Los Halcones da Guatemala treinam com Green Berets dos EUA para lutar contra drogas

Oficiais da Polícia Nacional Civil treinam com as Forças Especiais do Exército dos EUA — os famosos "Green Berets" (Boinas Verdes) para estudar táticas militares de combate ao narcotráfico.
Raul Barreno | 19 agosto 2015

Ameaças Transnacionais

Los Halcones, os agentes antidrogas da Polícia Nacional Civil da Guatemala, treinaram recentemente com os Green Berets dos EUA por mais de seis semanas. [Foto: Ministério do Interior da Guatemala]

Por mais de seis semanas, 22 agentes da unidade "Los Halcones" (Falcões), da Polícia Nacional Civil da Guatemala, treinaram com os Green Berets, do Exército dos Estados Unidos, participando de exercícios que tinham como foco o combate a organizações criminosas, inclusive grupos do narcotráfico que utilizam os países centro-americanos como ponto de transbordo para levar narcóticos para a América do Norte.

Durante o treinamento, os Los Halcones, que fazem parte do grupo de elite da Força de Interdição Antidrogas e Antiterrorista (FIAAT), estudaram e praticaram técnicas militares para executar operações aéreas e terrestres usando helicópteros e outros equipamentos fornecidos pelos EUA.

O treinamento, que ocorreu em partes diferentes da Guatemala entre maio e julho, cobriu movimentos táticos, operações aéreas móveis, primeiros socorros, navegação terrestre, boa pontaria e um curso sobre como selecionar objetivos.

Cerca de 60 agentes participaram do treinamento para ações de choque rápido contra narcotraficantes, segundo a vice-ministra guatemalteca de Combate às Drogas, Pahola Ovalle Cabrera.

“Eles realizaram um curso extremamente difícil, que os levou aos limites de suas capacidades físicas”, disse a vice-ministra Pahola. “Os instrutores, entre estrangeiros e nacionais, selecionaram os melhores agentes entre muitos candidatos. E, com certeza, agora eles vão colocar todos os seus esforços no combate frontal ao narcotráfico que será de grande benefício para o país.”

Um esforço cooperativo

O treinamento faz parte da cooperação contínua entre a Guatemala e os EUA, que colaboraram ao compartilhar recursos, informações e treinamento na luta contra o tráfico de drogas internacional e organizações criminosas transnacionais.

Por exemplo, em 2013, os EUA doaram para a Guatemala seis helicópteros UH-1Y, com a capacidade para transportar 13 pessoas cada e valor total de US$ 11 milhões (R$ 37,95 milhões).

O objetivo dos Los Halcones é “lutar de frente contra o narcotráfico no país e impedi-lo de causar maiores danos”, disse a vice-ministra Pahola. “Estou satisfeita com o treinamento que o grupo de ações rápidas Los Halcones recebeu. O apoio da cooperação internacional foi vital.”

A unidade “é a melhor das Forças Especiais, e eles estão preparados e prontos para combater o narcotráfico, dispostos a dar suas próprias vidas, se necessário”, disse Oscar Boc Ixcol, instrutor dos Los Halcones.

Os agentes que treinaram com os Green Berets tiveram de passar por “testes de seleção difíceis para se juntar à força”, disse o vice-ministro de Assuntos Internos, Elmer Sosa. “Eles foram selecionados com base nos mais altos padrões de confiabilidade, com testes psicológicos e estudos socioeconômicos. Precisamos ter os melhores agentes nesta força de elite que luta contra o crime organizado e o narcotráfico.”

Os 60 agentes participantes pertencem à PNC são especializados em combate às drogas e recebem missões de sua base na Cidade da Guatemala.

A importância da cooperação

A cooperação com os EUA é um componente importante da luta da Guatemala contra grupos do narcotráficos e outras organizações criminosas transnacionais.

“O apoio que recebemos dos Estados Unidos foi importante, acima de tudo com relação a treinamento e interdições terrestres, técnicas de interdição e navegação terrestre, entre outros”, disse o vice-ministro Sosa.

O treinamento recente “representa um apoio vital para a Guatemala”, disse Brenda Muñoz, analista de segurança e ex-promotora antidrogas do departamento oeste de Quetzaltenango.

O treinamento ajudará os Los Halcones a utilizar os equipamentos doados pelos EUA com eficiência na luta contra o tráfico de drogas e outras atividades criminosas.

“É importante que os Estados Unidos apoiem no treinamento”, disse Brenda. “Em primeiro lugar, porque fazê-lo eles próprios é muito caro e, em segundo, porque devem garantir que os recursos doados sejam utilizados de maneira eficaz.”

Neste ano, até o início de agosto, as forças de segurança guatemaltecas apreenderam cinco toneladas de cocaína, depois de confiscar 3,5 t do narcótico em todo o ano de 2014, acrescentou o vice-ministro Sosa.

A Guatemala está dedicando esforços substanciais em sua luta antidrogas.

Por exemplo, atualmente, a Guatemala tem mais de 1.000 agentes antidrogas e 35 equipes completas de segurança canina que realizam operações nos aeroportos internacionais em La Aurora e Mundo Maya, na Cidade da Guatemala e Petén, respectivamente, além dos portos de Quetzal, no Oceano Pacífico, e Santo Tomás de Castilla e Puerto Barrios, ambos no Oceano Atlântico.

Várias forças-tarefas também atuam em todo o país, inclusive a Força-Tarefa Tecún Umán em San Marcos, que faz fronteira com o México, e a Força-Tarefa Maya-Chortí, que realiza missões de segurança na fronteira com Honduras.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 9
Carregando conversa