Presidente eleito do Panamá reconhece Guaidó

O Panamá continuará apoiando a solução democrática para a crise da Venezuela.
Juan Delgado/Diálogo | 10 junho 2019

Ameaças Transnacionais

O presidente eleito do Panamá Laurentino Cortizo comemora sua vitória no dia 5 de maio de 2019. Cortizo afirmou que reconhecerá Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. (Foto: Juan Ordoñez, AFP)

O presidente eleito do Panamá Laurentino Cortizo declarou, no dia 13 de maio, que reconhecerá Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela e confirmou que manterá seu país como integrante do Grupo de Lima. “A República do Panamá já tem uma relação direta com o governo de Guaidó. É a República do Panamá; não é Cortizo, e sim a República do Panamá. E isso se respeita.”

O Panamá é um dos mais de 50 países que reconheceram Guaidó como presidente interino no dia 23 de janeiro de 2019, depois que a Assembleia Nacional venezuelana considerou Nicolás Maduro usurpador, devido à sua reeleição fraudulenta em maio de 2018. A embaixadora designada por Guaidó no Panamá, Fabiola Zavarce, entregou suas credenciais ao mandatário panamenho, Juan Carlos Varela, no dia 18 de março.

Após classificar como “triste” o que a Venezuela vem atravessando com a situação humanitária, econômica e política, Cortizo declarou ao canal de televisão panamenho TVN-2 que deve haver “uma saída negociada e democrática” no país sul-americano.

“Se nós pudermos nos sentar à mesa e todos os setores sintam que a Venezuela e a região podem se beneficiar, sem exceção, e passar por um período de transição até que haja uma eleição que dê garantias aos venezuelanos, que têm um grande país, acredito que o Panamá poderá ajudar nesse sentido”, disse Cortizo, que tomará posse no cargo no dia 1º de julho.

O governo de Varela, junto com os Estados Unidos e diversos outros países da região, repudiou a prisão do vice-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Édgar Zambrano, realizada no dia 8 de maio pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional, o SEBIN.

“Repudiamos a prisão ilegal e arbitrária de Édgar Zambrano por parte do regime ilegítimo de Nicolás Maduro. É preciso haver respeito à ordem constitucional nesse país irmão”, disse Varela através da rede social Twitter.

No dia 15 de maio, Mauricio Claver-Carone, conselheiro do presidente dos EUA Donald Trump e diretor do Conselho de Segurança Nacional dos EUA para o hemisfério ocidental, se reuniu com Varela e Cortizo na Cidade do Panamá, onde conversaram sobre uma transição democrática e pacífica na Venezuela. Durante essa visita, Claver-Carone anunciou a chegada do navio-hospital de assistência humanitária USNS Comfort ao Panamá, em agosto.

“A chegada do navio-hospital USNS Comfort ao Panamá permitirá que prestemos assistência médica aos panamenhos que dela necessitarem, bem como aos refugiados venezuelanos que tiveram que deixar seus lares, fugindo do regime tirânico de Nicolás Maduro”, disse Claver-Carone.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 5
Carregando conversa