização e da repressão aos delitos transfronteiriços, juntamente com agências federais e estaduais, realizando anualmente a Operação Ágata. Durante as últimas edições da Operação Ágata, o CMS empregou os meios do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). 

“Este sistema é um conjunto de recursos tecnológicos de vigilância e monitoramento, aliado à tecnologia da informação, à guerra eletrônica e à inteligência. Com o emprego do SISFRON, a 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, localizada em Curitiba, Paraná, aumentou a capacidade operativa de suas organizações militares, expandindo e intensificando o controle na faixa de fronteira no sul do país”, acrescentou o Gen Bda Penteado.

Cooperação internacional

O EB vem realizando diversos exercícios militares com nações parceiras. No âmbito do CMS, o CCOp coordena as Operações Arandu e Guarani, realizadas com o Exército da Argentina, e a Operação Paraná, efetuada com o Exército do Paraguai. Estas operações combinadas consolidam a integração entre as forças armadas, ampliando o intercâmbio e consolidando a diplomacia militar entre as nações.

“O Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar do Sul está diuturnamente preparado para conduzir as operações militares que ocorrem no extremo sul do Brasil, sejam elas de defesa externa, de coordenação e cooperação com agências, de garantia da lei e da ordem, ou combinadas com países amigos, sempre imbuído do espírito de cumprimento de missão e contribuindo para a garantia da soberania nacional”, finalizou o Gen Bda Penteado.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 18
Carregando conversa