Rio de Janeiro sedia exposição internacional de defesa e segurança

A primeira edição da Rio International Defense Exhibition levou aproximadamente 13.000 visitantes ao Rio de Janeiro.
Taciana Moury/Diálogo | 12 setembro 2018

Relações Internacionais

Autoridades civis e militares participaram da cerimônia de abertura da RIDEX 2018, que reuniu cerca de 100 expositores e mais de 30 delegações no Píer Mauá, no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto: Ministério da Defesa do Brasil)

A primeira edição da Rio International Defense Exhibition (RIDEX) reuniu o setor de defesa e segurança da América Latina de 27 a 29 de julho de 2018, no Brasil. A feira, promovida pela Empresa Gerencial de Projetos Navais, vinculada ao Ministério da Defesa do Brasil, reuniu aproximadamente 100 expositores, mais de 30 delegações e 13.000 visitantes no Pier Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro.

O NDM Bahia foi uma das embarcações da Marinha do Brasil abertas à visitação do público durante o evento. (Foto: Ministério da Defesa do Brasil)

A RIDEX deriva de edições anteriores da feira Base Industrial de Defesa (BID) Brasil, que ocorriam em Brasília, desde 2012. “Transferimos para o Rio de Janeiro, inserindo o segmento naval (OffShore) e dando um novo nome: Rio International Defense Exhibition”, explicou o Vice-Almirante da Marinha do Brasil (MB) Marcelo Francisco Campos, diretor do Departamento de Promoção Comercial do Ministério da Defesa. O objetivo foi integrar a cadeia produtiva latino-americana das áreas de defesa, segurança e segmento naval, além de fomentar parcerias estratégicas com as nações parceiras. 

A RIDEX passa a fazer parte do calendário brasileiro e internacional de feiras de defesa e segurança, sendo realizada a cada dois anos. A primeira edição teve a presença expressiva das Forças Armadas Brasileiras, com a exibição dos principais projetos estratégicos em desenvolvimento.

De acordo com o V Alte Campos, a participação das forças foi fundamental para o sucesso da primeira edição. “Um dos propósitos da feira foi conciliar os interesses das nossas forças e de nossos parceiros estratégicos à capacidade de desenvolvimento tecnológico da base industrial de defesa latino-americana”, destacou.

Para o oficial, a RIDEX possibilitou discutir a importância da soberania e a contribuição da indústria de defesa para a economia do Brasil. “Dentre os vários painéis e palestras realizados, tivemos a oportunidade de discutir o ciclo de vida de sistemas e produtos de defesa, correlacionando à soberania e à economia de defesa e apresentando os benefícios para a sociedade”, disse. “A disseminação da importância dessa integração dos atores do setor de defesa foi uma importante contribuição da feira.”

Durante os três dias do evento, foram abordados temas como a defesa cibernética e os desafios vividos pela segurança pública. Na área de exposição, os visitantes puderam conferir inovações do setor, como o colete à prova de bala com proteção lateral e soltura rápida, desenvolvido para ser utilizado pelos policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais do Rio de Janeiro, e um moderno sistema de bloqueio de drones. A RIDEX contou ainda com stands interativos como o de tiro, robô, simulador de salto livre, de navegação e de submarino.

Embarcações expostas

A localização da RIDEX, próxima ao mar, permitiu aos visitantes conhecerem várias embarcações da MB, além de presenciar demonstrações de veículos aquáticos. Estavam atracados no local o Navio Doca Multipropósito (NDM) Bahia, além da Corveta Barroso, do Navio-Patrulha Gurupá e do Navio de Apoio Oceânico Mearim.

O trabalho realizado pelo Primeiro Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Exército Brasileiro foi divulgado na área de exposição da feira. (Foto: Ministério da Defesa do Brasil)

Quem subiu a bordo do NDM Bahia pôde conhecer também o radar Gaivota-X, de busca volumétrica, que opera a banda “X”, capaz de guiar mísseis superfície-ar antiaéreo. Além disso, observou de perto um helicóptero Super Cougar AH-15B, armado com um míssil Exocet AM-39 de manejo e seu lançador, fornecidos pelo Centro de Mísseis e Armas Submarinas da MB.

O Contra-Almirante da MB Antônio Capistrano de Freitas Filho, subchefe de Logística do Estado-Maior da Armada, disse que todo o material exposto na feira pela MB teve como propósito promover as capacitações e mostrar as potencialidades da BID nacional. “Foi uma oportunidade para a troca de conhecimentos e informações sobre os diversos sistemas, meios e equipamentos utilizados na América Latina”, contou.

O C Alte Capistrano revelou que durante o evento foram firmadas reuniões bilaterais entre estados-maiores da MB e de marinhas estrangeiras. “Já está na pauta futuros encontros com Canadá, Chile, França e Itália”, disse.

Projetos estratégicos

A Força Aérea Brasileira (FAB) levou para a RIDEX 2018 seus principais projetos e produtos ligados à área de ciência e tecnologia. A exposição contou, dentre outros, com a réplica em tamanho real do futuro caça da FAB, o Gripen NG, permitindo ao visitante experimentar a sensação de adentrar numa aeronave de caça, e de uma maquete em tamanho real do veículo espacial VSB-30. O VSB-30 foi fabricado com tecnologia nacional e comercializado para diversos países, como Alemanha e Suécia.

Segundo informações do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), a RIDEX ressaltou a importância da junção de forças para incrementar o segmento brasileiro de defesa, de segurança e de offshore. “Os visitantes puderam conhecer o esforço da FAB na consolidação de projetos estratégicos que saíram do estágio de uma necessidade para a fase da realidade. Atualmente em fase de testes, o Gripen NG e o KC-390 incrementarão, em breve, a operacionalidade da FAB”, disse a nota do CECOMSAER.

O programa Astros 2020 de mísseis e foguetes, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras e o programa de blindados Guarani foram alguns dos projetos do Exército Brasileiro (EB) divulgados durante a RIDEX. “Foi possível interagir com os diferentes públicos que prestigiaram o evento”, disse o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEX), em nota.

 

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 4
Carregando conversa