Militares de Honduras concluem curso em coordenação com Estados Unidos e Colômbia

Os formandos do Curso de Formação Internacional de Ação Integral e Desenvolvimento puseram em prática o que aprenderam, com uma brigada médica em benefício da população.
Iris Amador/Diálogo | 26 outubro 2018

Capacitação e Desenvolvimento

Militares de Colombia y Honduras impartieron jMilitares da Colômbia e de Honduras promoveram jogos e diversas atividades para distrair as crianças do município de Ojojona, Honduras, em um evento de assistência humanitária, no dia 27 de setembro de 2018. (Foto: Capitão do Exército da Colômbia Helber Quintero)uegos y diversas actividades para entretener a los niños del municipio de Ojojona, Honduras, en un evento de asistencia humanitaria el 27 de septiembre de 2018. (Foto: Capitán del Ejército de Colombia Helber Quintero)

Após três semanas de instrução, o Curso de Formação Internacional de Ação Integral e Desenvolvimento terminou no dia 28 de setembro, na Base Aérea Coronel Hernán Acosta Mejía, em Tegucigalpa, Honduras. O curso faz parte das iniciativas do Plano de Ação Estados Unidos-Colômbia para a América Central e o Caribe (USCAP, em inglês), um programa de cooperação entre os países do hemisfério para fortalecer a segurança regional. A iniciativa é patrocinada pelo Comando Sul dos EUA e administrada pela Colômbia.

Membros do Exército Nacional da Colômbia ministraram o curso de formação a 26 alunos das Forças Armadas de Honduras. Para pôr em prática o que aprenderam, os participantes realizaram uma brigada médica no município de Ojojona, no estado de Francisco Morazán, um dia antes do encerramento do curso.

“Através dessas atividades fortalecemos a imagem institucional das Forças Armadas, enquanto contribuímos para o progresso e o desenvolvimento de localidades com carências em suas necessidades básicas”, disse à Diálogo o Capitão do Exército da Colômbia Helber Quintero, instrutor da Escola de Missões Internacionais e Ação Integral na Colômbia, o qual esteve à frente da equipe de quatro instrutores colombianos que ministraram o curso. “A missão foi capacitar os militares hondurenhos para planejar, preparar, executar e avaliar as campanhas com o objetivo de beneficiar as comunidades.”

O grupo de 18 oficiais e oito suboficiais hondurenhos recém-formados organizou uma equipe de médicos, dentistas, psicólogos, especialistas em nutrição e cabeleireiros para levar serviços médicos, medicamentos gratuitos, assistência social e atividades recreativas aos habitantes de Ojojona. Membros da Cruz Vermelha, do Comitê Permanente de Contingências, da Polícia Nacional, do corpo de bombeiros e outros voluntários participaram da brigada conjunta e interagências. A Prefeitura municipal e funcionários da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social de Honduras se juntaram ao esforço, contribuindo com 500 bolsas de mantimentos.

“A atividade teve um grande impacto entre a população”, disse à Diálogo o Capitão do Exército de Honduras Gilberto Aguilar. “[O sucesso se deveu] à boa instrução, ao compromisso de cada oficial, à integração das instituições e ao apoio da comunidade.”

Remédios e sorrisos

Mais de 1.400 pessoas foram beneficiadas com o atendimento médico e social. As crianças receberam um lanche, brincaram em pula-pulas infláveis e se divertiram com os soldados que, durante algumas horas, trocaram os uniformes por roupas de palhaços para fazerem os pequenos rirem e lhes deram de presente balões no formato de animais.

“Veio mais gente do que esperávamos”, disse o Cap Aguilar, que se destacou como o melhor aluno do curso por sua liderança e sua capacidade de organização. “Nós nos aproximamos dos líderes [locais] e dos pais de família da escola. Descobrimos que as pessoas querem ajudar. Às vezes só precisam que alguém os reúna e os organize.”

Os 26 militares das Forças Armadas de Honduras receberam os reconhecimentos pela sua participação no Curso de Formação Internacional de Ação Integral e Desenvolvimento. (Foto: Iris Amador, Diálogo)

Os instrutores colombianos trouxeram sapatos de cor neon, pinturas e narizes vermelhos em seus equipamentos. Segundo o Cap Quintero, “a intenção é quebrar os paradigmas tradicionais daquilo que a população civil imagina ser um soldado. Foi uma novidade ver um militar realizar essas dinâmicas com as crianças. Isso lhes agregou valor, porque não se esperava vê-los compartilhar esses espaços”.

Defensores e amigos

O trabalho com a infância é apenas uma das várias linhas de operação para se aproximar da população. O curso incluiu treinamento para outras atividades, algumas com foco nos adultos, outras em práticas agrícolas, como as implementadas pelo Exército da Colômbia para substituir as plantações ilícitas por cultivos produtivos legais.

“A sensibilização militar é poder atingir o coração dos habitantes das comunidades através dessas atividades, para que elas vejam que o soldado é um amigo para elas”, disse o Cap Quintero. “As ações unificadas repercutem na segurança das comunidades e na estabilização do país em geral.”

As Forças Armadas de Honduras põem em prática um programa de atividades cívico-militares durante o ano inteiro em diferentes regiões do território nacional, mas os participantes do curso realizaram a iniciativa em Ojojona por sua própria conta. Além dos serviços médicos, os pais de família que entendiam de eletricidade ajudaram a consertar o sistema elétrico da escola e implementaram um sistema de reciclagem de lixo.

Graças ao trabalho dos alunos militares, o grupo arrecadou cerca de uma dezena de eletrodomésticos que foram rifados entre os participantes. “As pessoas saíam felizes”, garantiu o Cap Aguilar. “Algumas crianças permaneceram conosco o dia inteiro. Nós lhes oferecemos um lanche e eles não queriam que fôssemos embora.”

Essas são as relações de confiança que o curso procura fomentar entre os soldados e as comunidades das quais eles mesmos são membros. Ao término do curso, ministrado pela primeira vez em Honduras, os participantes disseram que esperam fortalecer os elos através de eventos esportivos, programas culturais e outras atividades recreativas, como cinema no parque.

Membros do alto comando militar de Honduras agradeceram aos representantes do Comando Sul dos EUA e à Colômbia. Eles disseram que o treinamento terá um efeito multiplicador para o cumprimento de uma das funções mais importantes das forças armadas para mitigar as grandes necessidades de importantes setores da população. Um dos instrutores, o Segundo-Sargento do Exército da Colômbia Elkin Contreras, disse que através dessas iniciativas o povo sabe que seus soldados “os protegem e não apenas com armas”.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 7
Carregando conversa