Comandante do Exército do Peru visita unidades militares nos EUA

O General de Exército Jorge Orlando Céliz Kuong participou de reuniões e de apresentações em Fort Sam Houston, no Texas, e em Fort Benning, na Geórgia.
Marcos Ommati/Diálogo | 12 março 2019

Relações Internacionais

O General de Brigada Gary Brito (dir.), comandante do Centro de Excelência de Manobras do Exército dos EUA, recepcionou o General de Exército Jorge Orlando Céliz Kuong, comandante do Exército do Peru, e sua comitiva, no dia 28 de fevereiro de 2019. (Foto: Marcos Ommati, Diálogo)

Longe de ser sua primeira visita aos Estados Unidos, esta foi uma muito especial. No final de fevereiro o General de Exército Jorge Orlando Céliz Kuong regressou ao país onde cursou um mestrado em Ciências da Administração como comandante geral do Exército do Peru, função que assumiu em novembro de 2018. “É uma viagem de extrema importância para mim e para meu pessoal que me acompanha, uma vez que vai nos ajudar no processo que estamos conduzindo no Peru de transformação institucional”, disse o Gen Ex Céliz à Diálogo. “Aqui, por exemplo, vemos como os Estados Unidos estão desenvolvendo este mesmo processo, algo que eles já têm bastante implementado.”

O General de Brigada do Exército dos EUA George Appenzeller (dir.), comandante do Centro Médico Brooke do Exército, explicou ao Gen Ex Céliz que a clínica foi criada para atender, majoritariamente, aos militares americanos que serviram nas guerras do Iraque e do Afeganistão. (Foto: Marcos Ommati, Diálogo)

Uma reunião bilateral no gabinete do General de Brigada Mark Stammer, comandante do Exército Sul dos Estados Unidos (ARSOUTH em inglês), em Fort Sam Houston, marcou o início das atividades. O Gen Ex Céliz foi acompanhado por sua comitiva: o General de Divisão Walter Enrique Astudillo Chávez, comandante geral de Educação e Doutrina do Exército; o General de Brigada Julio Cesar Castañeda Zegarra, diretor de Educação e Doutrina do Exército; e o General de Brigada Edwin Patterson Monsalve, secretário geral da Comandância do Exército do Peru. Ao final, o Gen Ex Céliz e o Gen Bda Stammer agendaram uma reunião bilateral para abril de 2019, onde se discutirá a possibilidade de o Peru sediar uma conferência regional sobre problemas comuns, patrocinada pelo ARSOUTH. 

Centro para o Intrépido

O Gen Ex Céliz também visitou o Centro para o Intrépido, uma clínica de reabilitação médica de última geração no Centro Medico Brooke do Exército (BAMC, em inglês), no Forte Sam Houston, que oferece serviços de terapia, tratamento, recuperação e reintegração dos militares das Forças Armadas dos EUA. O General de Brigada George Appenzeller, comandante do BAMC, explicou à comitiva peruana que a clínica foi criada para atender, majoritariamente, aos militares americanos que serviram nas guerras do Iraque e do Afeganistão, mas que “aqueles que participaram de conflitos anteriores também são elegíveis aos tratamentos oferecidos, assim como militares que foram feridos em outras situações não relacionadas a combates ou exercícios militares”.      

Medicina militar

No dia seguinte, no ARSOUTH, o Gen Ex Céliz fez uma apresentação sobre a visão, diretrizes e o processo de transformação pelo qual o exército de seu país está atravessando atualmente. “Temos o compromisso de nos modernizar, criando uma capacidade real e efetiva, transformando-nos num exército multimissão, porém sempre em conformidade com as necessidades de segurança da nossa sociedade”, disse o Gen Ex Céliz. Além disso, ressaltou a visão estratégica de interoperabilidade entre as forças armadas e polícias para facilitar o enfrentamento a desafios que “praticamente todas as nações do hemisfério sul têm em comum, como o narcotráfico”.

O Gen Céliz deu uma palestra no Curso de Comando e Estado-Maior do WHINSEC sobre os principais desafios enfrentados na atualidade pelo Exército peruano. (Foto: Lee Rials, Relações Públicas do WHINSEC)

Encerrada a apresentação, os oficiais peruanos se dirigiram ao Centro Médico e Centro de Excelência da Escola de Prontidão em Saúde do Exército dos EUA. “O centro é onde o Departamento Médico do Exército formula sua organização médica, táticas, doutrinas e equipamentos. Já a escola é onde o Exército [dos EUA] educa e treina todo seu pessoal médico”, explicou Oscar Ramos-Rivera, diretor da Divisão de Programas Internacionais da instituição.

Pilotos médicos americanos fizeram simulações de voos em ambiente de combate que impressionaram os oficiais generais peruanos pela proximidade com a realidade e o equipamento de ponta utilizado. Por último, o Gen Ex Céliz realizou uma série de reuniões com oficiais de alta patente dos EUA, que resultaram em acordos iniciais para a formação, intercâmbios não-recíprocos e tratamentos de emergência em benefício de membros do Exército do Peru. Dali, o grupo partiu para Columbus, na Geórgia, onde a visita teria continuidade no Forte Benning no dia seguinte. 

Equilíbrio vida militar-família

A visita da delegação peruana à Geórgia teve início com uma reunião privada com o General de Brigada Gary Brito, comandante do Centro de Excelência de Manobras do Exército dos EUA. A instituição é responsável por instruir e treinar os futuros integrantes das unidades que serão destacadas aos diferentes comandos operacionais americanos espalhados pelo mundo. Durante a apresentação, o comandante do Exército do Peru se mostrou particularmente interessado em saber como o centro está se modificando para, cada vez mais, obter um melhor equilíbrio entre a vida na caserna e o convívio com familiares e amigos dos soldados americanos.

A comitiva peruana também visitou a Brigada de Infantaria Nº 198 do Exército dos EUA, que recebe civis e os treina para transformá-los em soldados, e aos galpões onde ficam os tanques tipo Stryker. Ali, os oficiais peruanos tiveram uma aula de como funciona o que os militares americanos chamam de “plataforma de capacidades, não apenas um veículo de guerra”. A família de veículos blindados Stryker é a mais utilizada pelo Exército dos EUA em exercícios e em missões reais. 

WHINSEC

A viagem para a Geórgia não poderia ter sido completa sem uma visita ao Instituto de Cooperação para a Segurança Hemisférica (WHINSEC, em inglês). Ali, o Gen Ex Céliz, que foi instrutor daquela instituição no final da década de 1990, teve a oportunidade de rever antigos colegas. Ele também fez uma palestra no Curso de Comando e Estado-Maior do WHINSEC sobre os principais desafios enfrentados na atualidade pelo Exército do Peru. “É uma ambição bastante difícil e muito desafiadora essa transformação institucional. Há coisas que podem ser feitas imediatamente e não têm custo, como a mudança de mentalidade ou a mudança da cultura organizacional; por isso é importante ver o que fazem outros exércitos, em especial, o dos EUA, para analisar o que podemos aproveitar ou adaptar para o Peru. Esta viagem foi altamente proveitosa”, concluiu o Gen Ex Céliz. 

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 7
Carregando conversa